Jornal austríaco elogia papel da Ciência Viva na divulgação científica

Artigo no "Kurier" sobre o ceticismo científico no país austríaco destaca Portugal como grande modelo na comunicação de ciência dentro da UE, assinalando o trabalho das Redes de Centros e Clubes Ciência Viva.

Notícia do "Kurier" compara os dois países, citando dados do Eurobarómetro

"Em nenhum país o ceticismo científico é menor do que em Portigal", afirma o artigo de um dos mais importantes jornais da Áustria, o "Kurier", que cita dados do estudo "Conhecimento e atitudes dos cidadãos europeus em relação à ciência e à tecnologia" (abril-maio 2021), do Eurobarómetro.

A peça, publicada a 21 de agosto de 2022, refere a preocupação do governo austríaco com o ceticismo científico registado entre a população do país, comparando-o com Portugal. Os bons resultados portugueses devem-se, assinala a notícia, ao trabalho da Ciência Viva e ao desenvolvimento da Rede de Centros Ciência Viva, que abrange praticamente todo o território de Portugal Continental e os Açores.

O "Kurier" realça ainda o trabalho feito pela Agência nas escolas portuguesas, através da Rede Nacional de Clubes Ciência Viva, que integra já 708 clubes em 617 Agrupamentos escolares e envolve 555 mil alunos e 4325 professores.

O artigo do "Kurier" diz que "Portugal está na vanguarda", referindo: "Aliás, um grande modelo da UE é Portugal, que pode relembrar uma história de sucesso na divulgação científica dos últimos 25 anos com a divulgação científica da Ciência Viva. Para isso, foram fundados 21 centros de ciência - museus de pesquisa com fácil acesso a todos - que convidam o público a envolver-se. E nas escolas, os alunos trabalham em mais de 200 clubes de ciências. Em nenhum país o ceticismo científico é menor do que em Portugal".