A FLAD - Fundação Luso-Americana para o Desenvolvimento e a Ciência Viva lançam a segunda edição do concurso Atlântico Júnior para promover a cultura científica e tecnológica através da valorização do Atlântico como sistema natural e do seu papel na sustentabilidade do planeta e na sociedade. O ATLÂNTICO JÚNIOR surge na sequência do FLAD Science Award Atlantic e visa promover nos mais jovens o gosto pela tecnologia, numa perspetiva de trabalho em equipa e de aprender fazendo, dando visibilidade ao seu papel na compreensão do Atlântico e à sua importância para a sustentabilidade do planeta e para as comunidades que o rodeiam.

Durante a primeira edição, foram selecionadas várias aplicações práticas que facilitam a monitorização do Atlântico e dos seus ecossistemas ou que promovem o uso sustentável dos seus recursos. Entre os projetos selecionados, encontraram-se representantes de Portugal Continental e das regiões autónomas dos Açores e da Madeira.

Na edição de 2022/2022, o concurso volta a premiar os melhores trabalhos dentro dos seguintes tópicos:

  • Energias renováveis marinhas (Exemplo: dispositivos para aproveitar energias de ondas e
  • marés).
  • Robôs marinhos com sensores para medir variáveis como por exemplo salinidade, temperatura ou pH)
  • Embarcações inovadoras (Exemplo: veículos solares telecomandados)
  • Tecnologias e processos que contribuam para eliminar ou mitigar a poluição marinha
  • Biotecnologia (Exemplos: fármacos, novos produtos alimentares)

Na apresentação final dos projetos, as equipas vão fazer uma intervenção pública de 10 minutos, uma demonstração prática do protótipo, maquete ou produto produzido e apresentar um poster do projeto.

Aos 3 melhores projetos serão atribuídos os seguintes prémios:

  • 1º lugar: viagem da equipa vencedora aos EUA, mais um prémio pecuniário de 2 000€
  • 2º lugar: valor pecuniário de 2 000 €
  • 3º lugar: valor pecuniário de 1 500 €

Os valores monetários envolvidos nos prémios são atribuídos às escolas sob a forma de equipamentos e materiais necessários para o desenvolvimento de novos projetos na área tecnológica nos anos letivos seguintes, nomeadamente no concurso para o prémio Atlântico Júnior.