Materiais de Apoio



Vinho do Porto

Objectivo da experiência

Com esta experiência pretende-se verificar se as características físico-químicas de uma amostra de Vinho do Porto se mantêm inalteradas, após uma viagem de 14 dias ao Espaço, onde irá ficar sujeita às condições de microgravidade. As características físico-químicas estudadas serão o perfil cromatográfico do vinho em questão e a distribuição isotópica na molécula.


Metodologia/Descrição do trabalho

De uma garrafa de Vinho do Porto foram retiradas duas amostras, uma para ser enviada para o Espaço, e outra que ficou em Terra. As duas amostras são submetidas ao mesmo tipo de tratamento e análise e os resultados comparados, de modo a permitir tirar conclusões em relação à questão colocada nos objectivos deste trabalho. Ao vinho serão efectuadas as análises de GC e IRMS e ao etanol irão ser efectuadas as análises de SNIF-NMR e IRMS.


A análise

A amostra de Vinho do Porto é dividida em duas partes: uma delas foi embalada em recipientes apropriados para viajar no Shutte STS-108 (Nov/2001), a outra foi armazenada em recipientes iguais, resguardada da luz e à temperatura ambiente.
Depois de regressar da viagem as amostras de vinhovão ser sujeitas ao procedimento esquematizado no seguinte diagrama da análise por SNIF-NMR.

[VER ESQUEMA]

É retirada uma pequena parte da amostra para medição do grau alcoólico. Esta medição é efectuada numa solução obtida por extracção por arrastamento de vapor num Oeno Extracteur e consequente leitura num densímetro.


Fundamentos teóricos

De um modo geral, os átomos existem em múltiplas formas isotópicas. Além disso, os elementos mais abundantes como o Hidrogénio, Carbono, Oxigénio e Azoto, estão sempre acompanhados de quantidades significativas dos seus isótopos.



Na natureza a distribuição isotópica não é aleatória, antes pelo contrário, ela é característica de cada planta e de cada região. A razão Deutério/Hidrogénio, D/H, diminui à medida que a Latitude aumenta, e também, com o aumento da distância em relação ao mar. O vapor de água é pobre em deutério durante a formação das nuvens, relativamente à água do mar. Mas assim que o vapor de água se condensa, a chuva resultante torna-se rica em deutério.



Estes isótopos vão actuar como marcadores naturais dos açúcares biossintetizados nas plantas e funcionar como uma impressão digital deixada no álcool proveniente da biofermentação desses açúcares.


Sobre o vinho do Porto

É crescente a preocupação dos consumidores em adquirir produtos de qualidade estando estes dispostos muitas vezes a pagar um pouco mais por produtos com garantia de qualidade.

O vinho do Porto é um produto chave da economia nacional além de um valor simbólico que distintamente representa Portugal no mundo. O Vinho do Porto distingue-se dos vinhos comuns pelas suas características particulares: uma enorme diversidade de tipos em que surpreende uma riqueza e intensidade de aroma incomparáveis, uma persistência muito elevada quer de aroma quer de sabor, um teor alcoólico elevado (geralmente compreendido entre os 19 e os 22% vol.), numa vasta gama de doçuras e grande diversidade de cores.

Notas

Gravidade - Força de Atracção execida pela Terra sobre os corpos.
Conjunto de átomos ligados entre si através de uma ligação química.
Isótopos são átomos do mesmo elemento químico mas com diferente número de massa atómica.
Distância, em graus, de um lugar ao equador.
Síntese efectuada por microorganismos.
Fermentação efectuada por microorganismos.
Cromatografia gasosa - Com esta análise é possível ficar a conhecer quantos, quais e em que porporção se encontram os diversos compostos constituintes de um Vinho do Porto Espectrometria de Massa de Razões Isotópicas - Com esta análise é possível determinar em que proporção existem os isótopos naturais de Hidrogénio, Carbono e Oxigénio na amostra de Vinho do Porto e do álcool dele obtido por destilação.
Fraccionamento Isotópico Natural Específico por Ressonância Magnética Nuclear - Este método permite identificar a distribuição isotópica dos átomos de Deutério e Hidrogénio na molécula do etanol sendo assim possível distinguir três espécies monodeuteradas representadas pelos seguintes isotópomeros I, II e III:

CH2D-CH2-OH (Tipo I)
CH3-CHD-OH (Tipo II)
CH3-CH2-OD (Tipo III)

Colunas de Cadiot são colunas de destilação de elevada eficiência.
Destilação é um processo de separação de componentes de uma mistura de líquidos.
Karl Fisher – equipamento que determina a quantidade de água numa amostra por titulação automática.
Ressonância Magnética Nuclear.
Composto que se adiciona à amostra e cuja composição isotópica está certificada e a partir do qual se irão determinar as razões isotópicas (TMU).



Voltar