Reposta de Adelina Machado

Reposta de Manuel Matos Lopes


Olá Sandra,

 Viver no Espaço… não é o mesmo que viver na Terra. No entanto, existem muitas semelhanças já que a vida e a actividade dos astronautas, tal como na Terra implica que ele tenha as mesmas necessidades de se alimentar e descansar e de se manter em boa forma física e mental. A forma de fazer tudo isto é que tem que ser algumas vezes modificada para se adaptar às condições no Espaço. Uma parte importante, também como acontece aqui na Terra é o trabalho, que como deves imaginar é muito interessante.

O trabalho divide-se em tarefas de observação do Universo e da Terra, na colocação e manutenção de satélites, em realizar experiências científicas, como por exemplo ver como crescem as plantas, como se comportam os líquidos e os materiais e entender como se comporta o corpo humano. Estas experiências tentam entender as diferenças entre o que se passa em Terra e no Espaço. Existem diferenças, porque no espaço não se sente o efeito da força da gravidade e muitas coisas acontecem por isso de maneira diferente.

Outra parte muito importante do trabalho no Espaço diz respeito a cuidar do bom funcionamento das naves espaciais como o Vaivém Espacial ou a Estação Espacial Internacional, sem o que estas não se podem manter no Espaço. É um pouco, como mantermos a casa arrumada e o carro com o motor a funcionar em condições, aqui na Terra.

Aqui na Terra também organizamos mais ou menos o nosso dia-a-dia, com tempo para dormir, comer, trabalhar e divertir-se, mas, no Espaço esta organização tem que ser muito melhor. E melhor porquê? Porque no espaço as tarefas que estão previstas não podem falhar. Por um lado, porque toda a actividade espacial é muito cara e o tempo tem que ser muito bem aproveitado, e por outro lado, não podem haver falhas nas tarefas de manutenção dos veículos espaciais pois isso pode fazer com que todo o veículo deixe de funcionar, com as consequências que podes imaginar. O veículo espacial, não é só um meio de transporte, ele suporta a vida dos astronautas que dele dependem. Aqui na Terra se um de nós falhar de vez em quando uma tarefa, não põe em risco o "funcionamento" do nosso planeta a Terra vai continuar a movimentar-se no Universo totalmente insensível a essa pequena falha. (Mesmo assim é melhor falharmos o menos possível nas nossas tarefas terrenas).

Esta era a resposta curta. Mas, vamos ver melhor as coisas mais simples do dia-a-dia de um astronauta: como respiram, como dormem, como comem, como se divertem, como se mantêm em forma e como trabalham.

COMO SE RESPIRA?

Para respirar é necessário que exista oxigénio dentro dos veículos espaçais. Por exemplo, a bordo da Estação Espacial Internacional, o oxigénio necessário é obtido a partir da água, que é formada por oxigénio e hidrogénio. Os outros gases provenientes do funcionamento do corpo humano, como o dióxido de carbono produzindo em grande quantidade, são eliminados para o espaço. A água necessária para consumo e para obter oxigénio é transportada em parte para a Estação, mas uma grande parte é reciclada a partir do vapor de água da transpiração, da urina e da água já utilizada.

No vaivém espacial o oxigénio necessário para uma missão, que dura 1 a 2 semanas, é transportado em garrafas.

Existem também a bordo, maneiras de produzir oxigénio de recurso, do tipo dos que se usam nas máscaras de emergência dos aviões.

Higiene diária

Na Terra precisamos de tratar da nossa higiene. E os astronautas também, mas, no espaço esta tarefa dá um pouco mais de trabalho. Não existem casas de banho como nós temos em casa. Mas, os astronautas também têm as suas escovas e pastas de dentes, pentes e lâminas de barbear. O problema é que não há um lavatório e ao lavar os dentes os astronautas têm que usar um lenço para deitar fora a pasta e água de lavagem. Os banhos também são diferentes. Os astronautas usam champôs e sabonetes especiais: não precisam de água para serem tirados. Depois de se lavarem usam uma toalha para os limpar. Estes champôs e sabonetes são usados nos hospitais, para os doentes que não podem contactar com água.

O QUE VESTIR?

Os astronautas vestem muitos tipos de roupa dependendo daquilo que estão a fazer. Seja num lançamento, a trabalhar dentro da nave espacial ou fora no espaço ou de volta à Terra, as roupas tem que ser confortáveis e proteger.

Por exemplo os astronautas da Estação espacial Internacional escolhem as roupas que querem utilizar vários meses antes de irem para a missão. Geralmente, as roupas chegam à estação num veículo de abastecimento, antes dos próprios astronautas.

Como é caro transportar bagagem para o espaço e não existem máquinas de lavar roupa para poupar água, os astronautas não mudam de roupa tão frequentemente como nós fazemos na Terra. Também se sujam menos porque não têm que sair, a não ser nos passeios fora das naves em que usam os fatos espaciais. Normalmente, recebem um par de calções e t-shirt para cada três dias de exercício físico. A roupa de trabalho é mudada cada dez dias, mas a roupa interior e meias são mudadas dia-sim dia-não. Em missões mais curtas como as do vaivém a roupa é mudada mais vezes. Têm direito a meias de “forro polar” para manter os pés quentes e a um par de sapatos de ténis para as sessões de exercício em bicicleta e ainda duas camisolas.

Astronaut Robert Curbeam works outside the International Space Station.

Portrait of the STS-98 crew in the shuttle's flight deck.

Expedition One commander Bill Shepherd is inside the Zvezda Service Module.

Expedition Two Flight Engineer James Voss poses in a Russian flight suit.

Expedition Two commander Yuri Usachev wears a Russian Sokol suit.

Flight Engineers Susan Helms and James Voss pose for a photograph inside the Zvezda Service Module.

Nas roupas dos astronautas encontram-se muitos bolsos e fitas de Velcro, para que possam guardar junto a eles os objectos que utilizam. Sem o efeito da gravidade, qualquer objecto deixado livremente acaba por se perder, flutuando, ficando quase sempre preso nas grelhas dos ventiladores da nave.

Quando uma peça de roupa é usada o mais possível é posta num saco para ser descartada. Pouca roupa é trazida de volta para a Terra.

Durante o lançamento e regresso à Terra das naves espaciais os astronautas usam uns fatos especiais. Já viste se calhar aqueles fatos laranja com que se vestem quando vão a caminho do Vaivém Espacial prontos para o lançamento.

Estes fatos mantêm a pressão no corpo do astronauta se houver alguma perda de pressão durante um acidente e mantêm também a temperatura no caso, de por exemplo terem que saltar para a água fria do oceano. Mas têm mais coisas este fatos: um sistema de oxigénio para a respiração, um sistema de para quedas, um barco salva vidas insuflável, 2 litros de água para beber, sistemas de flutuação e um colete de sobrevivência com um farol que envia um sinal via rádio para localização, um espelho para fazer sinais de luzes, uma faca para cortar os cabos do paraquedas que se podem enrolar, uma pistola, do tamanho de uma caneta, para lançar foguetes luminosos de sinalização, uma tinta para corar a água do mar e uma pistola de fumo, tudo para facilitar a localização do astronauta.

Existem ainda uns fatos para ocasiões muito especiais. Para quando os astronautas têm que sair da protecção da nave espacial e realizar tarefas no exterior. Mesmo no espaço! Chamam-se a estas saídas, Actividades Extra Veiculares, claro. Normalmente só se fazem estas saídas quando é necessário arranjar qualquer coisa na nave ou num satélite e isto tem que ser feito directamente pelo astronauta no exterior. É uma actividade em que o astronauta corre um risco muito grande ao expor-se ao vazio espacial e à radiação cósmica. Por isso o tal fatinho para ocasiões especiais, o Fato Espacial, tem que o proteger de todas estas coisas. É feito de várias camadas de materiais muito resistentes, mantêm a pressão no corpo do astronauta fornece-lhe oxigénio para a respiração e tem pequenos motores a jacto para que o astronauta se possa movimentar estando, no entanto, sempre preso à nave espacial. Tem tudo isto e mesmo assim tem que deixar que o astronauta possa fazer quase todos os seus movimentos, senão não ia conseguir consertar nada.

Vamos ao trabalho

O trabalho divide-se em tarefas de observação do Universo e da Terra, na colocação e manutenção de satélites, em realizar experiências científicas, como por exemplo ver como crescem as plantas, como se comportam os líquidos e os materiais e entender como se comporta o corpo humano. Estas experiências tentam entender as diferenças entre o que se passa em Terra e no Espaço. Existem diferenças, porque no espaço não se sente o efeito da força da gravidade e muitas coisas acontecem por isso de maneira diferente.

Outra parte muito importante do trabalho no Espaço diz respeito a cuidar do bom funcionamento das naves espaciais como o Vaivém Espacial ou a Estação Espacial Internacional, sem o que estas não se podem manter no Espaço. É um pouco, como mantermos a casa arrumada e o carro com o motor a funcionar em condições, aqui na Terra.

A propósito de casa arrumada: esta deve ser a parte menos interessante do trabalho no espaço, mas, tal como nós temos que manter os nosso quartos e casas arrumados e limpos na Terra, os astronautas também têm que limpar as paredes, chão e janelas. Usam um sabão que mata os germes e usam toalhetes para limpar e lavar coisas, como por exemplo, os garfos, colheres e tabuleiros de refeição. Também têm que se livrar do lixo. Existem 4 caixotes do lixo na nave, forrados com um saco de lixo. Quase como em nossas casas, se reciclarmos o lixo. Três são para o lixo seco e outro para o lixo húmido. O lixo húmido é qualquer coisa que possa cheirar mal e por isso quando está cheio é fechado e ligado a uma mangueira de extracção que impede que o cheiro se espalhe na nave.

O aspirador é também um instrumento de limpeza muito importante que permite limpar nos sítios mais difíceis mas também recuperar objectos perdidos que flutuaram para locais pouco acessíveis.

Shuttle crew members look outside the shuttle's cockpit window.

Marsha Ivins is in the shuttle's aft flight deck.

Shuttle pilot Charlie Hobaugh works inside the International Space Station.

Expedition One crew members work in the Zvezda Service Module.

Expedition Two flight engineer James Voss prepares for a soldering task.

Expedition Two flight engineer Susan Helms installs a video camera inside the Zarya Control Module.

O que é o almoço?

Astronaut Loren Shriver demonstrates how objects act in free-fall while enjoying a snack of candy coated peanuts.

Imagina que vais acampar uma semana inteira com vários amigos. Precisas de levar comida suficiente e qualquer coisa para a cozinhar e aquecer e uns garfos, facas e colheres. A comida tem que ser guardada convenientemente e não se pode estragar para não teres que a deitar fora. Depois de acabar o teu acampamento tens que guardar todo o equipamento e deitar fora o lixo de maneira adequada.

Pois os astronautas fazem justamente o mesmo, quando vão para o espaço. A preparação da comida depende do seu tipo. Algumas coisas podem ser comidas na sua forma natural, como as bolachas e a fruta. Outros alimentos precisam que se lhes junte água, como por exemplo os macarrões o queijo ou o esparguete. Para não pesarem tanto e se conservarem bem, estas coisas são levadas para o espaço sem água (diz-se que estão liofilizadas). Nas naves existe um forno ou um micro-ondas para aquecer a comida. Mas, não se usam frigoríficos no espaço, para não gastar energia e por isso a comida tem que ser guardada e preparada de maneira a que não se estrague, especialmente nas missões mais longas.

Os astronautas usam condimentos como o ketchup, a mostarda e a maionese. O sal e a pimenta são usados mas em forma líquida, por que é impossível espalhar os sólidos em pó na comida. Como não caem ficariam espalhados em toda a nave. Pode imaginar-se o festival constante de espirros, já para não falar nos problemas que podiam causar nos olhos, na contaminação dos equipamentos e no entupimento das condutas de ar.

Os astronautas comem três refeições por dia: pequeno-almoço, almoço e jantar. Os nutricionistas preparam dietas equilibradas com vitaminas e minerais de acordo com as necessidades de cada astronauta. Eles podem escolher uma grande variedade de alimentos, quase como aqui na Terra: fruta, legumes, frutos secos, manteiga, frango, marisco, doces, bolachas, etc.. E as bebidas podem ser café, chá, sumo de laranja e de outros frutos e gasosa.

Divertimento no Espaço?

Viver no espaço não é só trabalhar, dormir e comer, os astronautas também gostam e precisam de se distrair. Precisam de um intervalo no seu trabalho e nas suas actividades diárias está previsto tempo para se descontraírem, fazerem exercício e se divertirem. Um passatempo muito comum no espaço é olhar pela janela. É fascinante ver a Terra de tão alto e observar o nascer e por do Sol que ocorrem cada 45 minutos, quando se está em órbita à roda Terra.

Nas missões mais longas, como as da Estação espacial Internacional, os astronautas tem muitas oportunidades de se divertirem. Como a maior parte das pessoas que trabalham a tempo inteiro, têm folga aos fins-de-semana. Em qualquer dia têm tempo para ver filmes, ouvir música, ler, jogar às cartas e falar com as suas famílias. Têm uma bicicleta fixa, máquinas de ginásio e outros equipamentos para se manterem em forma. Como vês podem aproveitar o seu tempo livre de muitas maneiras interessantes.

The STS-100 and Expedition Two crews pose for a portrait in hawaiian shirts and sunglasses.

Expedition Two flight engineer James Voss exercises and reads a book at the same time.

Astronaut Steven Hawley runs on a treadmill in the shuttle's middeck.

The STS-99 crew

Expedition One commander Bill Shepherd greets STS-97 commander Brent Jett inside the International Space Station.

Astronauts James Voss and James Kelly share a light moment onboard the International Space Station.

DORMIR

Depois de um longo dia de trabalho, não há nada como uma boa noite de sono repousante. Tal como na Terra uma pessoa vai para a cama de noite dorme até de manhã e prepara-se novamente para o trabalho. Mas, há umas pequenas diferenças! No espaço não existe “em cima” e “em baixo” e não se faz sentir o efeito da gravidade. Como tal, os astronautas não sentem o peso e podem dormir em qualquer posição. No entanto, têm que se prender de alguma maneira a uma parede, a uma cadeira ou a uma cama, tipo saco, dentro de uma cabine de forma a não flutuarem livremente pela nave espacial e chocarem sem querer com alguma coisa. Por exemplo, na Estação Espacial Internacional só existem actualmente duas pequenas cabines para dormir. Como as tripulações são actualmente de três astronautas o terceiro pode dormir em qualquer sítio, desde que se prenda bem.

Normalmente os astronautas, dormem oito horas no fim de cada dia de missão. Mas, tal como na Terra eles podem acordar a meio da noite para ir à casa de banho ou ficar acordados até mais tarde a olhar pela janela, gozando do maravilhosa vista, como se pode imaginar, a 300 quilómetros de altitude a vista tem que ser deslumbrante.

Durante o período de sono os astronautas sonham e têm pesadelos tal como na Terra e até há quem se queixe de que alguns ressonam.

A excitação de estar no espaço e o enjoo podem perturbar o sono dos astronautas e parece que em geral é preciso dormir menos horas no Espaço do que na Terra. Dormir nas cabines fechadas também pode perturbar o sono, mas, dormir no num espaço aberto com janelas, como por exemplo na cabine de pilotagem do Vaivém Espacial, também pode complicar a coisa pois o sol nasce de 90 minutos em 90 minuto pois este é o tempo que o Vaivém leva a completar uma volta completa à Terra. O melhor é mesmo usar uma daquelas máscaras para dormir.

Quando chega a hora de despertar o Centro de Controlo da Missão na Terra envia música para despertar a tripulação, ou então... o velho despertador.




Voltar