Engenharia 2004

 
 



Listar por Data | Concelhos | Distritos | Entidade | Pesquisa

Título: Visita à ETAR de Chelas

( SIMTEJO)
Data: 21 de Agosto às 10:00
18 de Setembro às 10:00
Ponto de encontro: ETAR de Chelas, Estrada de Chelas, 113, Lisboa
Localidade: Lisboa / LISBOA / LISBOA
Número de participantes: 20
Inscrição prévia: SIM - Contacto:218160140
Descrição: O Subsistema de Chelas (ETAR) serve as seguintes freguesias da cidade de Lisboa (totalmente ou em parte): Alto do Pina, Alvalade, Ameixoeira, Beato, Campo Grande, Carnide, Charneca, Graça, Lumiar, Marvila, Nª Srª de Fátima, Penha de França, Stª Engrácia, Stº Estêvão, S. Domingos de Benfica, S. João, S. João de Deus, S. Vicente de Fora. Está dimensionado para recolher e tratar 52.500 m3/dia de águas residuais urbanas, o que corresponde a cerca de 211.000 habitantes equivalentes.
O Subsistema é constituído pela ETAR Nereida (nome de uma das Tágides de Camões) e pelo sistema interceptor, que inclui cinco estações elevatórias (EE7 a EE1I), que faz a recolha das águas residuais da zona baixa entre a Calçada do Grilo (Xabregas) e Alfama/Santa Apolónia.
A ETAR iniciou o seu funcionamento apenas com tratamento primário, seguido de desinfecção com cloro, em Dezembro de 1989. Em Março de 2001, após obras de melhoramento, a estação inaugurou uma linha de tratamento bastante diferente e completa, passando-se a dispor de um tratamento terciário de efluentes. A água sofre um tratamento destinado a garantir que a sua descarga no meio receptor se faz de acordo com a legislação em vigor, sendo que também se remove o azoto e se procede a uma desinfecção final de toda a água tratada para que esta adquira potencial de reutilização em fins de segunda linha (lavagem de ruas, rega de jardins...). As lamas produzidas durante o processo (que correspondem à poluição removida da água residual durante o processo de tratamento) são enviadas, após tratamento adequado, para valorização agrícola, onde irão ser usadas como fertilizante. De salientar que o tratamento das lamas permite a produção de electricidade através da utilização do biogás produzido no processo de digestão anaeróbia: esta electricidade irá ser utilizada na instalação, o que permite atenuar a compra à EDP.
Tão importante como a qualidade da água à saída da ETAR, é a garantia que a instalação não tenha impacte negativo junto das populações vizinhas (a ETAR está no meio da cidade), pelo que todas as zonas onde existe a formação de maus odores estão confinadas, e o ar aí retido e desodorizado antes de libertado para a atmosfera.
O Subsistema de Chelas é gerido pela Simtejo – Saneamento Integrado dos Municípios do Tejo e Trancão, empresa do Grupo Águas de Portugal e que tem como accionistas além da Águas de Portugal, as Câmaras Municipais de Lisboa, Loures, Odivelas, Amadora, Mafra e Vila Franca de Xira. A Simtejo é a entidade responsável pela recolha em alta e tratamento dos efluentes produzidos nos concelhos acima referidos, atendendo perto de 1.500.000 habitantes numa área de cerca de 1000 km2.
Notas: Contacto para inscrição: Eng. José Martins
Além do telefone indicado para inscrições, também é possível utilizar o e-mail j.martins(at)simtejo.adp.pt.

 

Página Principal