Ciência Viva em Casa
Slide3 Background

VISITA VIRTUAL INTERATIVA   |    DESAFIO - NATUREZA À JANELA   |    LIVROS QUE QUEREMOS LER   |    LITERATURA INFANTIL   |    Rádio Zig-Zag   |    Academia ciência viva para professores   |    DESAFIO - À PROCURA DE VIDA FOSSILIZADA   |    Treina como um astronauta... em Casa   |    AnimArt by Leonel Moura   |    A CASA É UM LABORATÓRIO   |    DE QUE SINTO FALTA NO PAVILHÃO DO CONHECIMENTO?   |    O Paxi leva-nos numa viagem especial    |    Os Nossos Módulos Preferidos   |    Porque a Ciência está em todo o lado   |    Open Talks - Canal aberto para o conhecimento   |    Reportagens Falar Global   |    Rede de centros ciência viva   |    MUSEUS E CENTROS DE CIÊNCIA DO MUNDO   |    Informações Covid-19 ESCOLHER ATIVIDADES

Show English Version

VISITA VIRTUAL INTERATIVA

Aproveite esta viagem!





Tocar uma harpa sem cordas, ver um carro de rodas quadradas ou abrir uma arca do tesouro... Sim é possível, mesmo à distância! Para visitar o Pavilhão do Conhecimento só há um requisito: ser curioso! Aceite os diferentes desafios numa visita virtual interativa a este centro de ciência e tecnologia e deixe-se guiar pelo conhecimento.





DESAFIO - NATUREZA À JANELA

Para famílias e professores

Já reparou na natureza que existe à nossa volta? Basta um olhar mais atento pela janela para descobrir inúmeras espécies de plantas e animais, desde as mais discretas às mais vistosas, já sem falar nas que habitam nos nossos parapeitos e varandas.
Observe, fotografe e partilhe connosco a natureza à janela.





ENVIAR FOTOGRAFIA



Basta um olhar mais atento pela janela para nos apercebermos da biodiversidade que nos rodeia. Mesmo numa cidade, em que muita natureza é substituída por cimento e alcatrão, é possível encontrar muitas espécies de plantas e animais, e ficar assim a conhecer um mundo natural tantas vezes ignorado. Olhando à nossa volta até custa a acreditar que existem no planeta mais de 6 milhões de espécies terrestres, sem contar com as que ainda estão por descobrir. Nos meios mais urbanos, a realidade é bem diferente... A biodiversidade é cada vez menor, por razões tão diversas como a destruição de habitats, a impermeabilização dos solos e a poluição. Mas cada um de nós pode dar um contributo para a conservação da biodiversidade. Por onde começar? Abrindo bem os olhos, e deixando-se fascinar pelo mundo maravilhoso à nossa volta.

Junte-se a nós nesta exploração e contribua para a conservação da biodiversidade!


ACADEMIA CIÊNCIA VIVA PARA PROFESSORES

Para professores

Explore os mais de 500 recursos que a Academia Ciência Viva disponibiliza de forma gratuita.
Experimente e partilhe as suas actividades com #cienciavivaemcasa.



Ver mais

LIVROS QUE QUEREMOS LER

Para famílias e público em geral

Quais os livros preferidos da vossa família? Partilhem as vossas sugestões deixando uma leitura recomendada.


Envie sugestão


Consulte outras leituras recomendadas


O PAXI LEVA-NOS NUMA VIAGEM ESPACIAL

Para famílias e professores

Apanhem boleia do Paxi e embarquem numa aventura pelo Espaço pela mão do programa ESERO Portugal. Vejam os vídeos e respondam os desafios para ganhar medalhas…. virtuais.


Atrevam-se a fazer uma viagem espacial!





A CASA É UM LABORATÓRIO

Para famílias e professores

Da cozinha à casa de banho, passando pela garagem, nenhuma divisão fica de fora: afinal, a ciência está em todo o lado. Experimente as várias actividades em família!


Cozinha

Casa de Banho

Garagem

Quarto

Sala / escritório

Varanda / Janela / Terraço / Quintal


UM MINUTO DE CIÊNCIA POR DIA NÃO SABES O BEM QUE TE FAZIA
RÁDIO ZIG ZAG

Para famílias e professores

Mesmo em casa, fiquem sintonizados na Rádio Zig Zag. Trocamos a ciência por miúdos e para miúdos.



Assista aos restantes podcasts

TREINA COMO UM ASTRONAUTA… EM CASA

Para famílias

Exercite o corpo e treine como se estivesse a preparar-se para uma missão espAcial. Partilhe as suas fotografias e vídeo as nas nossas redes sociais.




DESAFIO - À PROCURA DE VIDA FOSSILIZADA

Para famílias e professores

Já olhou para os parapeitos da sua janela ou bancada da sua cozinha? Apostamos que está cheio de vida…. fossilizada. Fotografe e envie-nos. Vamos ficar a conhecer os restantes hóspedes de sua casa… estamos a falar de fósseis, claro!





ENVIAR FOTOGRAFIA DE FÓSSIL



Sim, é isso mesmo, os fósseis estão em todo o lado!

As cidades, tal como as nossas casas, são construídas de materiais geológicos (de pedra, de areia, cascalho, barro, asfalto, etc.) e, com esses materiais, são trazidos para o ambiente urbano muitos fósseis que esperam apenas um olhar mais atento para poderem ser vistos e devidamente apreciados. Os fósseis (do latim fossile < fossu, cavado, retirado do chão cavando) são todo e qualquer vestígio identificável, corpóreo ou de atividade orgânica, de organismos do passado, conservado em contextos geológicos, isto é, nas rochas. Em nossas casas, os fósseis podem ser encontrados nas bancadas da cozinha, nos parapeitos das janelas e nas soleiras e ombreiras das portas, nas rochas que ornamentam as lareiras, nas escadarias do prédio, etc.

Faça como nós e parta à (re)descoberta do seu lar!


LITERATURA INFANTIL

Para famílias

Sugerimos um conjunto de livros infantis, que podem ser facilmente descarregados para ler e explorar em casa. Dos microorganismos ao cérebro, do mar à horta são muitas as propostas que lhe apresentamos para ler em família.



REDE DE CENTROS CIÊNCIA VIVA

Para famílias e público em geral

Descubra as propostas dos Centros Ciência Viva em tempo de quarentena.



MUSEUS E CENTROS DE CIÊNCIA DO MUNDO

Para famílias e público em geral

Já se deu conta como numa altura de isolamento social museus e centros de ciência em todo o mundo levam a ciência e o conhecimento para além das suas paredes? Espreite aqui algumas sugestões.



Porque a Ciência está em todo o lado

Para famílias e público em geral

Reunimos alguns dos melhores conteúdos de ciência e tecnologia para conhecer melhor o universo científico e os seus protagonistas.



OPEN TALKS: CANAL ABERTO PARA O CONHECIMENTO

Para público em geral e professores

Participe em conferências e outras conversas inspiradoras sobre o mundo.



Ver mais

REPORTAGENS FALAR GLOBAL

Para Público em Geral

Recorde alguns dos acontecimentos mais marcantes da Ciência Viva sob o olhar do Falar Global, o programa mais antigo de ciência e tecnologia da televisão portuguesa.




ANIMART BY LEONEL MOURA

Para famílias

Exercite a criatividade das crianças com estes desenhos para colorir. Descarregue, imprima uma folha e o resto deixe à imaginação dos mais pequenos.




OS NOSSOS MÓDULOS PREFERIDOS

Para famílias e público em geral

Algumas das experiências mais marcantes do nosso museu e os fenómenos científicos que revelam.



Corrente de ar

Como manter a bola no ar? A bola está suspensa no ar, sem meios de apoio visíveis. Acreditemos ou não, a bola comporta-se como uma asa de avião. O ar, ao mover-se rapidamente, bate na bola, e tem o mesmo efeito que uma asa de avião a deslocar-se no ar. A asa tem uma forma com ângulos que levam o ar a mover-se mais rapidamente sobre a parte de cima do que sob a parte de baixo, resultando numa pressão menor em cima do que em baixo, permitindo assim a suspensão.



Viva na exposição Tcharan

A Viva é a simpática anfitriã do nosso museu e também ela adora participar neste Circo de Experiências! Num espaço onde a emoção do parque se alia à aventura do circo, é possível descobrirmos múltiplas reflexões num labirinto de espelhos, movermos uma roda gigante ou saltitarmos num chão musical. No palco da tenda central, a Viva é a estrela e a adrenalina transforma-se em conhecimento... TCHARAN!



Mesa gigante

Suba para a cadeira e desça na idade. Como se sente com esta perspectiva? Numa mesa de reuniões invulgar, descobrimos que a nossa percepção depende não só do estímulo, mas também se baseia nas vivências passadas. Somos assim levados até à infância, quando tudo nos parecia tão grande e alto. Ideias postas em cima da mesa, será que vamos chegar a alguma conclusão ou vamos deixar que o nosso cérebro nos iluda?



Carro de rodas quadradas

Uma estrada de lombas e um carro com rodas quadradas? A matemática confirma que é possível! A estrada é feita com contornos ciclóides e as quatro rodas do carro são quadrados. Um ciclóide é a trajetória percorrida por um único ponto de uma circunferência, sem deslizar, ao longo de uma reta. Cada vértice do quadrado encaixa em cada extremo das ciclóides. Desta forma o carro anda em frente sem que os seus ocupantes sintam os esperados solavancos!



Harpa de Laser

Onde estão as cordas desta harpa? Será possível fazer música sem elas? Esta harpa apenas tem raios laser, que substituem as cordas. Quando passamos os nossos dedos pelo feixe, interrompemos o seu percurso e é gerada uma resposta eletrónica que seleciona uma nota musical. Quando retiramos os dedos e o feixe é reposto e o respetivo som é reproduzido. Todas as notas são reproduções de sons de harpa que foram armazenados eletronicamente.




DE QUE SINTO FALTA NO PAVILHÃO DO CONHECIMENTO?

Para famílias e público em geral

A experiência única de trabalhar no Pavilhão do Conhecimento consegue despertar emoções e, na sua ausência, trazer muitas saudades.
Mas do que realmente sentimos falta?


"Nestes tempos de isolamento social, o que mais me faz falta do trabalho no Pavilhão do Conhecimento é a possibilidade de transmissão de conhecimento cientifico aos nossos visitantes, o gosto que dá ensinar algo novo a uma criança, ou fazer um adulto ver algo de maneira diferente, e o que posso aprender em troca. Às vezes, são os nossos visitantes que mais nos ensinam e nos fazem ver os nossos módulos e atividades com outros olhos."


João Campos, Monitor


"Sinto falta dos modelos de madeira do Mestre Eduardo e da algazarra dos almoços com os colegas, mas que não poucas vezes dá em momentos preciosos de troca de ideias. Sinto falta do sorriso de uma criança fascinada com uma experiência e de regar as plantas carnívoras no laboratório. Sinto sobretudo falta de não ter o meu dever cumprido de mais um dia de divulgação de ciência junto dos nossos visitantes.”


Nuno Antunes, Monitor


" Sinto falta dos rostos ávidos de conhecimento dos visitantes ao chegar e a sua agitação empolgada e sequiosa de uma experiência que sabem ser única. A admiração nos olhos dos mais pequenos enquanto se mostram fenómenos científicos. Nós que comunicamos ciência a precisar do nosso público, a precisar que partilhem desta nossa imensa vontade de querer saber mais e de dar a saber… E dos que connosco trabalham todos os dias, num espírito de família, em que todos nos conhecemos. Das pequenas coisas que consideramos garantidas, aquele prazer de ser parte integrante de uma equipa dinâmica e com a qual todos os dias se aprende algo de novo." 


Inês Sofia Oliveira, Coordenadora da Equipa de Monitores


"Aquilo que neste momento sinto mais falta é de fazer atividades, rodeada dos miúdos, com as suas perguntas e curiosidade. Atividades onde criamos um ambiente dedicado àqueles grupos, em que conseguimos dar-lhes toda a nossa atenção, em que descobrimos os seus interesses e pertinências. Neste momento sinto que me falta alguma coisa, estar na área expositiva, explorar módulos com o nosso público, conversar com os visitantes enquanto experimentam e descobrem um qualquer fenómeno, observar como reagem nessa descoberta. Sinto falta dos debates de ideias e curiosidades para aprender em cada instante. São pequenas coisas que nos fazem sentir confiantes enquanto vemos o nosso trabalho a crescer."


Catarina Ribeiro, Monitora


"Parafraseando Confúcio "uma expressão facial vale mais que 1000 palavras". Espanto, surpresa, deslumbre e satisfação são as reações dos nossos visitantes das quais sinto falta. A missão transmitida de que a ciência não é um bicho de sete cabeças, mas sim um desafio constante. E nisto de comunicar ciência, um bom desafio faz sentido, vale a pena e sabe sempre bem."


Filipe Correia, Monitor


"Neste momento de isolamento, quando cada vida conta e por essas vidas nos resguardamos, sinto saudades de muita coisa. Sinto falta da liberdade de ir ver a minha família, os meus amigos e tomar café à rua. Do Pavilhão do Conhecimento tenho saudades das atividades semanais d'A Cozinha é um Laboratório, para as crianças que vêm passar connosco a semana na Escola Ciência-Viva. Esta semana estaríamos a fazer cookies de vegetais e a falar sobre a presença e importância dos nutrientes na nossa alimentação. Sinto falta do ar de espanto das pessoas que nos visitam pela primeira vez e saudades daqueles que nos visitam durante todo o ano. Adoro as birras dos miúdos que não querem ir embora do Pavilhão do Conhecimento, porque sei que gostam de lá estar. Vamos ficar todos bem e voltar breve."


Carla Lopes, Monitora


"O que mais sinto falta no meu trabalho é das perguntas curiosas e olhares atentos dos mais pequenos. Das suas respostas sempre prontas e pertinentes, e do seu entusiasmo para experimentar. Sobretudo, da curiosidade com que saem e na vontade que mostram para voltar, que também todos nós sentimos agora."


Ana Rita Ovelheira, Monitora


"Se em casa tenho dificuldade em encontrar os pares das meias, no Pavilhão adoro as rotinas. Em muitos anos que faço o caminho, já fui a pé, de carro, a correr, a apreciar a vista, sei que quando avisto o edifício, nunca tenho um dia igual. Tenho saudades desse tempo, de um tempo que não pára, de criar com os outros, de rir, explorar novas ideias, do meu primeiro café… mas agora estamos todos numa missão, e em breve tudo voltará a um novo "normal". Enquanto isso criamos novas atividades, mudo fraldas, aprecio o tempo com os meus filhos e procuro pares de meias :)."


Sandra Beatriz, Monitora


"Sinto falta da Robô viva a dizer "Olá, eu sou a Viva!". Hoje ouvi uma versão da Macarena e pensei logo no Giga a dançar! Sinto falta destas pequenas coisas. De andar de um lado para o outro, receber grupos escolares, dedicar uma visita orientada a seniores, dinamizar atividades e explicar os módulos aos nossos visitantes. Sinto falta do barulho das crianças a subir a rampa do Pavilhão. Mas o que me parte o coração, e que deixa um vazio, são as pessoas, os meus colegas com as brincadeiras do costume e dos nossos visitantes a perguntarem coisas sobre os módulos. Trabalho no Pavilhão há 20 anos, espero que isto passe depressa e em breve possa voltar a fazer o que gosto."


Evelina Costa, Monitora


"Durante estes dias percebi que me faltava algo: falta a minha segunda casa, falta-me o Pavilhão do Conhecimento. Percebi que apesar de ser bom estar em casa, tenho saudades de toda a dinâmica e agitação dos visitantes, o entusiasmo das crianças ao conhecerem a robô VIVA, a admiração nos seus olhos ao verem a arca do tesouro a abrir, a incredibilidade nos seus rostos ao deitarem-se numa cama com 4000 pregos ou de uma gargalhada no sirva-se da cabeça. Sinto falta da agitação das festas de aniversário, das Férias com Ciência, do trabalho de equipa e de toda a energia contagiante espalhada pelas exposições naquele labirinto de emoções tão bem conhecido por nós!"


Ricardo Vassalo, Monitor

Agora chegou a sua vez, caro visitante: do que sente mais falta quando pensa no Pavilhão do Conhecimento?


DEIXE-NOS O SEU TESTEMUNHO