Todas as candidaturas foram alvo de avaliação e os resultados já se encontram disponíveis

VER RESULTADOS


Para uma comunicação em saúde mais eficaz

A adoção de comportamentos protetores da saúde, de prevenção da doença e os autocuidados pressupõem uma correta assimilação da informação médica pelos cidadãos, através de um diálogo claro e participado. Ao criar o concurso COMUNICAR SAÚDE, a Ciência Viva pretende apoiar projetos que respondam de forma efetiva e inovadora à necessidade de melhorar a comunicação da informação médica como forma de promover a literacia em saúde dos cidadãos.



Projetos aprovados com dotação de financiamento total

Projeto:

Geração Saudável Sénior

Entidade Responsável:

Ordem dos Farmacêuticos

Entidades Parceiras:

Associação de Farmácias de Portugal, Associação Nacional das Farmácias, Escola Nacional de Saúde Pública, Associação Portuguesa de Analistas Clínicos, NovoNordisk


Descrição

Atualmente, o número de cidadãos com mais de 65 anos residentes em Portugal é superior a 2 milhões, o que corresponde mais de 20% da população (INE, PORDATA, 2018) tendo esta faixa etária uma relevante prevalência de cidadãos polimedicados, afetados por múltiplas doenças crónicas, as quais são, com frequência, acompanhadas de comorbilidades. A Geração Saudável Sénior é um projeto de educação e promoção para a Saúde, em formato chave-na-mão, direcionado à população sénior (idade igual ou superior a 65 anos de idade), através de sessões de formação, avaliações de risco e inquéritos em saúde dinamizadas por farmacêuticos, em instituições de referência (tais como, centros de dia, IPSS, Universidades Sénior, ERPIs). Recorre a estratégias inovadoras, dinâmicas e interativas na promoção de conhecimentos em Saúde e na capacitação para a tomada de decisões conscientes e saudáveis, enquanto promove o papel do farmacêutico na sociedade.




Projeto:

Setembro Amarelo: Mês de Prevenção do Suicídio

Entidade Responsável:

ARIS da Planície - Associação para a Promoção da Saúde Mental

Entidades Parceiras:

Associação Portuguesa dos Internos de Psiquiatria (APIP), Sociedade Portuguesa de Suicidologia, Fumaça - Jornalismo Independente


Descrição

O Setembro Amarelo é uma campanha de prevenção do suicídio com origem no Brasil em 2014 e dinamizada em Portugal desde 2017. O ponto de partida é o Dia Mundial da Prevenção do Suicídio, 10 de setembro, mas as iniciativas prolongam-se ao longo de todo o ano. A luta contra o estigma da doença mental e o aumento da literacia em saúde são essenciais para uma prevenção mais eficaz do suicídio. Neste sentido, são objetivos deste projeto a formação dos profissionais de saúde, a sensibilização da comunidade para a prevenção do suicídio, assim como a formação dos jornalistas para as boas práticas para a elaboração de notícias sobre suicídio e comportamentos autolesivos.




Projeto:

A Saúde no Saber

Entidade Responsável:

CNC – Centro de Neurociências e Biologia Celular

Entidades Parceiras:

Público, Instituto de Educação e Cidadania (IEC), Serviços de Transportes Municipalizados de Coimbra (SMTUC), Museu da Ciência da Universidade de Coimbra (MCUC), Câmara Municipal de Coimbra (CMC), Rádio Universidade de Coimbra (RUC)


Descrição

O projeto A Saúde no Saber pretende contribuir de uma forma efetiva para a cultura científica em Portugal ao criar uma campanha nacional de literacia em saúde. O CNC propõe-se a levar diferentes tópicos de saúde para a arena de discussão pública envolvendo vários atores sociais em encontros e produção de materiais de comunicação de ciência. Este projeto apresenta duas características fundamentais: a criação de oficinas de ciência na comunidade como forma de mediar a conversação entre grupos de cidadãos e os investigadores, e a co-produção de diversos materiais de comunicação de conceitos emergentes na área da saúde para uma disseminação alargada no país. Acreditamos que este projeto seja um contributo efetivo para a promoção de bons hábitos de vida, envelhecimento ativo e conhecimentos na área da saúde.




Projeto:

Por um Coração Saudável para TODOS

Entidade Responsável:

Associação para Investigação e Desenvolvimento da Faculdade de Medicina (AIDFM)-Centro Cardiovascular da Universidade de Lisboa (CCUL)

Entidades Parceiras:

Federação Mundial do Coração (World Heart Federation), COLA - Colectivo Audiovisual, Lisbon Labs, Science4You


Descrição

As doenças cardiovasculares são a principal causa de morbilidade e mortalidade em Portugal. Uma boa comunicação de informação permitirá prevenir, controlar e reduzir a doença cardiovascular. Como promotor da Saúde Cardiovascular, o Centro Cardiovascular da Universidade de Lisboa (CCUL) criou um programa nas escolas, que sensibiliza crianças e jovens para os fatores de risco, hábitos e comportamentos saudáveis. Da necessidade de sensibilizar também as suas famílias para a importância de um coração saudável e melhorar a eficiência da aprendizagem sobre o tema, surge o projeto a concurso, através do qual pretendemos desenvolver ferramentas de comunicação pedagógicas inovadoras, que cativem os mais jovens e promovam um encontro intergeracional, promovendo a literacia em Saúde Cardiovascular.




Projeto:

Choosing Wisely Portugal – Escolhas Criteriosas em Saúde

Entidade Responsável:

Ordem dos Médicos – Conselho Nacional

Entidades Parceiras:

American Board of Internal Medicine, Centro de Estudos de Medicina Baseada na Evidência da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa, Sociedade Portuguesa de Medicina Interna, Associação Portuguesa de Medicina Geral e Familiar


Descrição

Choosing WiselyPortugal -Escolhas Criteriosas em Saúde é um programa global de Educação para a Saúde. O programa Choosing Wisely foi fundado em 2012, nos Estados Unidos da América, pelo American Board of Internal Medicine(http://www.choosingwisely.org), tendo sido posteriormente adaptado e implementado por outros países. O programa tem como principal objetivo promover escolhas em Saúde baseadas na melhor evidência científica disponível, promovendo a utilização adequada de exames complementares de diagnóstico e reduzindo o número de intervenções desnecessárias, sem evidência comprovada e/ou com uma relação risco-benefício desfavorável. As recomendações dirigidas aos profissionais de Saúde serão realizadas por peritos na área e emitidas pelos Colégios da Especialidade da Ordem dos Médicos, com respetiva fundamentação científica, contribuindo assim para uma melhor qualidade nos cuidados de Saúde prestados e servindo de suporte à comunicação médico-doente. O programa preconiza também a criação de materiais pedagógicos destinados aos doentes que transmitam as recomendações em linguagem acessível. Estes materiais serão divulgados em colaboração com parceiros da comunidade e associações de doentes, promovendo a literacia em Saúde e contribuindo para decisões partilhadas em Saúde. Até ao momento já foram elaboradas mais de 100 recomendações emitidas por mais de 25 Colégios da Especialidade da Ordem dos Médicos.




Projeto:

ONCOmunicar – aproximando profissionais de saúde e doentes oncológicos

Entidade Responsável:

IPATIMUP – Instituto de Patologia e Imonulogia Molecular da Universidade do Porto

Entidades Parceiras:

Serviço de Oncologia - Centro Hospitalar Universitário São João (CHUSJ), Serviço de Oncologia - Unidade Local de Saúde de Matosinhos – Hospital Pedro Hispano, Serviço de Oncologia Médica - Centro Hospitalar de Lisboa Norte


Descrição

Dado o enorme impacto social/económico do cancro, esta é uma área prioritária na promoção da saúde. A reduzida literacia sobre cancro dos doentes e os inadequados contextos de comunicação dos profissionais de saúde, condicionam a correta e participada apropriação da informação médica e a consequente autogestão da doença. O principal objetivo do projeto ONCOmunicar é desenvolver, implementar e otimizar um modelo de comunicação centrado nos doentes para unidades de tratamento oncológico. O projeto identificará as barreiras existentes nomeadamente a nível das competências de comunicação dos profissionais de saúde e da literacia oncológica dos doentes. O projeto desenvolverá e implementará programas de formação em comunicação dirigidos aos profissionais de saúde e conteúdos educativos para doentes.




Projeto:

eMental: avaliação de intervenções digitais de promoção da literacia em depressão e suicídio

Entidade Responsável:

Universidade de Aveiro –Departamento de comunicação e Arte – DigiMedia

Entidades Parceiras:

Faculdade de Medicina da Universidade do Porto – Departamento de Neurociências Clínicas e Saúde Mental, Centro Hospitalar de Entre o Douro e Vouga E.P.E. – Departamento de Saúde Mental


Descrição

A depressão e o suicídio são fenómenos com proporções epidémicas e com incidência crescente nos jovens. É fundamental desenvolver e avaliar programas de literacia em saúde mental que permitam desmistificar e prevenir a doença e sensibilizar a população. O atual uso massivo de meios digitais pelos jovens é uma oportunidade que importa explorar no desenho e avaliação de intervenções que façam uso do formato digital, enquanto instrumento poderoso de comunicação. O projeto eMental envolve uma equipa multidisciplinar e visa finalizar e avaliar intervenções digitais dirigidas a jovens, estruturadas em conteúdos digitais transmedia, de promoção da literacia em depressão e suicídio. Pretende-se ainda desenhar uma proposta de futura intervenção alargada à população jovem portuguesa.




Projeto:

Impacto da obesidade e diabetes no risco cardiovascular em crianças e adolescentes

Entidade Responsável:

Instituto de Ciências Biomédicas de Abel Salazar da Universidade do Porto

Entidades Parceiras:

Instituto de Saúde Pública da Universidade do Porto


Descrição

A obesidade é um problema de saúde pública e atualmente as evidências sustentam que as consequências metabólicas e cardiovasculares da obesidade, como a hipertensão, o colesterol alto e a diabetes, instalam-se numa fase precoce e acompanham a criança obesa ao longo da vida. Em paralelo, a incidência de diabetes tipo 1 entre a população pediátrica está a aumentar e a doença renal diabética continua a ser a principal causa de insuficiência renal em todo o mundo. Nos últimos anos, o nosso grupo publicou artigos sobre o impacto da obesidade nas alterações vasculares e inflamatórias no rim, em crianças com excessos de peso/obesidade pré-púberes (7 e 8 anos de idade) quando comparadas ao seus pares com peso normal. Com este projeto e com base nos resultados prévios, pretendemos desenvolver estratégias e medidas preventivas, com consequente diminuição da morbilidade cardiovascular e diminuição do risco de progressão de doenças crónicas para a idade adulta.




Projeto:

Comunidades saudáveis

Entidade Responsável:

Fábrica Centro Ciência Viva de Aveiro (FCCV), Escola Superior de Saúde da Universidade de Aveiro (ESSUA) e Departamento de Ciência Médicas (DCM).

Entidades Parceiras:

Município de Aveiro, Centro Hospitalar do Baixo Vouga, Agrupamento de Escolas de Aveiro, Glicínias Plaza Shopping Center, Agrupamento de Centros de Saúde do Baixo Vouga


Descrição

Este projecto pretende promover o aumento da literacia em saúde de modo a fomentar o reconhecimento e a adoção de hábitos de vida saudáveis, a prevenção de doenças e a desmistificação de conceitos relacionados com o tema. A programação deste projecto envolverá eventos que ocorrerão em escolas do AE de Aveiro, em entidades científicas (Universidade de Aveiro, Fábrica CCV e Escola Superior de Saúde da UA - ESSUA), em equipamentos culturais (Teatro Aveirense) e num centro comercial (Centro Comercial Glicínias Plaza). O programa incluirá cafés de ciência (com profissionais da área da saúde, doentes e cuidadores), palestras, oficinas de ciência, visitas às instalações da ESSUA, rastreios de saude, workshops e exposições itinerantes de fotografia na área da saúde. As diversas actividades são dedicadas a diferentes tipos de público, nomeadamente famílias, adultos, público escolar, idosos e cuidadores.




Projeto:

Encontros de Esperança

Entidade Responsável:

Maratona da saúde associação


Descrição

O projeto “Encontros de Esperança” da Maratona da Saúde reunirá pacientes, cuidadores e seus representantes, médicos, estudantes de medicina e cientistas que desenvolvem o seu trabalho nas 5 áreas abrangidas pelos Prémios MdS. Esta iniciativa tem um carácter informativo, mas também emocional, pois será proporcionado um ambiente de esperança aos pacientes e seus familiares com base na investigação biomédica apoiada. Os Encontros terão lugar em 5 instituições científicas de 5 cidades portuguesas (1 por cada cidade) com momentos informativos, de interação (speed dating) e visitas aos laboratórios de investigação. A dinâmica dos Encontros será continuada através do canal “Esperança em linha” mantido pela MdS para esclarecimento de questões e desmistificação de conceitos pelos especialistas visando a comunicação e literacia em saúde.






Projetos aprovados com dotação de financiamento parcial

Projeto:

PLATE – Programa de Literacia Alimentar de base Tecnológica nas Escolas: a prevenção da obesidade na adolescência

Entidade Responsável:

Instituto de Saúde Pública da Universidade do Porto


Descrição

A obesidade é um grave problema de saúde pública que apenas será combatido eficazmente pelo aumento da literacia alimentar da população. Na adolescência, as escolhas alimentares começam a ser feitas com maior autonomia, sendo por isso um momento-chave para combater e prevenir a obesidade. Nesse sentido, o projeto PLATE consiste num conjunto de ferramentas de comunicação sobre alimentação e vida saudável que visa contribuir para o aumento da literacia alimentar e para o combate ao excesso de peso dos mais jovens. É um programa integrado baseado em tecnologia para jovens entre os 12 e os 15 anos, a ser desenvolvido e testado em contexto escolar. Inclui uma app, interações com SMS, atividades offline e upload de conteúdos para um site, soluções tecnológicas fortemente apelativas para adolescentes.




OBJETIVO

As ações de promoção da literacia em saúde realizadas nos projetos COMUNICAR SAÚDE deverão contribuir para a promoção da literacia em saúde dos cidadãos e para a aquisição de competências de comunicação que facilitem a interação, direta ou mediada, entre a comunidade de profissionais e o público em geral, podendo incluir nomeadamente:

O contacto direto e pessoal com profissionais de saúde, técnicos de diagnóstico e terapeutas, farmacêuticos, outros profissionais da área da saúde, investigadores e comunicadores de ciência;


Atividades conjuntas com instituições de ensino superior, nomeadamente com alunos e/ou responsáveis de cursos na área da saúde;


A colaboração direta com associações de apoio a doentes numa perspetiva de prevenção.