Login

[ Imprimir ]
A Ciência e o Espaço

De «Express», rumo a Marte
TSF - online, 30-05-2003

A Europa estreia-se nas aventuras planetárias na próxima segunda-feira.

A sonda «Mars Express», da Agência Espacial Europeia, parte para o «planeta vermelho» à procura de sinais de vida.

Os olhos dos que gostam de sonhar mais alto vão estar postos no cosmódromo de Baikonur, no Cazaquistão. Segunda-feira, às 23:45 (18:45 em Lisboa) a sonda «Mars Express» começa, a bordo de um lançador Soyuz, uma viagem de seis meses e 400 milhões de quilómetros até Marte - quarto planeta do sistema solar a seguir à Terra. A sonda «Mars Express» observará o planeta e a sua atmosfera a partir de uma órbita quase polar e funcionará pelo menos durante um ano marciano (687 dias). Seis dias antes de ser colocado na sua órbita definitiva, fará descer na superfície marciana um módulo de concepção britânica, o «Beagle-2» - assim chamado em homenagem ao navio a bordo do qual Charles Darwin teve a ideia da sua teoria da evolução - inseparável companheiro e cúmplice de exploração.

O «Beagle-2» vai descer numa zona equatorial, provavelmente coberta de água no passado e susceptível de ter conservado «assinaturas» de vida. «Não sabemos o que se passou neste planeta no passado»,
nem quais foram «os mecanismos que o transformaram num mundo árido e frio», disse Agustin Chicarro, responsável científico do projecto da Agência Espacial Europeia (ESA).
«Com o Mars Express teremos enfim a resposta. E esperamos vir a ter uma visão global desse planeta: a sua história, geologia, evolução...», disse.


Curiosidade ilimitada

Marte tem fascinado os homens desde sempre, mas apesar de já ter
sido visitada desde 1960 por 34 naves espaciais não tripuladas, os
seus segredos permanecem difíceis de desvendar.

De todas as anteriores missões - norte-americanas, soviéticas e, mais tarde, russas - dois terços acabaram em fracassos.
Nesta missão, alem do «Beagle-2», o «Mars Express» levará
instrumentos de tecnologia de ponta concebidos por institutos
científicos europeus, russos, norte-americanos, japoneses e
chineses, entre os quais um radar de sondagem de subsuperfície, uma câmara de alta resolução, vários espectrómetros que estudarão a atmosfera e a superfície, um analisador de plasma e uma experiência de radiociência.

Nesta missão histórica para a Europa, a «Mars Express» deverá dar uma contribuição considerável às actividades internacionais de exploração marciana.

Será seguida, a 08 de Junho, por dois robôs da NASA (Mars Exploration Rover) que aproveitarão também uma janela excepcional de lançamento que existe apenas de 26 em 26 meses, quando a distância entre os dois planetas é mais curta.

[ Imprimir ]