Estudantes nacionais em grande forma nas Olimpíadas de Matemática, Física e Biologia

Estudantes nacionais que participaram nas Olimpíadas Internacionais de Matemática, Física e Biologia tiveram, nas edições de 2022, prestações que garantiram sete medalhas e menções honrosas. Ciência Viva apoia organização das provas nacionais.

 

Na Matemática, a participação nacional garantiu a melhor pontuação de sempre de uma comitiva portuguesa. Este ano, a prova internacional retomou o formato presencial e, de Oslo, na Noruega, os nossos alunos trouxeram uma medalha de prata, três de bronze e duas menções honrosas.

Tiago Mourão, aluno do 12.º ano da Escola Secundária Santa Maria da Feira, conquistou a medalha de prata; Tiago Marques, aluno do 12.º ano do Colégio Internato Claret, Pedroso, Leonardo Tavares, aluno do 12.º ano da Escola Sec. D. Filipa de Lencastre, Lisboa, e Eduardo Guerreiro, aluno do 12.º ano da Escola Secundária João de Deus, Faro, conquistaram as medalhas de bronze. Mariana Costa, aluna do 12.º ano Escola Sec. Camilo Castelo Branco, Vila Real, e Rafael Inácio, aluno do 11.º ano Escola Secundária Dr. Mário Sacramento, Aveiro, obtiveram menções honrosas. 

A participação de Portugal nas Olimpíadas Internacionais de Matemática é organizada pela Sociedade Portuguesa de Matemática, e a seleção e preparação dos alunos está a cargo do Projeto Delfos, do Departamento de Matemática da Universidade de Coimbra.

O Ministério da Educação, a Ciência Viva, o novobanco e a Fundação Calouste Gulbenkian apoiam a realização das Olimpíadas.

Bronze e quatro menções honrosas para alunos de Física

Numas Olimpíadas cuja organização acabou por ser afetada pela guerra na Ucrânia - estavam agendadas para serem em formato presencial na Bielorrússia, mas acabaram por ser online, organizadas pela Suíça - as estudantes e os estudantes nacionais registaram uma prestação notável: uma medalha de bronze e quatro menções honrosas.

A medalha de bronze foi conquistada por Jorge Costa, do Colégio de Santa Doroteia, em Lisboa, e as quatro menções honrosas foram conquistadas por Afonso Bandeira, da Escola Secundária da Lousã, por Benedita Machado, do Colégio Luso-Francês, no Porto, por Jinghao Ye, da Escola Secundária Júlio Dantas, em Lagos, e por José Silva, da Escola Secundária Alberto Sampaio, em Braga.

As Olimpíadas de Física são uma atividade promovida pela Sociedade Portuguesa de Física com o patrocínio do Ministério da Educação, da Ciência Viva, da Fundação Calouste Gulbenkian e da Universidade de Coimbra.

Duas premiadas são "Raparigas na Ciência"

Benedita Machado e Jinghao Ye, que trouxeram para Portugal duas menções honrosas, são duas das estudantes portuguesas celebradas no livro "Raparigas na Ciência" , uma iniciativa da "Ciência Viva", cuja primeira edição for lançada em fevereiro de 2022. 

O objetivo deste projeto (que surgiu na sequência do "Mulheres na CIência" ) é dar conhecer os rostos de 115 estudantes, de norte a sul do país e do primeiro ciclo ao ensino universitário, que têm demonstrado o seu interesse pelas áreas da ciência e da tecnologia, participando em projetos científicos durante o seu percurso escolar. 

Medalhas de bronze nas Olimpíadas da Biologia

A prestação portuguesa nas 33.ª edição das Olimpíadas Internacionais de Biologia também garantiu medalhas. André Cruz (11.º ano),do Colégio de Gaia - Escola Católica, Vila Nova de Gaia, e Tiago Sousa (11.º ano) da Escola Secundária São João do Estoril, Cascais, conquistaram duas de bronze para a comitiva nacional, que levou ainda à Arménia o aluno Guilherme Gouveia (12.º ano), do Colégio Militar, Lisboa.

A organização da Olimpíadas Portuguesas de Biologia, que apura os finalistas para a fase internacional, está a cargo da Ordem dos Biólogos, em colaboração com o Ciência Viva – Pavilhão do Conhecimento, contando ainda com importantes parcerias com a Direção-Geral de Educação, Fundação Calouste Gulbenkian, EPAL e a Ageas Seguros.