Login


NASA detalha os efeitos do sismo de 26 de Dezembro na Terra


Cientistas da NASA, usando dados relativos ao sismo da Indonésia, calcularam que este afectou a rotação da Terra, diminuindo o tamanho do dia, alterou ligeiramente a forma do planeta e desviou alguns centímetros o Pólo Norte.

O Doutor Richard Gross, do Jet Propulsion Laboratory da NASA, em Pasadena, Califórnia, e o Doutor Benjamin Fong Chao, do Goddard Space Flight Center da NASA, em Greenbelt, Maryland, afirmam que todos os sismos têm efeitos na rotação da Terra, embora dificilmente sejam notados.

Chao diz que “qualquer evento físico que envolva o movimento de uma massa afecta a rotação da Terra, desde as variações sazonais no clima até à condução de um carro”.

Gross e Chao têm estado envolvidos no cálculo dos efeitos dos sismos na rotação da Terra, tanto na duração do dia como nas alterações do campo gravitacional da Terra. Também estudam as variações no movimento de precessão que altera a posição do Pólo Norte. O “Pólo Norte médio” foi desviado cerca de 2,5 cm na direcção 145º de Longitude Este. Este desvio para Este é a continuação de um tendência sísmica identificada em estudos anteriores.

Também descobriram que o sismo diminuiu o dia em 2,68 microsegundos. Em termos físicos, equivale à situação de um skater que junta os braços ao corpo para rodar mais depressa. O sismo também afectou a forma da Terra. Descobriram que o achatamento da Terra diminuiu ligeiramente, (cerca de uma parte em 10 milhares de milhão), continuando a tendência dos sismos de tornarem a Terra menos oval.

Para ilustrar a quantidade de massa desviada pelo sismo e a forma como afectou a Terra, Chao compara a situação com o grande reservatório das Três Gargantas, na China. Quando cheio, o reservatório leva 40 km3 de água. Essa mudança de massa aumentaria a duração do dia em cerca de 0,06 microsegundos e tornaria a Terra ligeiramente mais arredondada no centro e achatada no topo. Calcula-se que alteraria a posição do pólo em cerca de 2 centímetros.

Os investigadores concluíram que a alteração na duração do dia causada pelo terramoto de Sumatra foi demasiado pequena para ser detectada, mas pode ser calculada. A alteração da forma da Terra também foi demasiado pequena para ser detectada. Contudo, é possível que o desvio do pólo seja grande o suficiente para ser identificado. Esperam detectar o sinal da duração do dia e desvio do pólo quando os dados sobre a rotação da Terra, a partir do solo e em sensores de posição no espaço, forem revistos.

Os investigadores utilizaram informações da base de dados do Centroid Moment Tensor da Universidade de Harvard, que cataloga grandes sismos. Os dados são calculados com base num conjunto de fórmulas e os resultados são reportados e actualizados no site da NASA.

O sismo ocorrido ao largo da Indonésia a 26 de Dezembro de 2004 registou uma magnitude de 9,0 na Escala de Richter, que indica o tamanho dos terramotos. Foi o quarto maior sismo nos últimos 100 anos e o maior desde o terramoto de 1957 no Alasca.

Este sismo devastador é o resultado da fronteira convergente entre as placas da Índia e da Birmânia. Resulta da acumulação de tensões resultantes da subducção da placa da Índia sob a placa da Birmânia. A deslocação da falha, ou sismo, consistiu num escorregamento da placa da Índia em relação à placa da Birmânia. O efeito geral é uma Terra ligeiramente mais compactada. A zona de subducção que resulta da convergência destas duas placas expressa-se pela fossa de Sunda, que se localiza a Oeste do epicentro.

in http://www.jpl.nasa.gov/news/news.cfm?release=2005-009
(Tradução: Ciência Viva)



Voltar