Listagem de Est√°gios

Centro de Investigação em Agronomia, Alimentos, Ambiente e Paisagem (LEAF), Instituto Superior de Agronomia

367. Bebidas à base de leguminosas


Instituição: Centro de Investigação em Agronomia, Alimentos, Ambiente e Paisagem (LEAF), Instituto Superior de Agronomia
Respons√°vel: Carla Margarida Pinheiro Cardoso Duarte
N¬ļ Alunos: 4 Anos: 10¬ļ, 11¬ļ, 12¬ļ, 9¬ļ √Ārea: Agronomia, Qualidade e Seguran√ßa Alimentar, Qu√≠mica, Tecnologia
Data: de 26-07-2021 a 30-07-2021 Hor√°rio: Manh√£ + Tarde
Investigador(es): Carla Margarida Pinheiro Cardoso Duarte


Descri√ß√£o: 26 Julho ‚Äď Manh√£: em sala. Contextualiza√ß√£o do projecto Legumilk ‚Äď Desenvolvimento de bebidas alternativas ao leite com base em leguminosas portuguesas (PTDC_BAA_AGR_28370_2017). Composi√ß√£o nutricional das sementes de tremo√ßo e de gr√£o de bico, em estudo. Explica√ß√£o sobre os efeitos da tecnologia na funcionalidade das sementes: absor√ß√£o de √°gua, remo√ß√£o de antinutrientes, activa√ß√£o de componentes bioactivos com impacto na sa√ļde_ sobre a viscosidade das bebidas que devem ser id√™nticas ao leite de vaca, estabilidade e tempo de prateleira das bebidas. Tarde: visita aos laborat√≥rios e demonstra√ß√£o dos principais m√©todos de determina√ß√£o). Indica√ß√£o de que ter√£o de apresentar no √ļltimo dia, 1 a 2 p√°ginas no m√°ximo, relatando o que aprenderam neste pequeno est√°gio e fazer uma apresenta√ß√£o oral ao grupo em 5 minutos.
27 e 28 Julho - Produ√ß√£o de bebidas √† base de leguminosas portuguesas (gr√£o-de-bico e de tremo√ßo): demolha de sementes, cozedura, moenda, produ√ß√£o da bebida, pasteuriza√ß√£o e refrigera√ß√£o ‚Äď 2 dias de acompanhamento das diferentes actividades.
29 Julho - Manhã: Provas sensoriais de bebidas comerciais à base de plantas: soja, amêndoa, arroz, aveia. Sensibilização para a rotulagem e tabelas nutricionais apresentadas nas embalagens. Tarde: Preparação de diferentes bebidas a partir das duas bebidas fabricadas previamente: adição de polpas de fruta e especiarias (canela e baunilha).
30 Julho - Manh√£: Prova e seria√ß√£o das bebidas por ordem de prefer√™ncia, com preenchimento de uma folha de prova para lhes apresentar a import√Ęncia da avalia√ß√£o sensorial em desenvolvimento de produto alimentar. Tarde: apresenta√ß√Ķes de cada um ao grupo e discuss√£o dos benef√≠cios e falhas da actividade, aproveitando para introduzir as no√ß√Ķes de melhoria continua, autoavalia√ß√£o, follow up, etc.

Observa√ß√Ķes: N/A

Este estágio disponibiliza almoços

1¬ļ Dia de Est√°gio

Local de encontro: Departamento de Ci√™ncias e Engenharia de Biossistemas (DCEB)Edif√≠cio Ferreira Lapa 1¬ļpiso, Tapada da Ajuda1349-017 Lisboa, Portugal Hora: 10:30:00 AM
Pessoa de contacto: Carla Margarida Pinheiro Cardoso Duarte

Est√°gio j√° em curso / terminado

373. Cool crops ‚ÄĚ ‚Äď como regulam a videira e o tomateiro a sua temperatura?


Instituição: Centro de Investigação em Agronomia, Alimentos, Ambiente e Paisagem (LEAF), Instituto Superior de Agronomia
Respons√°vel: miguel costa
N¬ļ Alunos: 2 Anos: 11¬ļ, 12¬ļ √Ārea: Agronomia, Biologia, F√≠sica, F√≠sico-Qu√≠mica, Rob√≥tica
Data: de 20-07-2021 a 27-07-2021 Hor√°rio: Manh√£
Investigador(es): Joaquim Miguel Rangel da Cunha Costa, Mariana Mota


Descrição: Com este mini-projecto, o/a participante ficará a saber como é que a videira e outras espécies regulam a sua temperatura e como é que as trocas gasosas ao nível das folhas (transpiração) influenciam o balanço energético das folhas e a sua temperatura.
O/A participante tomará contacto com princípios básicos sobre a transferência de calor, radiação infravermelha, termografia e sobre os processos da fotossíntese e transpiração.
O aluno/a descobrir√° as vantagens do uso da imagem t√©rmica na agricultura e na investiga√ß√£o em plantas. Medir√£o a temperatura de folhas de videira e tomateiro com um ou com v√°rios tipos de c√Ęmara t√©rmica (ex. ligada ao tel√©movel). A medi√ß√£o da transpira√ß√£o ser√° aferida com um medidor de trocas gasosas. O aluno far√° tamb√©m a observa√ß√£o de estomas nas duas esp√©cies e far√° um pequeno relat√≥rio (2 p√°ginas) sobre o trabalho realizado.

Observa√ß√Ķes: N/A

1¬ļ Dia de Est√°gio

Local de encontro: Instituto Superior de Agronomia - Tapada da Ajuda Hora: 10:00:00 AM
Pessoa de contacto: Joaquim Miguel Rangel da Cunha Costa

Est√°gio j√° em curso / terminado

370. Determinação da Vitamina C em matrizes ou alimentos seleccionados


Instituição: Centro de Investigação em Agronomia, Alimentos, Ambiente e Paisagem (LEAF), Instituto Superior de Agronomia
Respons√°vel: Joel Santos
N¬ļ Alunos: 2 Anos: 9¬ļ, 10¬ļ, 11¬ļ, 12¬ļ √Ārea: Qu√≠mica
Data: de 26-07-2021 a 30-07-2021 Hor√°rio: Manh√£ + Tarde
Investigador(es): Joel Santos


Descri√ß√£o: Os nutrientes s√£o essenciais para a fun√ß√£o metab√≥lica e indispens√°veis para o crescimento, desenvolvimento e manuten√ß√£o das fun√ß√Ķes vitais dos organismos vivos. A Vitamina C √© um desses nutrientes essenciais. Subsequentemente, o objectivo deste est√°gio, √© o estudo dos m√©todos de determina√ß√£o da vitamina C em matrizes seleccionadas, assim como introduzir os alunos √†s pr√°ticas ou t√©cnicas laboratoriais mais b√°sicas.

Observa√ß√Ķes: Os alunos devem trazer bata laboratorial

Este estágio disponibiliza almoços

1¬ļ Dia de Est√°gio

Local de encontro: Edifício principal do Instituto Superior de Agronomia da Universidade de Lisboa Hora: 10:00:00 AM
Pessoa de contacto: Joel Santos

Est√°gio j√° em curso / terminado

366. Higienização de chorume animal para aplicação em horticultura


Instituição: Centro de Investigação em Agronomia, Alimentos, Ambiente e Paisagem (LEAF), Instituto Superior de Agronomia
Respons√°vel: Joana Rodrigues
N¬ļ Alunos: 3 Anos: 10¬ļ, 11¬ļ, 12¬ļ √Ārea: Agronomia
Data: de 19-07-2021 a 23-07-2021 Hor√°rio: Manh√£
Investigador(es): Joana Rodrigues


Descri√ß√£o: Sabias que o chorume animal, pode ser valorizado atrav√©s da sua utiliza√ß√£o como fertilizante org√Ęnico em hort√≠colas, como a alface, o tomate ou as couves? Neste est√°gio vais aprender que podemos higienizar o chorume animal, atrav√©s da modifica√ß√£o do seu pH, com adi√ß√£o de √°cidos e bases. Vais aprender novas t√©cnicas e realizar an√°lises f√≠sico-qu√≠micas e microbiol√≥gicas ao chorume tratado, para garantir que √© segura a sua aplica√ß√£o nas culturas agr√≠colas, como alternativa aos fertilizantes qu√≠micos. Finalmente, ir√°s visitar a Terra Grande, na lind√≠ssima Tapada da Ajuda, onde est√£o a decorrer os ensaios de Campo do Projeto CleanSlurry, e a√≠ ter√°s a oportunidade de medir as emiss√Ķes de gases com efeito de estufa, provenientes da aplica√ß√£o do chorume no solo. Em contacto com a Natureza, e neste espa√ßo hist√≥rico e privilegiado em Lisboa, vais certamente aprender e divertir-te!

Observa√ß√Ķes: N/A

1¬ļ Dia de Est√°gio

Local de encontro: À porta do Edifício Principal do Instituto Superior de Agronomia Hora: 10:00:00 AM
Pessoa de contacto: Joana Rodrigues

Est√°gio j√° em curso / terminado

368. Identificação de espécies tropicais pelo seu código de barras genético


Instituição: Centro de Investigação em Agronomia, Alimentos, Ambiente e Paisagem (LEAF), Instituto Superior de Agronomia
Respons√°vel: Dora Batista e Maria Manuel Romeiras
N¬ļ Alunos: 4 Anos: 11¬ļ, 12¬ļ √Ārea: Biologia, Biologia Molecular
Data: de 30-08-2021 a 03-09-2021 Hor√°rio: Manh√£
Investigador(es): Dora Batista e Maria Manuel Romeiras


Descrição: À semelhança do código de barras de um produto de supermercado, podemos utilizar sequências genéticas para identificar e distinguir espécies de qualquer organismo vivo. O DNA barcoding permite não só "catalogar" a biodiversidade mundial para um melhor conhecimento e conservação, mas também, por exemplo, identificar o agente patogénico de uma amostra infetada ou avaliar se um determinado alimento tem a origem que é descrita na embalagem. Transforma-te num detetive da ciência e vem investigar vários casos da aplicação do DNA barcoding em espécies tropicais de plantas e fungos, aplicando técnicas de biologia molecular como extração de DNA, amplificação por PCR, eletroforese dos produtos de PCR e sua purificação e sequenciação. Vais aprender também como se conservam os espécimens colhidos através de uma visita ao Herbário do Instituto Superior de Agronomia e como se consultam plataformas internacionais de disponibilização dos dados sobre biodiversidade.

1¬ļ Dia de Est√°gio

Local de encontro: Porta principal do Edifício Central do Instituto Superior de Agronomia Hora: 9:30:00 AM
Pessoa de contacto: Dora Batista

Est√°gio j√° em curso / terminado

369. Produção de embalagens biodegradáveis para produtos alimentares


Instituição: Centro de Investigação em Agronomia, Alimentos, Ambiente e Paisagem (LEAF), Instituto Superior de Agronomia
Respons√°vel: Vitor Manuel Delgado Alves
N¬ļ Alunos: 2 Anos: 10¬ļ, 11¬ļ, 12¬ļ √Ārea: Biologia, Bioqu√≠mica, Ind√ļstria Alimentar, Qu√≠mica, Tecnologia
Data: de 19-07-2021 a 23-07-2021 Hor√°rio: Manh√£ + Tarde
Investigador(es): Vitor Manuel Delgado Alves


Descrição: O estágio é constituído pelas seguintes etapas:
1 - Introdução acerca dos materiais biodegradáveis utilizados para a produção de embalagens para alimentos, entre os quais se encontram os biopolímeros
2 - Produção das embalagens
3 - Aplicação das embalagens para embalar produtos alimentares
4 - Utilização de materiais que permitem produzir embalagens comestíveis (de fácil reprodução a nível doméstico)

Observa√ß√Ķes: N/A

Este estágio disponibiliza almoços

1¬ļ Dia de Est√°gio

Local de encontro: Instituto Supeior de Agronomia, Edifício Ferreira Lapa, Gabinete 1.3 Hora: 9:30:00 AM
Pessoa de contacto: Prof. Vítor Alves

Est√°gio j√° em curso / terminado

371. Produção de maioneses vegan


Instituição: Centro de Investigação em Agronomia, Alimentos, Ambiente e Paisagem (LEAF), Instituto Superior de Agronomia
Respons√°vel: Sara Sim√Ķes
N¬ļ Alunos: 2 Anos: 10¬ļ, 11¬ļ, 12¬ļ, 9¬ļ √Ārea: F√≠sico-Qu√≠mica, Ind√ļstria Alimentar, Tecnologia
Data: de 26-07-2021 a 30-07-2021 Hor√°rio: Manh√£ + Tarde
Investigador(es): Sara Sim√Ķes/ Anabela Raymundo


Descri√ß√£o: Este est√°gio, inserido no projeto CleanLabel+, tem como objetivo dar a conhecer aos alunos o fundamento da produ√ß√£o de emuls√Ķes alimentares, nomeadamente maioneses. Tendo em conta as tend√™ncias do setor agro-alimentar, nomeadamente a sustentabilidade e a alimenta√ß√£o plant-based, faz todo o sentido reformular a maionese, um produto muito apreciado pelo consumidor comum, mas que apresenta pelo menos um ingrediente de origem animal, o ovo. Para al√©m de produzir e caracterizar maioneses sem ovo (substituindo-o por prote√≠nas vegetais), estas v√£o ainda ser adicionadas de produtos fermentados e/ou microalgas, ingredientes que introduzem valor nutricional mas tamb√©m capacidade de conserva√ß√£o.

Observa√ß√Ķes: Os alunos devem trazer bata.

Este estágio disponibiliza almoços

1¬ļ Dia de Est√°gio

Local de encontro: Edifício Principal do Instituto Superior de Agronomia Hora: 10:00:00 AM
Pessoa de contacto: Anabela Raymundo

Est√°gio j√° em curso / terminado

372. Que esp√©cies de heras existem em Portugal e para que servem? Uma pequena viagem pela bot√Ęnica, biologia, paisagismo e horticultura ornamental


Instituição: Centro de Investigação em Agronomia, Alimentos, Ambiente e Paisagem (LEAF), Instituto Superior de Agronomia
Respons√°vel: Pedro Talhinhas
N¬ļ Alunos: 4 Anos: 9¬ļ, 10¬ļ √Ārea: Biologia, Tecnologia
Data: de 12-07-2021 a 16-07-2021 Hor√°rio: Manh√£ + Tarde
Investigador(es): Pedro Talhinhas


Descri√ß√£o: Durante este est√°gio dedicaremos aten√ß√£o √†s plantas trepadeiras heras como forma de permitir contacto com abordagens do √Ęmbito da Bot√Ęnica, Biologia Molecular, Arquitetura Paisagista, Coberturas Verdes e Horticultura Ornamental. O est√°gio decorrer√° no Instituto Superior de Agronomia (ISA), na Tapada da Ajuda (Alc√Ęntara, Lisboa), contando tamb√©m com sa√≠das de campo.
2ª-feira. Trabalho de campo. Prospeção e colheita de plantas de hera em visita a realizar à Serra de Sintra com recurso a georreferenciação e caracterização ecológica.
3¬™-feira. Visita ao Jardim Bot√Ęnico da Ajuda (o mais antigo de Lisboa) e propaga√ß√£o do material vegetal. Utiliza√ß√£o de heras em revestimento de paredes.
4ª-feira. ISA. Identificação das amostras colhidas recorrendo à observação de tricomas e à determinação do tamanho de genoma por citometria de fluxo. Extração de ADN e quantificação por eletroforese.
5ª-feira. ISA. Amplificação do ADN usando a Reação em Cadeia da Polimerase para genes com interesse filogenético e sequenciação.
6¬™-feira. ISA. An√°lise dos resultados. Que esp√©cies de hera ocorrem em Portugal? Como as distinguir, preservar e utilizar? Como extrapolar estes conhecimentos para outras situa√ß√Ķes?

Este estágio disponibiliza almoços

1¬ļ Dia de Est√°gio

Local de encontro: Instituto Superior de Agronomia (Tapada da Ajuda, sita na Cal√ßada da Tapada, em Alc√Ęntara, Lisboa), port√£o principal Hora: 9:00:00 AM
Pessoa de contacto: Pedro Talhinhas

Est√°gio j√° em curso / terminado