Listagem de Estágios

Biologia


1554. À descoberta do ADN de variedades antigas


Instituição: Centro de Investigação e Tecnologias Agroambientais e Biológicas (CITAB), Universidade de Trás os Montes e Alto Douro
Responsável: Isaura Castro
Nº Alunos: 2
Anos: 10º, 11º, 12º
Área: Biologia
Data: de 18-07-2022 a 22-07-2022 Horário: Manhã + Tarde
Investigador(es): Isaura Castro e Márcia Carvalho


Descrição: Sabias que te podes alimentar de _Lagarto_, _Carrasco_, _Fradinho_, _Chicharo_, _Porta-da-Loja_, _Gigante-do-Douro_, _Focinho-de-Burro_, _Sangue-de-Boi_, _Rabo-de-Ovelha_ e _Esgana-
Cão_? Estes são alguns exemplos de variedades menos conhecidas de melão, feijão-frade, maçã e videira que correm o risco de desaparecer. É muito importante o seu estudo e preservação. O estudo do seu ADN faz parte integrante desta estratégia de conservação das variedades antigas de alimentos que consumimos no dia-a-dia de forma a promover a sua produção e consumo. O que te propomos é extrair e observar ADN de algumas destas variedades. Terás oportunidade de realizar as metodologias de extração de ácidos nucleicos, eletroforese e amplificação por PCR e discutir os resultados com investigadores.

Observações: Uso de bata. Oferta de uma refeição/dia

Este estágio não disponibiliza alojamento para alunos deslocados

Este estágio disponibiliza almoços

1º Dia de Estágio

Local de encontro: Capela da UTAD Hora: 10:00:00 AM
Pessoa de contacto: Isaura Castro_ Márcia Carvalho

Estágio Esgotado


1804. A NATUREZA CRIATIVA!


Instituição: Centro de Investigação em Educação Básica (CIEB), Instituto Politécnico de Bragança
Responsável: António Meireles
Nº Alunos: 3
Anos: , 10º
Área: Biologia
Data: de 18-07-2022 a 22-07-2022 Horário: Manhã + Tarde
Investigador(es): António José Santos Meireles Jacinta Helena Alves Lourenço Casimiro da Costa Delmina Maria Pires


Descrição: Já pensaste que explorar a natureza pode ser o princípio para um projeto criativo? Num estágio interdisciplinar, que cruza Ciência, Arte e Design, pretende-se desenvolver projetos criativos tendo a natureza como inspiração. É uma oportunidade para desenvolveres a tua criatividade pelo estudo de elementos naturais e a aplicação dos seus princípios em projetos criativos.
A Ciência, a Arte e o Design, embora com outras designações e até, sem terem uma designação própria, desde há muito tempo se articulam no sentido de explorar novos campos da expressão e do conhecimento. Lembra-te de Leonardo da Vinci, que analisando a anatomia das aves e desenhando o seu voo, encontrou um potencial para responder ao antigo sonho de fazer um ser humano voar, projetando aparelhos voadores precursores das asas delta e dos para-quedas. Mais recentemente, fatos de banho de competição foram desenvolvidos a partir da pele de tubarões permitindo aos nadadores serem muito mais rápidos!

Observações: -

Este estágio disponibiliza alojamento para alunos deslocados

Este estágio disponibiliza almoços

1º Dia de Estágio

Local de encontro: Laboratório de Artes na Montanha – Graça Morais. Rua Oróbio de Castro, nº. 1, 5300 - 220 Bragança Hora: 10:00
Pessoa de contacto: António Meireles

Estágio Esgotado


1658. Aprender Citogenética num Laboratório de Diagnóstico


Instituição: Laboratório de Genética, Centro Hospitalar de Trás-os Montes e Alto Douro (EPE)
Responsável: Rosário Pinto Leite
Nº Alunos: 2
Anos: 11º, 12º
Área: Biologia
Data: de 27-06-2022 a 01-07-2022 Horário: Manhã + Tarde
Investigador(es): Rosário Pinto Leite


Descrição: Cada estagiário realiza uma cultura de sangue periférico, faz todo o procedimento técnico até à obtenção de cromossomas (com preparação de reagentes). Aprende e executa técnicas de bandagem dos cromossomas. Faz a análise dos cromossomas e montagem de cariogramas, quer em papel quer através de um sistema computadorizado de cariotipagem. Integra-se na rotina do laboratório, ajudando a dar entrada das amostras que chegam ao laboratório, preparar reagentes e a realizar técnicas laboratoriais transversais a todos os protocolos utilizados.
Paralelamente a este trabalho técnico, aprende a estar corretamente no laboratório, a manusear adequadamente as amostras e equipamento.
Vai observar as várias aplicações da citogenética no diagnóstico: pré-natal, pós-natal e hemato-oncológico e também na área da genética molecular, nomeadamente na área oncológica.

Observações: Teste de COVID negativo. Trazer bata,sapatos de laboratório (socas)

Este estágio disponibiliza alojamento para alunos deslocados

Este estágio disponibiliza almoços

1º Dia de Estágio

Local de encontro: Laboratório de GenéticaCentro Hospitalar de Trás-os-Montes e Alto Douro Hora: 9:30:00 AM
Pessoa de contacto: Rosário Pinto Leite

Inscrição


1659. Aprender Citogenética num Laboratório de Diagnóstico


Instituição: Laboratório de Genética, Centro Hospitalar de Trás-os Montes e Alto Douro (EPE)
Responsável: Rosário Pinto Leite
Nº Alunos: 2
Anos: 10º, 11º, 12º
Área: Biologia
Data: de 04-07-2022 a 08-07-2022 Horário: Manhã + Tarde
Investigador(es): Rosário Pinto Leite


Descrição: Cada estagiário realiza uma cultura de sangue periférico, faz todo o procedimento técnico até à obtenção de cromossomas (com preparação de reagentes). Aprende e executa técnicas de bandagem dos cromossomas. Faz a análise dos cromossomas e montagem de cariogramas, quer em papel quer através de um sistema computadorizado de cariotipagem. Integra-se na rotina do laboratório, ajudando a dar entrada das amostras que chegam ao laboratório, preparar reagentes e a realizar técnicas laboratoriais transversais a todos os protocolos utilizados.
Paralelamente a este trabalho técnico, aprende a estar corretamente no laboratório, a manusear adequadamente as amostras e equipamento.
Vai observar as várias aplicações da citogenética no diagnóstico: pré-natal, pós-natal e hemato-oncológico e também na área da genética molecular, nomeadamente na área oncológica.

Observações: Teste COVID negativo, trazer bata,sapatos de laboratório (socas)

Este estágio disponibiliza alojamento para alunos deslocados

Este estágio disponibiliza almoços

1º Dia de Estágio

Local de encontro: Laboratório de Genética, Centro Hospitalar de Trás-os-Montes e Alto Douro Hora: 9:30:00 AM
Pessoa de contacto: Rosário Pinto Leite

Estágio Esgotado


1500. As alterações climáticas no microbiota dos oceanos


Instituição: Centro de Ciências do Mar do Algarve (CCMAR), Universidade do Algarve
Responsável: Joao Carlos Cardoso
Nº Alunos: 3
Anos: 11º, 12º
Área: Biologia, Química
Data: de 04-07-2022 a 15-07-2022 Horário: Manhã + Tarde
Investigador(es): João Cardoso Inês Leal


Descrição: O microbiota representa o conjunto de microrganismos de um determinado ecossistema. São principalmente bactérias muito abundantes nos oceanos e que vivem em equilíbrio com os organismos marinhos. As alterações climáticas e a atividade humana estão a ameaçar este equilíbrio afetando a vida marinha. Neste trabalho vamos utilizar técnicas de microbiologia e da bioquímica (crescimento bacteriano e ensaios enzimáticos) para comparar o efeito do aumento de temperatura e diminuição do pH dos oceanos no crescimento e na virulência de bactérias marinhas e prever qual a sua consequência para o futuro da vida nos oceanos.

Observações: Não estão previstas atividades durante o fim-de-semana, pelo que não estão contempladas refeições durante este período. Só será assegurado o alojamento a alunos deslocados.
Para trabalhos de laboratório, o aluno deverá trazer e usar a sua bata pessoal.
Para trabalho e saídas de campo, o aluno deverá usar protetor solar, chapéu e beber água com frequência, por causa do calor.

Este estágio disponibiliza alojamento para alunos deslocados

Este estágio disponibiliza almoços

1º Dia de Estágio

Local de encontro: Frente ao edf. 7 - campus de Gambelas da UAlg Hora: 10:00:00
Pessoa de contacto: João Cardoso

Estágio Esgotado


1782. As mutações como alvo para tratar o cancro


Instituição: Instituto de Investigação Clínica e Biomédica de Coimbra (iCBR) da Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra
Responsável: Ana Cristina Gonçalves
Nº Alunos: 1
Anos: 11º, 12º
Área: Biologia
Data: de 11-07-2022 a 15-07-2022 Horário: Manhã
Investigador(es): Ana Cristina Gonçalves, Beatriz Lapa, Joana Jorge, Raquel Alves


Descrição: A integridade genómica é muito importante para a sobrevivência celular. O DNA de cada célula humana está sujeito a centenas de lesões por dia. A ausência ou a incorreta reparação destas lesões conduzem à sua fixação sob a forma de mutações. As mutações são características do cancro e muitas neoplasias apresentam desregulação da reparação do DNA. Estas alterações podem estar associadas tanto ao desenvolvimento tumoral como à resistência ao tratamento do cancro. Ao longo do estágio os alunos terão oportunidade de contactar com várias técnicas e metodologias de Biologia Celular e Molecular, tais como, cultura de células, extração de ácidos nucleicos, PCR, microscopia ótica, deteção e quantificação de proteínas por citometria de fluxo. A cooperação dos jovens investigadores com os doutorandos e mestrandos, durante a semana de trabalhos laboratoriais, permitirá um primeiro contacto com a componente prática de investigação.

Observações: O estágio abordará o que é e para que serve a cultura celular, em particular a sua aplicação na área do tratamento oncológico. As tecnologias complementares utilizadas na área da oncobiologia serão também disponibilizadas aos alunos.

Este estágio não disponibiliza alojamento para alunos deslocados

Este estágio não disponibiliza almoços

1º Dia de Estágio

Local de encontro: Local de encontro: Entrada subunidade 1 da FMUC, Polo das Ciências da Sáude/ Pessoa contacto: Raquel Alves Hora: 10h
Pessoa de contacto: Ana Cristina Gonçalves

Estágio Esgotado


1654. As plantas e os seus hóspedes – o que nos revela o ADN?


Instituição: Instituto Mediterrâneo para a Agricultura, Ambiente e Desenvolvimento (MED) Universidade de Évora
Responsável: Hélia Cristina Guerra Cardoso
Nº Alunos: 4
Anos: , 10º, 11º, 12º
Área: Biologia
Data: de 29-08-2022 a 02-09-2022 Horário: Manhã + Tarde
Investigador(es): Hélia Cristina Guerra Cardoso Maria Catarina Campos Lénia Rodrigues Augusto Peixe Rita Pires


Descrição: A multiplicação in vitro tem sido amplamente utilizada para a propagação de diversas espécies de plantas. No entanto, o sucesso destas metodologias pode ser comprometido pela ocorrência de contaminações no meio de cultura, normalmente provocadas pelo crescimento de bactérias que colonizam internamente os tecidos da planta (endófitas).
Na presente ação os alunos irão participar nos trabalhos de cultura in vitro envolvendo: i) a preparação de meios de cultura, ii) a multiplicação de espécies vegetais já mantidas em condições in vitro_ iii) o estabelecimento de novas culturas (desinfeção de material vegetal), iv) o isolamento de endófitos em meio de cultura.
Para detetar a presença das bactérias endófitos no material vegetal os alunos irão desenvolver trabalho envolvendo técnicas de biologia molecular: i) extração de DNA dos tecidos vegetais, ii) PCR para deteção de bactérias endófitas, iii) preparação de amplicões para sequenciação SANGER, iv) e análise de sequências (BioEdit e BLASTn).
Esta ação integra os investigadores Hélia Cardoso, Catarina Campos, Lénia Rodrigues, Rita Pires e Augusto Peixe.

Os alunos deverão trazer bata para o laboratório e um caderno. Estágio com oferta de almoço e com possibilidade de alojamento (jantar incluído para alunos que pernoitam).
Deslocação Évora-Mitra de autocarro assegurado pela instituição.
Para mais informação consulte a página do nosso grupo de investigação em http://www.icaam.uevora.pt/investigacao/Grupos-de-Investigacao/Recursos-Geneticos-e-Genomica-Funcional

Observações: A ação decorrerá no Lab. Biologia Molecular - MED, Universidade de Évora

Este estágio disponibiliza alojamento para alunos deslocados

Este estágio disponibiliza almoços

1º Dia de Estágio

Local de encontro: Pólo da Mitra - Lab. de Biologia Molecular Hora: 10:00:00 AM
Pessoa de contacto: Hélia Cardoso

Estágio Esgotado


1727. Avaliação da virulência de uma bactéria


Instituição: Centro de Investigação em Ciências da Saúde (CICS), Universidade da Beira Interior
Responsável: Susana Ferreira
Nº Alunos: 2
Anos: 10º, 11º, 12º
Área: Biologia, Ciências da Saúde
Data: de 18-07-2022 a 22-07-2022 Horário: Manhã + Tarde
Investigador(es): Susana Ferreira Cristiana Mateus


Descrição: O presente projeto tem como objetivo integrar os estudantes no dia a dia do grupo de investigação de “Biomedicinal Chemistry and Drug Research” do Centro de Investigação em Ciências da Saúde da Universidade da Beira Interior (CICS-UBI) e mostrar algum do trabalho que está a ser desenvolvido no âmbito do estudo de doenças infeciosas associadas ao trato gastrointestinal. Assim, o projeto pretende promover e desenvolver a capacidade científica dos estudantes no âmbito da Microbiologia usando como exemplo o patógeno emergente Aliarcobacter butzleri.
Aliarcobacter butzleri é um enteropatógeno vastamente distribuído em diversos ambientes, sendo associada a enterites e bacteremias, para o qual muitos aspetos da virulência se encontram por esclarecer. Com o objetivo de perceber de que forma se pode avaliar o potencial de virulência bacteriana, os estudantes serão integrados numa equipa tendo oportunidade de colaborar em diversas abordagens experimentais que podem ser usadas para avaliar a resistência e virulência bacteriana. Assim, os estudantes terão oportunidade de contactar com diversas metodologias de identificação e avaliação da resistência e virulência bacteriana, com foco na avaliação de fatores como a motilidade, a formação de biofilmes, sobrevivência a condições adversas e capacidade de infeção de células do hospedeiro.

Observações: No âmbito da iniciativa Ocupação Científica de Jovens nas Férias 2022, o Centro de Investigação em Ciências da Saúde da Universidade da Beira Interior (CICS-UBI) abre as portas, na semana de 18 a 22 de julho de 2022, a estudantes do secundário (do 11º ao 12º ano) com o projeto “Avaliação da virulência de uma bactéria”.

Este estágio disponibiliza alojamento para alunos deslocados

Este estágio disponibiliza almoços

1º Dia de Estágio

Local de encontro: Portaria da Faculdade de Ciências da Saúde da Universidade da Beira Interior Hora: 10:00
Pessoa de contacto: Susana Ferreira

Estágio Esgotado


1779. Bioreciclagem: as minhocas a trabalhar


Instituição: Departamento de Biologia e Ambiente, Universidade de Trás os Montes e Alto Douro (UTAD)
Responsável: Marta Roboredo
Nº Alunos: 2
Anos: 10º, 11º
Área: Biologia
Data: de 04-07-2022 a 08-07-2022 Horário: Manhã
Investigador(es): Ana Coimbra Paula Oliveira Ricardo Sousa


Descrição: O estágio proposto tem como objetivo aquisição de conhecimentos que permitem compreender o papel das minhocas (Eisenia fetida) como indicador e promotor da qualidade do solo.
Os participantes irão desenvolver várias atividades através das quais é destacada a importância da minhoca no solo como agente de transformação e valorização dos resíduos orgânicos em húmus, mas também como seres vivos sensíveis a alterações da qualidade dos solos. As atividades desenvolvidas alertam para a importância do solo como recurso natural que sustenta a vida.

Observações: -

Este estágio não disponibiliza alojamento para alunos deslocados

Este estágio disponibiliza almoços

1º Dia de Estágio

Local de encontro: Entrada do Edifício de Geociências (Polo I ECVA) Hora: 9h30m
Pessoa de contacto: Marta Roboredo

Estágio Esgotado


1738. Cafeeiro sob investigação: identificação de espécies e fungos patogénicos pelo seu código de barras genético


Instituição: Linking Landscape, Environment, Agriculture and Food (LEAF), Instituto Superior de Agronomia
Responsável: Dora Batista e Inês Diniz
Nº Alunos: 4
Anos: 10º, 11º, 12º
Área: Biologia
Data: de 18-07-2022 a 22-07-2022 Horário: Manhã
Investigador(es): Dora Batista Inês Diniz


Descrição: À semelhança do código de barras de um produto de supermercado, podemos utilizar sequências genéticas para identificar e distinguir espécies de qualquer organismo vivo. O DNA barcoding permite não só “catalogar” a biodiversidade mundial para um melhor conhecimento e conservação, mas também, por exemplo, identificar o agente patogénico de uma amostra infetada ou avaliar se um determinado alimento tem a origem que é descrita na embalagem. Transforma-te num detetive da ciência e vem investigar as inúmeras espécies da planta do café e os fungos que as atacam através da aplicação do DNA barcoding, utilizando técnicas de biologia molecular como extração de DNA, amplificação por PCR, eletroforese dos produtos de PCR e sua purificação e sequenciação. Vais aprender também como os fungos infetam o cafeeiro provocando doenças graves através de uma visita às estufas do Centro de Investigação das Ferrugens do Cafeeiro e observar o seu desenvolvimento à lupa e ao microscópio, e, no final, levar para casa uma planta de café.

Observações: Instituto Superior de Agronomia, Universidade de Lisboa

Este estágio não disponibiliza alojamento para alunos deslocados

Este estágio não disponibiliza almoços

1º Dia de Estágio

Local de encontro: Porta principal do Edifício Central do Instituto Superior de Agronomia Hora: 9.30h
Pessoa de contacto: Dora Batista e Inês Diniz

Estágio Esgotado


1802. ClimACT (climate action)


Instituição: Centro de Investigação em Educação Básica (CIEB), Instituto Politécnico de Bragança
Responsável: Maria José Afonso Magalhães Rodrigues
Nº Alunos: 3
Anos: , 10º, 11º, 12º
Área: Biologia, Sociologia
Data: de 18-07-2022 a 22-07-2022 Horário: Manhã
Investigador(es): Maria José Rodrigues e Ricardo Ramos


Descrição: s Alterações Climáticas são, sem dúvida, um dos maiores desafios do nosso tempo. Estamos a sentir as consequências das nossas ações, seja por ondas de calor, secas, incêndios florestais e inundações, entre outros exemplos. Prevê-se que se continuarmos a queimar combustíveis fósseis a este ritmo, o planeta poderá atingir mais dois graus de aquecimento até 2050 - o limiar que muitos cientistas identificaram como demasiado perigoso. Qual é a ciência por trás dessas projeções?
Durante este estágio, vamos refletir sobre os princípios científicos que nos ajudam a compreender as alterações climáticas. Precisamos compreender a ciência para resolver as mudanças ambientais, sociais e económicas mais amplas que a mudança climática está a trazer.
No final deste estágio, os estudantes serão capazes de:
- Compreender como o sistema climático está a mudar o planeta e as suas consequências no desenvolvimento sustentável_
- Refletir sobre medidas, ações e comportamentos que façam face à crise climática.
- Problematizar as políticas públicas internacionais e locais para enfrentar as alterações climáticas
O estágio permitirá aos estudantes discutir e refletir sobre os princípios básicos das ciências que sustentam uma maior compreensão sobre e para as alterações climáticas.
Neste estágio, poderão conhecer e explorar o impacto de vários cenários de emissões de gases de efeito estufa no desenvolvimento sustentável.
Este estágio além de interdisciplinar, centra-se nos domínios das ciências do ambiente e das ciências sociais, terá também uma componente prática em laboratório e ar livre.

Observações: ---

Este estágio disponibiliza alojamento para alunos deslocados

Este estágio disponibiliza almoços

1º Dia de Estágio

Local de encontro: Escola Superior de Educação de Bragança Hora: 10:00 h
Pessoa de contacto: Maria José Rodrigues e Ricardo Ramos

Inscrição


1780. Como as culturas de células nos permitem estudar as doenças cardiovasculares?


Instituição: Instituto de Investigação Clínica e Biomédica de Coimbra (iCBR) da Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra
Responsável: Tania Martins-Marques
Nº Alunos: 2
Anos: , 10º, 11º, 12º
Área: Biologia, Química
Data: de 25-07-2022 a 29-07-2022 Horário: Manhã + Tarde
Investigador(es): Tânia Martins Marques, Henrique Girão


Descrição: As doenças cardiovasculares são as principais responsáveis pela morbibilidade e mortalidade em todo o mundo. Embora se tenham feito importantes avanços que aumentaram significativamente o sucesso das estratégias terapêuticas, o enfarte do miocárdio representa ainda cerca de 60% das mortes por doença isquémica do coração em Portugal, o que corresponde a mais de 4000 óbitos anualmente. O melhor conhecimento da fisiopatologia da doença é assim essencial para que se possam identificar abordagens inovadoras de diagnóstico precoce, e novas formas de tratamento. Os alunos irão contactar com várias metodologias utilizadas na área de investigação da Biologia Celular, nomeadamente para o estabelecimento de modelos celulares válidos e robustos para o estudo das doenças cardiovasculares (e.g. modelos de isquemia cardíaca ou arritmias), e sua caracterização através de abordagens bioquímicas (e.g. Western Blot).

Observações: As doenças cardiovasculares são as principais responsáveis pela morbilidade e mortalidade em todo o mundo. Embora se tenham feito importantes avanços que aumentaram significativamente o sucesso das estratégias terapêuticas, o enfarte do miocárdio representa ainda cerca de 60% das mortes por doença isquémica do coração em Portugal, o que corresponde a mais de 4000 óbitos anualmente. O melhor conhecimento da fisiopatologia da doença é assim essencial para que se possam identificar abordagens inovadoras de diagnóstico precoce, e novas formas de tratamento. Durante este estágio, os alunos terão contacto com diversas técnicas e metodologias com vista ao estabelecimento de modelos de base celular para o estudo das doenças cardiovasculares.

Este estágio não disponibiliza alojamento para alunos deslocados

Este estágio não disponibiliza almoços

1º Dia de Estágio

Local de encontro: Entrada Edifício iCBR, Polo III da Universidde de Coimbra. Pessoa de contacto: Tânia Marques. Hora: 9h00
Pessoa de contacto: Tânia Martins-Marques

Estágio Esgotado


1626. Como transferir genes para plantas à boleia do Agrobacterium tumefaciens


Instituição: Departamento de Genética e Biotecnologia, Universidade de Trás os Montes e Alto Douro (UTAD)
Responsável: Ana Lúcia Rebocho Lopes Pinto e Sintra
Nº Alunos: 3
Anos: 10º, 11º, 12º
Área: Biologia
Data: de 25-07-2022 a 29-07-2022 Horário: Manhã + Tarde
Investigador(es): Ana Lúcia Rebocho Lopes Pinto e Sintra


Descrição: A engenharia genétıca de plantas constitui uma metodologia cada vez maıs utilizada no melhoramento de plantas e nos estudos da funçao dos genes. O Agrobacterıum tumefacıens e uma bacterıa muıto utıl neste processo, dada a sua capacıdade natural de transferır genes para plantas. Assim, este estagıo permiıtıra tomar contacto dırecto com esta metodologıa muıto utıl e central em numerosas areas de investıgaçao, atraves da realızaçao dos passos fundamentaıs do processo.

Observações: O estagıo contempla o fornecimento de almoço para os 3 jovens. Existe a possıbılıdade de alojamento e jantar para 1 jovem.

Este estágio disponibiliza alojamento para alunos deslocados

Este estágio disponibiliza almoços

1º Dia de Estágio

Local de encontro: Entrada principal do Pólo 1 da Escola das Ciências da Vida e do Ambiente Hora: 9:30:00 AM
Pessoa de contacto: Ana Lúcia Pinto Sintra

Estágio Esgotado


1494. Comportamento sexual e agressivo de peixes


Instituição: Centro de Ciências do Mar do Algarve (CCMAR), Universidade do Algarve
Responsável: Adelino Vicente Mendonça Canário
Nº Alunos: 2
Anos: 11º
Área: Biologia
Data: de 04-07-2022 a 15-07-2022 Horário: Manhã + Tarde
Investigador(es): Adelino Canário


Descrição: Nos peixes o comportamento agressivo está normalmente relacionado com a defesa de território e o afastamento de competidores pelos machos e associado à atração de fêmeas para a reprodução. Estes comportamentos são medidados por estímulos, visuais, químicos (feromonas) e por vezes sonoros. No estágio os estudantes irão participar na manutenção dos peixes e na realização de experiências para analisar o comportamento de dominância em peixes lutadores e a relação deste comportamento com a produção de feromonas.

Observações: Não estão previstas atividades durante o fim-de-semana, pelo que não estão contempladas refeições durante este período. Só será assegurado o alojamento a alunos deslocados.
Para trabalhos de laboratório, o aluno deverá trazer e usar a sua bata pessoal.
Para trabalho e saídas de campo, o aluno deverá usar protetor solar, chapéu e beber água com frequência, por causa do calor.

Este estágio disponibiliza alojamento para alunos deslocados

Este estágio disponibiliza almoços

1º Dia de Estágio

Local de encontro: Frente ao edf. 7 - campus de Gambelas da UAlg Hora: 10:00:00
Pessoa de contacto: Adelino Canário

Estágio Esgotado


1781. Conseguimos ver um ser vivo por dentro com a ajuda da imagem molecular?


Instituição: Instituto de Investigação Clínica e Biomédica de Coimbra (iCBR) da Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra
Responsável: Ana Margarida Coelho Abrantes
Nº Alunos: 3
Anos: , 10º, 11º, 12º
Área: Biologia
Data: de 08-08-2022 a 12-08-2022 Horário: Manhã
Investigador(es): Inês Marques, Beatriz Serambeque, Eurico Pereira


Descrição: O aluno irá perceber várias técnicas de imagem que podem ser utilizadas e que tipo de imagem se consegue obter. Será possível realizar um estudo de biodistribuição exemplificando uma das técnicas da imagem (medicina nuclear).

Observações: Quando queremos ver o nosso corpo por dentro o que é que podemos utilizar? Será que podemos utilizar radiação? Que tipo de radiação? Como funciona um equipamento que permite obter uma imagem do interior do nosso corpo? O desafio de conhecer e perceber diferentes técnicas de imagem é o objetivo para esta sessão assim como entender como podemos estudar o nosso corpo por dentro.

Este estágio não disponibiliza alojamento para alunos deslocados

Este estágio não disponibiliza almoços

1º Dia de Estágio

Local de encontro: Entrada da sub-unidade 1 da FMUC (porta de vidro de frente para a Unidade Central), Margarida Abrantes Hora: 9h30
Pessoa de contacto: Ana Margarida Abrantes

Inscrição


1501. Converter o telemóvel num microscópio 3D


Instituição: Centro de Ciências do Mar do Algarve (CCMAR), Universidade do Algarve
Responsável: tmcorreia@ualg.pt
Nº Alunos: 2
Anos: , 10º, 11º
Área: Biologia
Data: de 11-07-2022 a 15-07-2022 Horário: Manhã + Tarde
Investigador(es): Teresa Matias Correia


Descrição: Neste estágio vais aprender como funcionam os microscópios 3D e como são usados em investigação na área da biologia marinha e biomedicina. A principal tarefa vai ser montar um microscópico que usa o telemóvel para gerar imagens em 3D de objetos transparentes, como peixinhos, berlindes ou gomas. Mais especificamente os objetivos são:

1.Aprender sobre diferentes técnicas de imagiologia, como por exemplo tomografia axial computorizada e tomografia ótica.
2.Aprender como funcionam as técnicas de tomografia e como se geram imagens a partir de fotografias tiradas à volta de objetos.
3.Participar numa demostração ao vivo em que vamos usar um microscópio 3D topo de gama para aprender como funciona, para que serve e que tipo de imagens podemos ver.
4.Montar o nosso microscópio 3D. Vamos precisar de uma luz e de um telemóvel para tirar fotografias!
5.Aprender no laboratório como se preparam as amostras transparentes que usamos para ver com microscópios 3D.
6.Tirar MUITAS fotografias às nossas amostras, berlindes e gomas.
7.Aprender e ver na prática como usamos programas de computadores para gerar as imagens 3D a partir das fotografias.

Observações: Não estão previstas atividades durante o fim-de-semana, pelo que não estão contempladas refeições durante este período. Só será assegurado o alojamento a alunos deslocados.
Para trabalhos de laboratório, o aluno deverá trazer e usar a sua bata pessoal.
Para trabalho e saídas de campo, o aluno deverá usar protetor solar, chapéu e beber água com frequência, por causa do calor.

Este estágio disponibiliza alojamento para alunos deslocados

Este estágio disponibiliza almoços

1º Dia de Estágio

Local de encontro: À porta do CCMAR, Edifício 7, Campus Gambelas, Faro Hora: 10:00:00
Pessoa de contacto: Teresa Matias Correia

Estágio Esgotado


1699. CSI HONEY – Vem descobrir a origem do mel de melada de carvalho


Instituição: Centro de Investigação de Montanha (CIMO), Instituto Politécnico de Bragança
Responsável: Soraia Falcão
Nº Alunos: 2
Anos: 10º
Área: Biologia
Data: de 18-07-2022 a 22-07-2022 Horário: Manhã + Tarde
Investigador(es): Soraia Falcão Maria Eliza Souza Kheira Moufida Mouffouk


Descrição: Quando pensamos em mel, associamos a sua origem ao néctar das flores. Sabias, que nem só de néctar as abelhas produzem mel, também podem usar secreções de partes vivas das plantas ou de excreções de insetos sugadores que permanecem nas partes vivas das plantas, sendo estes chamados méis de melada. Com uma cor mais escura e um aroma único, os méis de melada são mais ricos em compostos bioativos que lhes conferem uma maior atividade terapêutica. Dadas estas características, o interesse do consumidor por este tipo de mel tem vindo a aumentar, o que se reflete no seu maior valor comercial. O carvalho é considerado como uma fonte botânica deste tipo de mel, tanto através dos seus exsudados vegetais como das secreções produzidas pelos insetos que fazem o seu ciclo de vida nesta árvore. Para evitar adulterações e aumentar seu valor comercial, é fundamental encontrar características específicas associadas a este tipo de mel, para isso a determinação da sua origem é fundamental para construir o bilhete de identidade deste mel, determinando sua origem botânica.
Este estágio tem como objetivo caracterizar o mel de melada de carvalho Quercus pyrenaica através da identificação de compostos marcadores, que nos vão dar pistas acerca da origem porque são únicos para este tipo de mel. Além do mais vais poder recolher e identificar os insetos presentes nos carvalhos, que produzem melada, de forma a poder diferenciar a origem do mel.
Para isso, vais analisar os compostos fenólicos e voláteis (aroma) de méis de melada do Parque Natural de Montesinho, provenientes de colmeias localizadas em zonas de carvalhos. Após a extração, os compostos serão analisados por técnicas cromatográficas. Para a identificação dos insetos produtores de melada, terás a oportunidade de fazer uma visita de campo ao Parque Natural de Montesinho e aprender a colocar armadilhas, a recolher os insetos e depois a identificá-los no laboratório.
Candidata-te e vem conhecer o fascinante mundo dos produtos da colmeia, em especial o mel e descobrir que há muito mais na origem do mel que as flores.

Observações: Os alunos deverão trazer bata. Estágio com oferta de almoço e possibilidade de alojamento para alunos candidatos selecionados e afastados do local de habitação

Este estágio disponibiliza alojamento para alunos deslocados

Este estágio disponibiliza almoços

1º Dia de Estágio

Local de encontro: Centro de Investigação de Montanha (CIMO) Hora: 9:30
Pessoa de contacto: Soraia Falcão

Estágio Esgotado


1811. Da célula ao organismo: a realidade de uma infrastrutura de unidade celular e biotério de moscas


Instituição: NOVA Medical School
Responsável: Catarina Homem
Nº Alunos: 1
Anos: 10º, 11º, 12º
Área: Biologia
Data: de 11-07-2022 a 15-07-2022 Horário: Manhã + Tarde
Investigador(es): Catarina Homem e Daniela Dias


Descrição: A Drosophila, também conhecida como mosca da fruta, é um organismo modelo muito utilizado na ciência pois possuem uma correspondência no seu genoma de 75% dos genes associados às doenças no Homem. Uma vez que todos os seres vivos apresentam mecanismos muito semelhantes, podemos esperar que o que aprendemos com este organismo modelo pode ser, pelo menos parcialmente, aplicado à espécie humana.

A semelhança dos seres vivos tem por base, o facto de todos serem formados por células. As células são unidades básicas estruturais e funcionais dos organismos, desta forma são muito importantes e o seu estudo contribui para o desenvolvimento da ciência e da medicina.

Estas infraestruturas são necessárias para garantir as melhores condições para o trabalho dos investigadores. Assim, este estágio propõe a aprendizagem de ferramentas de gestão, logísticas e de apoio aos investigadores no trabalho técnico com a Drosophila e com células.

Observações: https://www.nms.unl.pt/pt-pt/investigacao/servicos-e-infraestruturas/servicos-a-comunidade/detalhe/facilityid/2799

Este estágio não disponibiliza alojamento para alunos deslocados

Este estágio disponibiliza almoços

1º Dia de Estágio

Local de encontro: R. Câmara Pestana 6, 6A, 1150-199 Lisboa Hora: 9:30
Pessoa de contacto: Catarina Homem

Estágio Esgotado


1499. Da engorda à alimentação: como se cultivam os peixes?


Instituição: Centro de Ciências do Mar do Algarve (CCMAR), Universidade do Algarve
Responsável: Sofia Engrola
Nº Alunos: 2
Anos: 10º, 11º, 12º
Área: Biologia
Data: de 11-07-2022 a 22-07-2022 Horário: Manhã
Investigador(es): Sofia Engrola


Descrição: O setor da Aquacultura está em franco crescimento a nível mundial. A crescente demanda de peixe para alimentação dita esse mesmo crescimento. No ramo da investigação em Aquacultura, o CCMAR tem desenvolvido investigação relacionada com a nutrição e estudo de rações eficientes. Nesse sentido, o participante neste estágio vai ter oportunidade de trabalhar na alimentação de peixes, medição de parâmetros de qualidade de água e cultivo de microalgas.

Observações: Não estão previstas atividades durante o fim-de-semana, pelo que não estão contempladas refeições durante este período. Só será assegurado o alojamento a alunos deslocados.
Para trabalhos de laboratório, o aluno deverá trazer e usar a sua bata pessoal.
Para trabalho e saídas de campo, o aluno deverá usar protetor solar, chapéu e beber água com frequência, por causa do calor.

Este estágio não disponibiliza alojamento para alunos deslocados

Este estágio não disponibiliza almoços

1º Dia de Estágio

Local de encontro: Frente ao edf. 7 - campus de Gambelas da UAlg Hora: 09:00:00
Pessoa de contacto: Sofia Engrola

Inscrição


1785. Efeito da pressão elevada na fagocitose das células da microglia


Instituição: Instituto de Investigação Clínica e Biomédica de Coimbra (iCBR) da Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra
Responsável: Ana Raquel Santiago
Nº Alunos: 2
Anos: 12º
Área: Biologia
Data: de 25-07-2022 a 29-07-2022 Horário: Tarde
Investigador(es): Ana Raquel Santiago Raquel Sofia Freitas Boia


Descrição: O glaucoma é uma das principais causas de cegueira a nível mundial e o aumento da pressão intraocular é um dos principais fatores de risco para desenvolver a doença. Neste estágio vamos estudar o efeito da pressão elevada na reatividade das células da microglia, as células residentes do Sistema Nervoso Central com funções imunes. Vais ter oportunidade de preparar culturas de células da microglia, expor as células a pressão elevada numa câmara apropriada e realizar um ensaio de fagocitose com microesferas fluorescentes. No final vamos observar os resultados obtidos no microscópio de fluorescência e tirar as conclusões do estudo.

Observações: O glaucoma é uma das principais causas de cegueira a nível mundial e o aumento da pressão intraocular é um dos principais fatores de risco para desenvolver a doença. Neste estágio vamos estudar o efeito da pressão elevada na reatividade das células da microglia, as células residentes do Sistema Nervoso Central com funções imunes. Neste estágio vai ser possível compreender as vantagens do uso de cultura de células para conhecer melhor os mecanismos das doenças para que possamos identificar novos tratamentos.

Este estágio não disponibiliza alojamento para alunos deslocados

Este estágio não disponibiliza almoços

1º Dia de Estágio

Local de encontro: Entrada Edifício iCBR, Polo III da Universidde de Coimbra. Pessoa de contacto: Raquel Santiago Hora: 14h
Pessoa de contacto: Ana Raquel Santiago

Estágio Esgotado


1502. Efeitos da acidificação dos oceanos no cérebro dos peixes


Instituição: Centro de Ciências do Mar do Algarve (CCMAR), Universidade do Algarve
Responsável: zvelez@ualg.pt
Nº Alunos: 2
Anos: 10º, 12º, 11º
Área: Biologia
Data: de 04-07-2022 a 08-07-2022 Horário: Manhã + Tarde
Investigador(es): Zélia Velez


Descrição: Existem evidências para a ocorrência de alterações comportamentais em diferentes espécies de peixes quando expostas às condições de acidificação dos oceanos previstas para o final do corrente século. O nosso objectivo é compreender as alterações a nível do sistema nervoso central (cérebro) que estão na origem das alterações comportamentais descritas. O objectivo do projecto de trabalho proposto para este estágio é avaliar através da técnica de eletroencefalograma as respostas neuronais de pequenos tubarões da costa Portuguesa a diferentes estímulos olfativos, quando expostos a água control (pH8.2_ PCO2 400) e a água acidificada (pH7.7_ PCO2 1000). Durante o estágio os alunos irão aprender a preparar amostras, assistir e participar nas experiências de electrofisiologia, fazer as análises de monitorização da água dos tanques e participar em todas as rotinas diárias do laboratório.

Observações: Não estão previstas atividades durante o fim-de-semana, pelo que não estão contempladas refeições durante este período. Só será assegurado o alojamento a alunos deslocados.
Para trabalhos de laboratório, o aluno deverá trazer e usar a sua bata pessoal.
Para trabalho e saídas de campo, o aluno deverá usar protetor solar, chapéu e beber água com frequência, por causa do calor.

Este estágio disponibiliza alojamento para alunos deslocados

Este estágio disponibiliza almoços

1º Dia de Estágio

Local de encontro: Frente ao edf. 7 - campus de Gambelas da UAlg Hora: 10:00:00
Pessoa de contacto: Zélia Velez

Estágio Esgotado


1503. Encontrar novos agentes anti-inflamatórios que nos protejam das doenças crónicas inflamatórias associadas ao envelhecimento


Instituição: Centro de Ciências do Mar do Algarve (CCMAR), Universidade do Algarve
Responsável: Dina Simes
Nº Alunos: 2
Anos: , 10º, 11º
Área: Biologia, Ciências da Saúde, Química
Data: de 25-07-2022 a 29-07-2022 Horário: Manhã + Tarde
Investigador(es): Dina Simes, Carla Viegas


Descrição: Com o aumento da esperança de vida, as doenças associadas ao envelhecimento ou doenças inflamatórias crónicas, como é o caso da doença cardiovascular ou da osteoartrite, representam um dos maiores desafios da saúde a nível mundial. A existência de novos agentes anti-inflamatórios que ajudem a prevenir estas doenças é crucial para proporcionar uma vida mais longa e com maior qualidade.
Usando sistemas modelo in vitro de cultura celular, com células humanas, como os monócitos, macrófagos e células vasculares, a função destes novos agentes como anti-inflamatórios e protetor vascular pode ser testada e a sua eficácia avaliada.

Nesta atividade os alunos irão contactar na prática com várias técnicas e metodologias utilizadas na área de investigação da Bioquímica e Biologia Celular e Molecular, como a cultura de células, a quantificação de proteínas e a realização de imunoensaios. Simultaneamente pretende-se estimular o espírito científico e critico dos alunos envolvendo-os na formulação de hipótese, desenho experimental e análise de resultados.

Observações: Não estão previstas atividades durante o fim-de-semana, pelo que não estão contempladas refeições durante este período. Só será assegurado o alojamento a alunos deslocados.
Para trabalhos de laboratório, o aluno deverá trazer e usar a sua bata pessoal.
Para trabalho e saídas de campo, o aluno deverá usar protetor solar, chapéu e beber água com frequência, por causa do calor.

Este estágio disponibiliza alojamento para alunos deslocados

Este estágio disponibiliza almoços

1º Dia de Estágio

Local de encontro: Frente ao edf. 7 - campus de Gambelas da UAlg Hora: 10:00:00
Pessoa de contacto: Dina Simes, Carla Viegas

Estágio Esgotado


1610. Estabelecimento do perfil volátil de cidras regionais como suporte para avaliação da sua autenticidade e tipicidade


Instituição: Centro de Química da Madeira (CQM), Universidade da Madeira
Responsável: Rosa Perestrelo
Nº Alunos: 3
Anos:
Área: Biologia, Química
Data: de 11-07-2022 a 15-07-2022 Horário: Manhã + Tarde
Investigador(es): Rosa Perestrelo


Descrição: O objetivo deste projeto é estabelecer o perfil volatómico de cidras regionais por recurso à HS-SPME/GC-MS como plataforma essencial para a identificação de biomarcadores moleculares característicos de modo a definir a sua autenticidade e genuinidade, como valioso contributo para a sua certificação e combate à adulteração.

Observações: O objetivo deste projeto é estabelecer o perfil volatómico de cidras regionais por recurso à HS-SPME/GC-MS como plataforma essencial para a identificação de biomarcadores moleculares característicos de modo a definir a sua autenticidade e genuinidade, como valioso contributo para a sua certificação e combate à adulteração. O estudo contribuirá para a valorização comercial da cidra fornecendo ferramentas necessárias para uma maior rastreabilidade na origem e aumento da qualidade do produto. Serão optimizado os parâmetros analíticos da metodologia a usar, HS-SPME (extração) e GC-MS (separação, quantificação e identificação), de modo a maximizar a eficiência do processo extrativo e a performance cromatográfica. A metodologia optimizada será aplicada a amostras de cidra provenientes de diferentes regiões da RAM, reconhecidas pela qualidade da Cidra que produzem, nomeadamente Santo da Serra e Prazeres. Por fim, o perfil volatómico estabelecido será usado como ferramenta para a diferenciação das Cidras em estudo. Esta última etapa será realizada com recurso a análise multivariada.

Este estágio não disponibiliza alojamento para alunos deslocados

Este estágio disponibiliza almoços

1º Dia de Estágio

Local de encontro: Centro de Química da Madeira Hora: 10:00:00 AM
Pessoa de contacto: Professor Pedro Pires

Inscrição


1934. Evaluating biofertilizing strains


Instituição: ITQB NOVA - Instituto de Tecnologia Química e Biológica António Xavier da Universidade NOVA de Lisboa
Responsável: Renata Ramalho
Nº Alunos: 2
Anos: 10º, 11º, 12º
Área: Biologia
Data: de 22-08-2022 a 02-09-2022 Horário: Manhã
Investigador(es): Dr. Juan Ignacio Vilchez, Ana Sofia Santos, Inês Romão


Descrição: Biofertilizers are the new generation of biotechnological tools for a sustainable agriculture management. They are based on bacteria capable of interacting with plants in a beneficial way. They can help plants to grow better, resist stresses and fight pests and pathogens. To identify them, we usually isolate them from the environment and later they must be evaluated by screening to select the most suitable ones. Thus, we can characterize the strains by their plant growth promoting abilities. The ability to enhance the presence of nutrients, such as the production of siderophores to capture metal ions, or the solubilization of phosphate to make it more available, are some of the most important abilities. The presence of these metal ions is necessary for many developmental processes in plants (such as the presence of iron to carry out chlorophyll-mediated photosynthesis, or the presence of manganese for signalling between cells during several developmental phases). On the other hand, phosphate is one of the primary nutrients, but it is usually in an insoluble state, so plants cannot easily acquire it. Moreover, the production of phytohormones is very relevant for the development of plants. Bacteria, are capable of producing, for example, aux-ins, a phytohormone capable of stimulating root growth and the production of secondary roots. Finally, many bacteria can carry out the above mechanisms, but cannot colonize the roots. To choose the most suitable ones, it would be necessary for them to show some colonization mechanism, such as the production of biofilm. In this sense, we propose a screening activity to evaluate which strains isolated from the soil could be used as biofertilizers in plants. For this we will carry out a series of semi-solid plate tests, as well as some rapid colorimetry tests for the different skills explained above. These biochemical tests could be complemented with tests in plants, thus evaluating if the candidates were correctly chosen to be used as biofertilizers.
The team is composed of national and international researchers. Therefore, it is important that you feel comfortable working in English.
If the students prefer, the internship can be done in the afternoon instead of in the morning.

Este estágio não disponibiliza alojamento para alunos deslocados

Este estágio não disponibiliza almoços

1º Dia de Estágio

Local de encontro: ITQB NOVA Main Entrance Hora: 10h
Pessoa de contacto: Dr. Juan Ignacio Vilchez, Ana Sofia Santos, Inês Romão

Inscrição


1686. Geometria Tropical


Instituição: Centro de Matemática e Aplicações (CMA), Universidade NOVA de Lisboa
Responsável: ana casimiro
Nº Alunos: 5
Anos: 12º
Área: Biologia, Matemática
Data: de 04-07-2022 a 08-07-2022 Horário: Tarde
Investigador(es): Ana Cristina Casimiro


Descrição: O adjetivo Tropical foi dado em honra ao Investigador em Ciências de Computação brasileiro Inre Simon, a consolidação da sua teoria remonta aos finais do anos 90 do século passado. Originalmente apareceu de considerações de álgebra tropical, esta motivada por questões em ciências de computação. O grande objetivo desta Geometria é transformar questões de variedades algébricas (conjuntos dados por zeros de polinómios) em questões sobre complexos de poliedros (objetos combinatórios que codificam alguns aspetos geométricos das variedades algébricas). Neste momento a geometria tropical tem aplicações em muitas áreas como geometria algébrica e enumerativa, simetria de espelho, biologia matemática, complexidade computacional, estatística algébrica,... O projeto consiste em entender os objetos e operações nesta álgebra e geometria e compreender a ligação entre o mundo clássico e o tropical. Vários problemas em aberto podem ser considerados.

Observações: https://www.dm.fct.unl.pt

Este estágio não disponibiliza alojamento para alunos deslocados

Este estágio não disponibiliza almoços

1º Dia de Estágio

Local de encontro: Ed VII - Departamento de Matemática NOVA SST | FCT NOVA - Campus de Caparica Hora: 13h
Pessoa de contacto: Ana Cristina Casimiro

Inscrição


1612. Identificação de metabolitos voláteis em fluidos biológicos potenciais biomarcadores de patologias oncológicas


Instituição: Centro de Química da Madeira (CQM), Universidade da Madeira
Responsável: José Câmara
Nº Alunos: 3
Anos: 11º, 12º
Área: Biologia
Data: de 11-07-2022 a 15-07-2022 Horário: Manhã + Tarde
Investigador(es): José S. Câmara


Descrição: A composição volátil de diferentes fluidos biológicos (saliva, urina, ar exalado), resultante dos diferentes processos metabólicos, tem sido recentemente investigada como estratégia não invasiva para o diagnóstico de diferentes patologias incluindo o cancro. Neste contexto emerge um crescente interesse cientifico na avaliação do potencial dos compostos voláteis presentes na urina, para fins de diagnóstico clínico. Assim, neste trabalho iremos estabelecer o perfil volatómico urinário de indivíduos com cancro da próstata e compará-lo com indivíduos saudáveis como estratégia para identificar compostos voláteis potenciais biomarcadores deste tipo de cancro. Para isso usaremos a microextração em fase sólida em modo espaço de cabeça (HS-SPME) para a extração dos compostos voláteis, combinada com a cromatografia gasosa-espectrometria de massa (GC-MS) para a identificação dos compostos isolados. Os dados obtidos serão tratados com recurso a ferramentas estatísticas avançadas de forma a evidenciar as possíveis correlações obtidas.

Observações: Neste estágio iremos estabelecer o perfil volatómico urinário de indivíduos com cancro da próstata e compará-lo com indivíduos saudáveis como estratégia para identificar compostos voláteis potenciais biomarcadores deste tipo de cancro. Para isso usaremos a microextração em fase sólida em modo espaço de cabeça (HS-SPME) para a extração dos compostos voláteis, combinada com a cromatografia gasosa-espectrometria de massa (GC-MS) para a identificação dos compostos isolados. Os dados obtidos serão tratados com recurso a ferramentas estatísticas avançadas de forma a evidenciar as possíveis correlações obtidas.

Este estágio não disponibiliza alojamento para alunos deslocados

Este estágio disponibiliza almoços

1º Dia de Estágio

Local de encontro: Universidade da Madeira. Campus da Penteada. Piso 0, sala 0.57. Dia 19 Julho. Hora: 10:00:00 AM
Pessoa de contacto: José Sousa Câmara

Estágio Esgotado


1683. Investigação das faunas pré-históricas de Alvaizáre


Instituição: Centro Português de Geo-História e Pré-História (CPGP)
Responsável: Silvério Figueiredo
Nº Alunos: 5
Anos: 10º, 11º, 12º
Área: Biologia
Data: de 25-07-2022 a 29-07-2022 Horário: Manhã + Tarde
Investigador(es): Silvério Figueiredo_ Carlos Neto de Carvalho_ Vanessa Antunes_ Pedro Proença Cunha.


Descrição: Os alunos vão poder estudar o comportamento dos animais pré-históricos que viveram em Alvaiázere há milhões de anos através do estudo de uma camada geológica com fósseis. Vão poder aplicar métodos de investigação paleontológica neste estudo.

Observações: Estágio de paleontologia.

Este estágio disponibiliza alojamento para alunos deslocados

Este estágio disponibiliza almoços

1º Dia de Estágio

Local de encontro: Núcleo Museológico do CPGP (São Caetano - Golegã) Hora: 9:30
Pessoa de contacto: silverio.figueiredo

Inscrição


1681. Isolamento e identificação de bactérias patogénicas em águas superficiais


Instituição: Departamento de Ciências Veterinárias, Universidade de Trás os Montes e Alto Douro (UTAD)
Responsável: Prof. Patricia Poeta
Nº Alunos: 5
Anos: 10º, 12º, 11º
Área: Biologia
Data: de 18-07-2022 a 22-07-2022 Horário: Manhã + Tarde
Investigador(es): Patrícia Poeta, Vanessa Silva, Adriana Silva


Descrição: Os ambientes aquáticos naturais representam um dos mais importantes veículos de disseminação bacteriana. Deste modo, o objetivo principal é fornecer aos participantes treino experimental na área da microbiologia. Cada participante irá trabalhar sozinho e adquirir competências nas metodologias de isolamento e identificação de algumas espécies de bactérias patogénicas.

Observações: Necessário o uso de bata.

Este estágio disponibiliza alojamento para alunos deslocados

Este estágio disponibiliza almoços

1º Dia de Estágio

Local de encontro: Laboratório de Microbiologia Médica Hora: 10.00
Pessoa de contacto: Patricia Alexandra Curado Quintas Dinis Poeta

Inscrição


1495. Isolamento e identificação de bactérias redutoras de sulfato acidófilas ou tolerantes a pH ácido a partir de amostras ambientais afetadas pela atividade mineira


Instituição: Centro de Ciências do Mar do Algarve (CCMAR), Universidade do Algarve
Responsável: Jorge Carlier
Nº Alunos: 2
Anos: 10º, 12º, 11º
Área: Biologia, Geologia
Data: de 08-08-2022 a 12-08-2022 Horário: Manhã
Investigador(es): Jorge Carlier


Descrição: As bactérias redutoras de sulfato (SRB) têm vindo a ser utlizadas de forma eficiente para o tratamento de águas ácidas de mina (AMD). Contudo, os processos de biorremediação ambiental em que estão envolvidas requerem uma etapa prévia de neutralização da AMD dada a intolerância da maior parte destas bactérias ao pH ácido da AMD.
A utilização de SRB acidófilas em processos de biorremediação da AMD, diminuindo a amplitude (ou mesmo abdicando) da etapa de pré-tratamento químico, constituiria uma vantagem do ponto de vista económico e ambiental.
Os estagiários serão convidados a preparar culturas enriquecidas de SRB para além de outros procedimentos em curso no laboratório, tendo em vista o objetivo de enriquecer culturas líquidas em meios de cultura adaptados com valores de pH ácido, e posteriormente isolar colónias de SRB em meio sólido a partir dessas culturas.

Observações: Não estão previstas atividades durante o fim-de-semana, pelo que não estão contempladas refeições durante este período. Só será assegurado o alojamento a alunos deslocados.
Para trabalhos de laboratório, o aluno deverá trazer e usar a sua bata pessoal.
Para trabalho e saídas de campo, o aluno deverá usar protetor solar, chapéu e beber água com frequência, por causa do calor.

Este estágio não disponibiliza alojamento para alunos deslocados

Este estágio não disponibiliza almoços

1º Dia de Estágio

Local de encontro: Frente ao edf. 7 - campus de Gambelas da UAlg Hora: 09:00:00
Pessoa de contacto: Jorge Carlier

Estágio Esgotado


1628. Micropropagar plantas medicinais, e depois?


Instituição: Departamento de Genética e Biotecnologia, Universidade de Trás os Montes e Alto Douro (UTAD)
Responsável: Fernanda Maria Madaleno Rei Tomás Leal Santos
Nº Alunos: 5
Anos: , 10º, 12º, 11º
Área: Biologia, Ciências da Saúde
Data: de 04-07-2022 a 08-07-2022 Horário: Manhã + Tarde
Investigador(es): Fernanda Maria Madaleno Rei Tomás Leal Santos


Descrição: Sabias que aproximadamente ¼ dos medicamentos que tomamos são obtidos de plantas medicinais?
Vem aprender como podemos multiplicar essas plantas, para as ter disponíveis durante todo o ano e não estarem em perigo de extinção devido à elevada procura. Vem conhecer alguns dos metabolitos secundários a partir dos quais se preparam os medicamentos e saber como podemos extraí-los das plantas.

Recomenda-se que os participantes tragam bata e calçado confortável para caminhar.

Observações: Recomenda-se que os participantes tragam bata e calçado confortável para caminhar.

Este estágio disponibiliza alojamento para alunos deslocados

Este estágio disponibiliza almoços

1º Dia de Estágio

Local de encontro: UTAD, Edificio Blocos Laboratoriais sala A0.09 Hora: 10:00:00 AM
Pessoa de contacto: Fernanda Maria Madaleno Rei Tomás Santos

Estágio Esgotado


1751. Minhokisses


Instituição: Centro de Investigação e Tecnologias Agroambientais e Biológicas (CITAB), Universidade de Trás os Montes e Alto Douro
Responsável: Ana Maria Coimbra
Nº Alunos: 2
Anos: 10º, 11º
Área: Biologia
Data: de 04-07-2022 a 08-07-2022 Horário: Manhã
Investigador(es): Ana Maria Coimbra, Paula Oliveira, Marta Roboredo, João Ricardo Sousa


Descrição: Este estágio tem como objetivo explorar o uso de minhocas (Eisenia fetida) em investigação científica. Os participantes, ao longo da semana, vão ser envolvidos em diversas atividades, onde o papel da minhoca na prática científica e na aquisição de conhecimento é revelado.
As ações estão pensadas de forma a que os participantes simultaneamente ganhem consciência da importância das minhocas na sustentabilidade dos ecossistemas naturais.

Observações: -

Este estágio não disponibiliza alojamento para alunos deslocados

Este estágio disponibiliza almoços

1º Dia de Estágio

Local de encontro: Entrada do edifício de Geociências-Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (Polo I-ECVA) Hora: 9:30
Pessoa de contacto: Ana Maria Coimbra

Estágio Esgotado


1769. Moléculas que controlam os fungos que causam doenças em plantas


Instituição: Linking Landscape, Environment, Agriculture and Food (LEAF), Instituto Superior de Agronomia
Responsável: Helena Azinheira
Nº Alunos: 5
Anos: 10º, 11º, 12º
Área: Biologia
Data: de 04-07-2022 a 08-07-2022 Horário: Manhã
Investigador(es): Helena Gil Azinheira Leonor Guimarães Andreia Loureiro


Descrição: Vem conhecer e participar nas atividades do Centro de Investigação da Ferrugens do Cafeeiro (CIFC) que tem ajudado a criar cafeeiros resistentes às doenças. A antracnose dos frutos verdes do cafeeiro (coffee berry disease - CBD) é uma importante doença do cafeeiro causada pelo fungo Colletotrichum kahawae. Propõe-se realizar: (1) Extração de DNA, RNA e proteína do micélio do fungo_ (2) quantificação de DNA, RNA e proteína_ (3) Separação das moléculas por diferentes técnicas de electroforese em gel_ (4) Estudo do RNA por PCR em Tempo Real_ (5) Analise dos resultados.

Observações: O estacionamento no local é possível e pago

Este estágio não disponibiliza alojamento para alunos deslocados

Este estágio não disponibiliza almoços

1º Dia de Estágio

Local de encontro: Edifício Principal do Instituto Superior de Agronomia - Tapada da Ajuda Hora: 9h30m
Pessoa de contacto: Helena Azinheira

Estágio Esgotado


1536. Naturalmente... Limão


Instituição: Centro de Inovação em Engenharia e Tecnologia Industrial (CIETI), Instituto Superior de Engenharia do Porto
Responsável: Jorge Garrido
Nº Alunos: 2
Anos: 10º
Área: Biologia
Data: de 04-07-2022 a 08-07-2022 Horário: Manhã
Investigador(es): Jorge Garrido_ E. Manuela Garrido_ Paulo Silva


Descrição: A natureza sempre despertou na humanidade um fascínio encantador não só pelos recursos oferecidos para a alimentação humana como também por ser responsável pela obtenção da maioria das substâncias orgânicas conhecidas e usadas atualmente. A relação entre o homem e as plantas foi muito estreita ao longo do desenvolvimento de quase todas as civilizações.
Para além de alimentos, muitas plantas e frutos produzem/possuem produtos orgânicos de alto valor económico (óleos, resinas, borracha, gomas, cera, corantes, aromas, etc.). Neste estágio científico propomos-te que descubras novos aspetos ligados ao uso, aplicação e investigação de produtos naturais. Poderás trabalhar nos nossos laboratórios e descobrir por ti mesmo como se obtém o ácido cítrico, uma das substâncias mais utilizadas pela indústria alimentar e de bebidas, a partir do limão.

Observações: Mais informações sobre o ISEP e o CIETI em https://www.isep.ipp.pt/ e http://www.cieti.isep.ipp.pt/

Este estágio não disponibiliza alojamento para alunos deslocados

Este estágio não disponibiliza almoços

1º Dia de Estágio

Local de encontro: Instituto Superior de Engenharia do Porto - Átrio do edifício H Hora: 10:00:00 AM
Pessoa de contacto: Jorge Garrido_ E. Manuela Garrido_ Paulo Silva

Estágio Esgotado


1682. O mundo oculto da Tapada da Ajuda: fungos micorrízicos arbusculares nos solos da Vinha, da Horta e do Observatório Astronómico


Instituição: Linking Landscape, Environment, Agriculture and Food (LEAF), Instituto Superior de Agronomia
Responsável: Amaia Miren Nogales Garcia
Nº Alunos: 2
Anos:
Área: Biologia
Data: de 11-07-2022 a 15-07-2022 Horário: Manhã
Investigador(es): Rosalba Fors Amaia Nogales


Descrição: Os fungos micorrízicos são microrganismos do solo que estabelecem relações benéficas com as plantas. Ao entrarem nas raízes, ajudam as plantas a absorver melhor os nutrientes e água do solo. Existe uma grande diversidade de fungos micorrízicos de acordo com as espécies de plantas e o tipo de solo de cada área. Assim, coletando amostras de solo em sítios de interesse, é possível determinar a diversidade micorrízica presente. Isso é possível através da observação dos esporos formados por estes fungos, os quais variam quanto a cor, tamanho, e a presença ou não de curiosas ornamentações, características que por sua vez servem para diferenciar as espécies.
O objetivo deste estágio é coletar amostras de solo da Tapada da Ajuda, nomeadamente de solos agrícolas da vinha e da horta, e de um solo não agrícola referente à zona do Observatório Astronómico. A partir das amostras de solo o estudante irá extrair os esporos de fungos, separá-los a partir das características morfológicas acima mencionadas e fotografá-los no microscópio. Finalmente, o estudante irá selecionar os tipos de esporos mais abundantes em cada solo e os inoculará em plantas de alho francês para estabelecer culturas puras, contribuindo assim a ampliar a coleção Nacional de fungos micorrízicos do ISA.

Observações: Os fungos micorrízicos são microrganismos do solo que estabelecem relações benéficas com as plantas. Ao entrarem nas raízes, ajudam as plantas a absorver melhor os nutrientes e água do solo. Existe uma grande diversidade de fungos micorrízicos de acordo com as espécies de plantas e o tipo de solo de cada área. Assim, coletando amostras de solo em sítios de interesse, é possível determinar a diversidade micorrízica presente. Isso é possível através da observação dos esporos formados por estes fungos, os quais variam quanto a cor, tamanho, e a presença ou não de curiosas ornamentações, características que por sua vez servem para diferenciar as espécies.
O objetivo deste estágio é coletar amostras de solo da Tapada da Ajuda, nomeadamente de solos agrícolas da vinha e da horta, e de um solo não agrícola referente à zona do Observatório Astronómico. A partir das amostras de solo os estudantes irão extrair os esporos de fungos, separá-los a partir das características morfológicas acima mencionadas e fotografá-los no microscópio. Finalmente, os estudantes irão selecionar os tipos de esporos mais abundantes em cada solo e os inocularão em plantas de alho francês para estabelecer culturas puras, contribuindo assim a ampliar a coleção Nacional de fungos micorrízicos do ISA.

Este estágio não disponibiliza alojamento para alunos deslocados

Este estágio não disponibiliza almoços

1º Dia de Estágio

Local de encontro: Edificio principal do Instituto Superior de Agronomia Hora: 9:00
Pessoa de contacto: Rosalba Fors e Amaia Nogales

Inscrição


1655. O papel dos genes e das proteínas na resposta das plantas aos stresses ambientais


Instituição: Instituto Mediterrâneo para a Agricultura, Ambiente e Desenvolvimento (MED) Universidade de Évora
Responsável: Lénia Rodrigues
Nº Alunos: 4
Anos: 10º, 11º, 12º
Área: Biologia
Data: de 29-08-2022 a 02-09-2022 Horário: Manhã + Tarde
Investigador(es): Lénia Rodrigues, Hélia Cardoso, Catarina Campos


Descrição: Durante o seu ciclo de vida as plantas são expostas a diversos fatores de stress. Vários estudos demonstraram que as mesmas têm capacidade para ajustar as suas funções fisiológicas e moleculares para se adaptarem a condições ambientais adversas. Uma das proteínas com um papel de destaque na regulação e adaptação ao stress é a enzima Oxidase Alternativa (AOX), desempenhando um papel de relevo ao nível da respiração secundária das plantas.
Nesta ação os alunos irão verificar, a nível genético e proteico, em sementes de ervilha, o efeito do stress provocado por temperaturas extremas.
Esta ação integra investigadores do laboratório de Biologia Molecular: Lénia Rodrigues, Hélia Cardoso, Catarina Campos.

Observações: A atividade desenvolve-se no lab.Biologia Molecular, Pólo da Mitra, Universidade de Évora, MED.

Este estágio disponibiliza alojamento para alunos deslocados

Este estágio disponibiliza almoços

1º Dia de Estágio

Local de encontro: Pólo da Mitra, Edifício Santos Júnior, Lab. Biologia molecular Hora: 10:00:00 AM
Pessoa de contacto: Lénia Rodrigues

Estágio Esgotado


1764. O Peixe-Zebra a nadar na Ciência


Instituição: Centro de Investigação em Saúde e Ambiente CISA.ESS| P.Porto
Responsável: Pedro Costa
Nº Alunos: 4
Anos: 10º, 11º
Área: Biologia
Data: de 18-07-2022 a 22-07-2022 Horário: Manhã + Tarde
Investigador(es): Pedro Silva Costa Joana Cristina da Costa Lemos


Descrição: Na investigação científica é comum recorrer a modelos animais para estudar efeitos provocados por diversos factores/agentes biológicos, químicos ou físicos que não são fáceis de acompanhar na espécie humana. De entre os vários modelos disponíveis, o recurso a aquacultura de peixe-zebra (zebrafish, danio rerio) tem-se tornado muito comum. No nosso laboratório este animal aquático é usado para estudar os efeitos biológicos da radiação ionizante.
Neste estágio pretende-se apresentar o trabalho com este modelo animal e explorar a implementação de um sistema de aquacultura, o controlo de parâmetros físico-químicos da qualidade da água (temperatura, pH, stress amoníaco,…) e o modo adequado de proceder à manutenção e alimentação dos animais.

Observações: Estágio focado em actividades laboratorais relativas a sistema de aquacultura com peixe-zebra

Este estágio não disponibiliza alojamento para alunos deslocados

Este estágio disponibiliza almoços

1º Dia de Estágio

Local de encontro: Recepção da Escola Superior de Saúde Hora: 9:30
Pessoa de contacto: Pedro Silva Costa_ Joana Cristina da Costa Lemos

Inscrição


1799. O que nos diz a madeira ao longo da vida da árvore?


Instituição: Centro de Estudos Florestais (CEF), Instituto Superior de Agronomia
Responsável: Vicelina Sousa
Nº Alunos: 2
Anos: 10º
Área: Biologia
Data: de 27-06-2022 a 08-07-2022 Horário: Manhã + Tarde
Investigador(es): Vicelina Sousa, Teresa Quilhó, Cristiana Alves


Descrição: O estágio será realizado nos laboratórios de Anatomia Vegetal e de Análise de Imagem, do Centro de Estudos Florestais, sob orientação de investigadores especializados. Durante a semana os estagiários terão a possibilidade de participar nos trabalhos de investigação em curso e de aprender as principais técnicas de laboratório utilizadas na caracterização anatómica da madeira e casca. O programa inclui: a preparação de diferentes amostras, a obtenção de cortes histológicos ao micrótomo, a coloração e a montagem de lâminas para observação ao microscópio.
Pretende-se analisar como varia a estrutura da madeira ao longo da vida da árvore e como é possível determinar a sua idade e interpretar os efeitos fisiológicos, ecológicos e ambientais.

Observações: Os estagiários deverão trazer bata branca. O estágio contempla almoço no refeitório, excluindo no primeiro dia.

Este estágio não disponibiliza alojamento para alunos deslocados

Este estágio disponibiliza almoços

1º Dia de Estágio

Local de encontro: Átrio do Edifício Principal do Instituto Superior de Agronomia Hora: 14 horas
Pessoa de contacto: Vicelina Sousa

Inscrição


1611. Produtos Naturais - extracção e avaliação de propriedades biológicas


Instituição: Centro de Química da Madeira (CQM), Universidade da Madeira
Responsável: Paula Castilho
Nº Alunos: 2
Anos: 10º, 11º
Área: Biologia
Data: de 11-07-2022 a 15-07-2022 Horário: Manhã + Tarde
Investigador(es): Paula Castilho Verónica Pereira Vanessa Santos


Descrição: Os desperdícios (cascas, caroços...) de vários frutos que usamos na alimentação são normalmente descartados mas podem ser importantes fontes de substâncias com interessantes propriedades biológicas_ no entanto, também podem ser tóxicos. Nesta semana, vamos usar alguns desses desperdícios (sementes de anona e de papaia, cas cas de laranja e de limão) para preparar extractos alcoólicos e avaliar a sua potencial toxicidade usando larvas de crustáceo (Artemia salina) como organismo modelo. Vamos comparar a toxicidade do extrato com a de compostos puros obtidos (por estudantes universitários) a partir dos mesmos subprodutos alimentares.

Observações: Produtos Naturais - extracção e avaliação de propriedades biológicas

Este estágio não disponibiliza alojamento para alunos deslocados

Este estágio disponibiliza almoços

1º Dia de Estágio

Local de encontro: Sala 0.57 do Campus Universitário da Penteada Hora: 10:00:00 AM
Pessoa de contacto: Paula Cristina Castilho

Inscrição


1795. Proteção biológica - uso de mirídeos para combater pragas de tomateiro


Instituição: Linking Landscape, Environment, Agriculture and Food (LEAF), Instituto Superior de Agronomia
Responsável: Elisabete Figueiredo
Nº Alunos: 1
Anos: 12º
Área: Biologia
Data: de 06-07-2022 a 12-07-2022 Horário: Manhã + Tarde
Investigador(es): Elisabete Figueiredo Rita Morais


Descrição: A proteção biológica é cada vez mais importante pois caminhamos para a produção de alimentos mais saudáveis em sistemas agrícolas cada vez mais sustentáveis. Os mirídeos são insetos predadores, generalistas e que, por isso, se conseguem manter nos ecossistemas, mas também se alimentam de plantas. Há espécies que são já comercializadas e são usadas em proteção biológica em culturas em estufa. Contudo, estas espécies também se alimentam nas plantas (o que é vantajoso porque conseguem sobreviver na ausência de pragas) mas provocam estragos. Há uma espécie autóctone, não comercializada e que por aparentemente causar estragos menos importantes está neste momento a ser avaliada com vista a utilização futura em programas de proteção biológica de conservação em culturas protegidas.

Observações: Estágio inserido num projeto de investigação

Este estágio não disponibiliza alojamento para alunos deslocados

Este estágio disponibiliza almoços

1º Dia de Estágio

Local de encontro: Instituto Superior de Agronomia - receção do Edificio principal, Tapada da Ajuda, Lisboa Hora: 9:30
Pessoa de contacto: Rita Morais

Estágio Esgotado


1796. Proteção biológica - uso de mirídeos para combater pragas de tomateiro


Instituição: Linking Landscape, Environment, Agriculture and Food (LEAF), Instituto Superior de Agronomia
Responsável: Elisabete Figueiredo
Nº Alunos: 1
Anos: 11º
Área: Biologia
Data: de 27-06-2022 a 01-07-2022 Horário: Manhã + Tarde
Investigador(es): Elisabete Figueiredo Rita Morais


Descrição: A proteção biológica é cada vez mais importante pois caminhamos para a produção de alimentos mais saudáveis em sistemas agrícolas cada vez mais sustentáveis. Os mirídeos são insetos predadores, generalistas e que, por isso, se conseguem manter nos ecossistemas, mas também se alimentam de plantas. Há espécies que são já comercializadas e são usadas em proteção biológica em culturas em estufa. Contudo, estas espécies também se alimentam nas plantas (o que é vantajoso porque conseguem sobreviver na ausência de pragas) mas provocam estragos. Há uma espécie autóctone, não comercializada e que por aparentemente causar estragos menos importantes está neste momento a ser avaliada com vista a utilização futura em programas de proteção biológica de conservação em culturas protegidas.

Observações: Estágio inserido num projecto de investigação

Este estágio não disponibiliza alojamento para alunos deslocados

Este estágio disponibiliza almoços

1º Dia de Estágio

Local de encontro: Instituto Superior de Agronomia - receção do Edificio principal, Tapada da Ajuda, Lisboa Hora: 9:30
Pessoa de contacto: Rita Morais

Inscrição


1567. Que espécies de heras existem em Portugal e para que servem? Uma pequena viagem pela botânica, biologia, paisagismo e horticultura ornamental


Instituição: Linking Landscape, Environment, Agriculture and Food (LEAF), Instituto Superior de Agronomia
Responsável: Pedro Talhinhas
Nº Alunos: 4
Anos: , 10º, 11º
Área: Agronomia, Biologia
Data: de 04-07-2022 a 08-07-2022 Horário: Manhã + Tarde
Investigador(es): Ana Caperta, Ana Luísa Soares, Ana Paula Ramos, Dalila Espírito-Santo, João Cunha Ferreira, Pedro Talhinhas, Teresa do Paço e Vera Ferreira.


Descrição: Durante este estágio dedicaremos atenção às plantas trepadeiras ‘heras’ como forma de permitir contacto com abordagens do âmbito da Botânica, Biologia Molecular, Arquitetura Paisagista, Coberturas Verdes e Horticultura Ornamental. O estágio decorrerá no Instituto Superior de Agronomia (ISA), na Tapada da Ajuda (Alcântara, Lisboa), contando também com saídas de campo.
2ª-feira. Trabalho de campo. Prospeção e colheita de plantas de hera em visita a realizar à Serra de Sintra com recurso a georreferenciação e caracterização ecológica.
3ª-feira. ISA. Identificação das amostras colhidas recorrendo à observação de tricomas e à determinação do tamanho de genoma por citometria de fluxo. Extração de ADN e quantificação por eletroforese.
Estágio no âmbito do projeto Heras.PT do LEAF/ISA_ colaboração de: Ana Caperta, Ana Luísa Soares, Ana Paula Ramos, Dalila Espírito-Santo, João Cunha Ferreira, Pedro Talhinhas, Teresa do Paço e Vera Ferreira.
4ª-feira. Visita ao Jardim Botânico da Ajuda (o mais antigo de Lisboa) e propagação do material vegetal. Utilização de heras em revestimento de paredes.
5ª-feira. ISA. Amplificação do ADN usando a Reação em Cadeia da Polimerase para genes com interesse filogenético e sequenciação.
6ª-feira. ISA. Análise dos resultados. Que espécies de hera ocorrem em Portugal? Como as distinguir, preservar e utilizar? Como extrapolar estes conhecimentos para outras situações?

Observações: Que espécies de heras existem em Portugal e para que servem? Uma pequena viagem pela botânica, biologia, paisagismo e horticultura ornamental

Este estágio não disponibiliza alojamento para alunos deslocados

Este estágio disponibiliza almoços

1º Dia de Estágio

Local de encontro: Instituto Superior de Agronomia (Tapada da Ajuda, sita na Calçada da Tapada, em Alcântara, Lisboa), portão principal Hora: 9:00:00 AM
Pessoa de contacto: Pedro Talhinhas

Estágio Esgotado


1787. Quem atacou o olival?


Instituição: Linking Landscape, Environment, Agriculture and Food (LEAF), Instituto Superior de Agronomia
Responsável: Andreia Loureiro
Nº Alunos: 4
Anos: 10º, 11º
Área: Biologia
Data: de 04-07-2022 a 08-07-2022 Horário: Manhã
Investigador(es): Andreia Loureiro Helena Gil Azinheira


Descrição: Vem descobrir algumas espécies de fungos que podem atacar o olival. A antracnose (gafa) da oliveira é causada por fungos do género Colletotrichum, sendo considerada a doença mais importante do olival e frequentemente alcança níveis epidémicos nos olivais tradicionais do centro e sul de Portugal. Compreender a diversidade destes agentes patogénicos é de extrema importância para o desenvolvimento de estratégias sustentáveis e duráveis de proteção da cultura.
Propõe-se realizar: (1) Identificação, observação e inoculação de fungos em placas com meio de cultura e azeitonas_ (2) Extração de DNA do micélio do fungo_ (3) Quantificação e visualização da integridade do DNA em gel de agarose_ (4) estudo da diversidade genética com uso de marcadores moleculares (PCR)_ (5) Separação das moléculas por electroforese em gel de agarose_ (6) Análise dos resultados.

Observações: O estacionamento no local é possível e pago

Este estágio não disponibiliza alojamento para alunos deslocados

Este estágio não disponibiliza almoços

1º Dia de Estágio

Local de encontro: Porta do Edifício Principal do Instituto Superior de Agronomia - Tapada da Ajuda Hora: 9h30
Pessoa de contacto: Andreia Loureiro

Inscrição


1812. Realização de cortes histológicos de tecidos de diferentes espécies e sua coloração


Instituição: NOVA Medical School
Responsável: Teresa Barona
Nº Alunos: 1
Anos: 10º, 11º, 12º
Área: Biologia
Data: de 11-07-2022 a 15-07-2022 Horário: Tarde
Investigador(es): Teresa Barona e Maria Domingues


Descrição: A Histologia é método pelo qual permite estudar os tecidos e células no seu contexto biológico. Para tal as amostra de tecidos têm de ser sujeitas a uma série de técnicas que permitirão a sua visualização microscópica. Este estágio permitira que o/a aluno/a conheça vários modelos animais para estudo das suas células e tecidos, como se obtém as as amostras e seu processamento e por fim o tipo de coloração que permite ver os diferentes tipos de células e tecidos q constituem um órgão.

Observações: N/A

Este estágio não disponibiliza alojamento para alunos deslocados

Este estágio não disponibiliza almoços

1º Dia de Estágio

Local de encontro: R. Câmara Pestana 6, 6A, 1150-199 Lisboa Hora: 9:30
Pessoa de contacto: Teresa Barona

Estágio Esgotado


1620. Vamos conhecer os ossos dos animais


Instituição: Centro Português de Geo-História e Pré-História (CPGP)
Responsável: Vanessa Cardoso Antunes
Nº Alunos: 3
Anos: 10º, 12º, 11º
Área: Biologia
Data: de 11-07-2022 a 22-07-2022 Horário: Manhã + Tarde
Investigador(es): Vanessa Cardoso Antunes_ Bruna Galamba_ Paulo Regato.


Descrição: Nesta atividade de Osteologia, vamos utilizar esqueletos de animais para aprendermos sobre as adaptações específicas dos vertebrados como, por exemplo, sustentação, postura, alimentação e modo de locomoção. Além de aprender técnicas de montagem de esqueletos.

Observações: Estágio de biologia

Este estágio disponibiliza alojamento para alunos deslocados

Este estágio disponibiliza almoços

1º Dia de Estágio

Local de encontro: Núcleo Museológico do CPGP (São caetano - Golegã) Hora: 10:00:00 AM
Pessoa de contacto: Vanessa Cardoso Cardoso Antunes

Estágio Esgotado


1783. Vamos encontrar novas armas para tratar o cancro


Instituição: Instituto de Investigação Clínica e Biomédica de Coimbra (iCBR) da Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra
Responsável: Raquel Alves
Nº Alunos: 1
Anos: 10º, 11º, 12º
Área: Biologia
Data: de 18-07-2022 a 22-07-2022 Horário: Manhã
Investigador(es): Ana Cristina Gonçalves, Beatriz Lapa, Joana Jorge, Raquel Alves


Descrição: O cancro continua a ser uma doença incurável e apesar de existirem vários tratamentos disponíveis, alguns tipos de cancro não tem um tratamento eficaz ou então não sensíveis aos tratamentos aprovados. Assim, é necessário descobrir novos alvos e tratamentos mais eficazes e seletivos. Ao longo do estágio os alunos terão oportunidade de contactar com várias técnicas e metodologias de Biologia Celular e Molecular, tais como, cultura de células, extração de ácidos nucleicos, PCR, microscopia ótica, deteção e quantificação de proteínas por citometria de fluxo. A cooperação dos jovens investigadores com os doutorandos e mestrandos, durante a semana de trabalhos laboratoriais, permitirá um primeiro contacto com a componente prática de investigação.

Observações: O estágio abordará o que é e para que serve a cultura celular, em particular a sua aplicação na área do tratamento oncológico. As tecnologias complementares utilizadas na área da oncobiologia serão também disponibilizadas aos alunos.

Este estágio não disponibiliza alojamento para alunos deslocados

Este estágio não disponibiliza almoços

1º Dia de Estágio

Local de encontro: Local de encontro: Entrada subunidade 1 da FMUC, Polo das Ciências da Sáude/ Pessoa contacto: Raquel Alves Hora: 10h
Pessoa de contacto: Raquel Alves

Estágio Esgotado


1793. Vamos fazer cerâmica ecológica com ovos e café


Instituição: Geobiociências, Geoengenharias e Geotecnologias (GeoBioTec) - FCT NOVA
Responsável: Carlos Galhano
Nº Alunos: 4
Anos: 10º, 11º
Área: Biologia
Data: de 04-07-2022 a 08-07-2022 Horário: Manhã + Tarde
Investigador(es): Carlos Galhano Joaquim Simão José António Pedro Lamas Eduarda Ferreira


Descrição: Os alunos terão a experiência de executar peças cerâmicas recorrendo ao uso de cascas de ovos e borras de café, que normalmente são colocadas no lixo orgânico. Vamos por isso, fazer tijolos e peças cerâmicas ecológicas e sustentáveis.

Observações: Local: Departamento de Ciências da Terra - Edificio IX - junto da Estátua.

Este estágio disponibiliza alojamento para alunos deslocados

Este estágio disponibiliza almoços

1º Dia de Estágio

Local de encontro: Departamento de Ciências da Terra da FCT NOVA Hora: 10:00
Pessoa de contacto: Carlos Galhano

Estágio Esgotado


1635. Vamos prevenir a formação de metástases cerebrais de cancro da mama


Instituição: Faculdade de Farmácia, Universidade de Lisboa - Instituto de Investigação do Medicamento - iMed
Responsável: Maria Alexandra Brito
Nº Alunos: 2
Anos: 10º, 11º, 12º
Área: Biologia, Química
Data: de 27-06-2022 a 01-07-2022 Horário: Manhã + Tarde
Investigador(es): Maria Alexandra Brito, Ana Rita Garcia, Joana Godinho Pereira


Descrição: O cancro da mama é a patologia maligna mais frequente nas mulheres, levando ao desenvolvimento de metástases cerebrais em 15 a 25% das doentes. As metástases cerebrais de cancro da mama são uma situação clínica muito preocupante, pelo facto de estarem associadas a reduzida qualidade de vida e diminuta sobrevivência. As metástases cerebrais formam-se após passagem das células malignas através das células endoteliais que revestem os capilares sanguíneos cerebrais. Estas células têm uma estrutura única e complexa, conhecida por barreira hematoencefálica. O Laboratório Neurovascular dedica-se ao estudo da passagem das células de cancro da mama através da barreira hematoencefálica e ao desenvolvimento de estratégias para a sua prevenção, de modo a evitar a formação das metástases cerebrais. O objetivo do presente estágio é proporcionar aos alunos a compreensão dos fundamentos científicos do processo de metastização cerebral, bem como de metodologias atuais para o seu estudo. Para o efeito, durante o estágio o aluno terá contacto com diversas técnicas de biologia celular e molecular. Entre estas, conta-se a cultura das células de cancro da mama e das células endoteliais da barreira hematoencefálica, isoladamente e em conjunto, de modo a mimetizar a situação patológica. Será também analisada a expressão de proteínas de interesse pelo método de imunofluorescência, distinguindo um tipo celular do outro recorrendo a marcadores específicos, de modo a estabelecer as alterações resultantes da interação. Será ainda avaliado o efeito de modeladores específicos na prevenção das alterações resultantes da exposição das células endoteliais às células de cancro da mama. Globalmente, este estágio proporcionará ao aluno bases para o seu desenvolvimento científico nas áreas da Biologia, Bioquímica, Medicina e Ciências Farmacêuticas e Biomédicas. Também importante é o facto de proporcionar a integração num ambiente de investigação, em contexto real, acompanhando o trabalho de jovens cientistas que se encontram a desenvolver as suas teses de doutoramento.

Observações: O estágio “Vamos prevenir a formação de metástases cerebrais de cancro da mama” realiza-se no Laboratório Neurovascular, Instituto de Investigação do Medicamento, Faculdade de Farmácia de Lisboa. O aluno integrará uma equipa dedicada ao estudo das metástases cerebrais de cancro da mama, tendo a oportunidade de acompanhar os trabalhos em curso e de aprender múltiplas metodologias, seus fundamentos e procedimentos. Em particular, o aluno tomará contacto com culturas de células de complexidade crescente, incluindo culturas simples e culturas mistas ou co-culturas. Acompanhará também a avaliação das alterações decorrentes da interação celular e sua modelação, recorrendo à análise da morfologia das células por microscopia de fluorescência, bem como de proteínas de interesse por imunofluorescência. Globalmente, este estágio proporcionará ao aluno o contacto com um ambiente de investigação em contexto real, fornecendo-lhe bases para o seu desenvolvimento científico nas áreas da Biologia, Medicina e Ciências Farmacêuticas e Biomédicas.

Este estágio não disponibiliza alojamento para alunos deslocados

Este estágio disponibiliza almoços

1º Dia de Estágio

Local de encontro: Entrada da Faculdade de Farmácia, Universidade de Lisboa Hora: 9:00:00 AM
Pessoa de contacto: Maria Alexandra Brito

Estágio Esgotado


1674. Vem descobrir as Ciências da Vida


Instituição: Departamento de Ciencias da Vida, NOVA School of Science and Technology, Universidade Nova de Lisboa
Responsável: Paula Videira
Nº Alunos: 2
Anos: 10º, 11º, 12º
Área: Tecnologia, Biologia
Data: de 11-07-2022 a 15-07-2022 Horário: Manhã + Tarde
Investigador(es): Paula Alexandra Quintela Videira Pedro Costa Alexandra Fernandes Jaime Mota Claudia Carvalho Jose Paulo


Descrição: As Ciências da Vida integram a Microbiologia, Genética, Biotecnologia, Nanobiotecnologia, Biologia Celular, Imunologia,
Durante este estágio, os alunos realizarão diversas experiências para investigar:
i) a patogenicidade e diversidade de microrganismos
ii) a organização sub-celular de uma célula
iii) a capacidade das bactérias em produzir estruturas multicelulares
iv) a diversidade e percurso evolutivo das leveduras e a relevância do estudo da sua ecologia e fisiologia
v) a capacidade de resposta do nosso sistema imunológico como mecanismo de defesa contra patogénios
vii) o desenvolvimento de cancro e a importância do desenvolvimento de novas terapias.
Os alunos aprenderão a (1) manusear culturas de microrganismos e de células humanas, (2) a analisar amostras humanas em contexto fisiológico e de doença como a infeção e o cancro e (3) a trabalhar com técnicas de análise normalmente usadas no trabalho de rotina de um laboratório de Microbiologia, Biologia Molecular e Genética, (4) conhecer a importância e o funcionamento da Colecção Portuguesa de Leveduras (PYCC) localizada no Departamento de Ciências da Vida.
Website https://www.dcv.fct.unl.pt/

Observações: Departamento de Ciencias da Vida, NOVA School of Science and Technology, Monte da Caparica

Este estágio não disponibiliza alojamento para alunos deslocados

Este estágio disponibiliza almoços

1º Dia de Estágio

Local de encontro: Departamento de Ciencias da Vida, NOVA School of Science and Technology Hora: 10:00:00 AM
Pessoa de contacto: Paula Alexandra Quintela Videira

Estágio Esgotado


1726. Vem descobrir o cérebro ao microscópio


Instituição: Faculdade de Farmácia, Universidade de Lisboa - Instituto de Investigação do Medicamento - iMed
Responsável: Ana Rita Vaz
Nº Alunos: 2
Anos: , 10º, 11º, 12º
Área: Biologia, Ciências da Saúde
Data: de 27-06-2022 a 01-07-2022 Horário: Manhã + Tarde
Investigador(es): Dora Brites Ana Rita Vaz Ana Teresa Matos Marta Santos


Descrição: Que células nervosas existem no cérebro para além dos neurónios e como “conversam” entre si?
De que forma ficam doentes, envelhecem e causam demência? Como devem intervir os fármacos?
Este estágio dá a conhecer as diferentes células nervosas, e foca-se na função dos neurónios e das células da microglia, as células com função imunológica do cérebro, nas doenças neurodegenerativas.

O estágio iniciar-se-á com uma interação entre os alunos dos diversos estágios onde serão divulgadas as atividades científicas.

Os alunos irão contactar de perto com as células do cérebro, e de como estas podem ser modelos de estudo nas doenças neurodegenerativas onde a inflamação tem um papel chave. Poderão observar cada célula numa caixa de cultura, isoladas ou em conjunto com outro tipo celular, de forma a perceber como elas comunicam entre si. Serão obtidos resultados respeitantes à avaliação da sua morfologia, reação perante um estímulo, e quais as vias de sinalização/ disfunção implicadas em modelos de doença, recorrendo a metodologias como a microscopia de fluorescência. Os alunos terão igualmente contacto com outras metodologias de biologia molecular que permitam identificação de proteínas e genes que poderão estar implicados nas doenças neurodegenerativas e que possam constituir potenciais alvos terapêuticos.

No final os alunos apresentarão e discutirão a informação recolhida numa sessão conjunta com colegas de outros estágios na Faculdade, ficando com uma ideia transversal e integrada da aplicação das Ciências Farmacêuticas na Saúde.

A participação neste estágio contribuirá para o enriquecimento do percurso formativo dos jovens, integrando diferentes domínios do conhecimento, nomeadamente as Ciências Farmacêuticas e o Medicamento e a sua investigação.
Observação: Bata necessária.

Observações: n.a

Este estágio não disponibiliza alojamento para alunos deslocados

Este estágio disponibiliza almoços

1º Dia de Estágio

Local de encontro: Entrada Principal da Faculdade de Farmácia, Universidade de Lisboa Hora: 9 a.m.
Pessoa de contacto: Ana Rita Vaz / Dora Brites

Estágio Esgotado


1627. Vem multiplicar plantas em garrafinhas!


Instituição: Departamento de Genética e Biotecnologia, Universidade de Trás os Montes e Alto Douro (UTAD)
Responsável: Ana Lúcia Rebocho Lopes Pinto e Sintra
Nº Alunos: 3
Anos:
Área: Biologia
Data: de 27-06-2022 a 01-07-2022 Horário: Manhã + Tarde
Investigador(es): Ana Lúcia Rebocho Lopes Pinto e Sintra


Descrição: A multiplicaçao vegetativa in vitro e uma metodologıa muıto utıl de propagaçao de plantas, quando estas apresentam dıfıculdades de multıplıcaçao, devıdo a constrangımentos biologıcos varıados. Este estagio permıte um primeiro contacto pratico com estas metodologıas, em que os jovens preparam meıos de cultura, desınfectam materıal vegetal e colocam os explantes em cultura. A par destas actıvıdades, os jovens verao materıal em dıferentes fases do desenvolvımento. Os jovens executarao tambem a ultıma fase da cultura ın vıtro, que e a aclımatızaçao, que consıste na passagem do materıal dos recıpıentes com meıo de cultura para uma mıstura de solo, em condıçoes de humıdade controlada. Assım, com um conjunto de actıvıdades muıto sımples, estes jovhttps://twitter.com/cienciavivaens tomam contacto com uma ımportante ferramenta da produçao e melhoramento vegetal.

Observações: Os estagıos ıncluem o fornecımento de almoço. Os jovens devem trazer roupa sımples e sapatılhas ou calçado fechado.

Este estágio não disponibiliza alojamento para alunos deslocados

Este estágio disponibiliza almoços

1º Dia de Estágio

Local de encontro: Entrada principal do Pólo 1 da Escola das Ciências da Vida e do Ambiente Hora: 9:30:00 AM
Pessoa de contacto: Ana Lúcia Pinto Sintra

Inscrição


1700. Vou ser Cientista por uma semana...


Instituição: Centro de Investigação de Montanha (CIMO), Instituto Politécnico de Bragança
Responsável: Ana Maria Queiroz
Nº Alunos: 3
Anos: 10º, 11º, 12º
Área: Biologia, Química
Data: de 18-07-2022 a 22-07-2022 Horário: Manhã + Tarde
Investigador(es): Ana Maria Queiroz Paulo Brito


Descrição: Atualmente, a Qualidade e Segurança Alimentar são, cada vez mais, preocupações inerentes a todos os consumidores. Para o controlo da qualidade da água e dos alimentos são fundamentais as análises químicas e microbiológicas.
No estágio proposto os participantes terão oportunidade de determinar experimentalmente alguns dos parâmetros químicos e microbiológicos associados à qualidade da água e dos alimentos. Os estagiários terão a possibilidade de um primeiro contacto com alguns equipamentos sofisticados de métodos instrumentais de análise, assim como de colocar em prática algumas das técnicas utilizadas nas análises de microbiologia alimentar, tais como a análise de coliformes e de microrganismos totais em amostras de alimentos, assim como observação de microrganismos ao microscópio.

Observações: Os alunos deverão trazer bata. Estágio com oferta de almoço e possibilidade de alojamento para alunos candidatos selecionados e afastados do local de habitação.

Este estágio disponibiliza alojamento para alunos deslocados

Este estágio disponibiliza almoços

1º Dia de Estágio

Local de encontro: Auditório Alcínio Miguel, Escola Superior de Tecnologia e Gestão, Instituto Politécnico de Bragança Hora: 9:30
Pessoa de contacto: Ana Maria Queiroz/ Paulo Brito

Estágio Esgotado