Há vida na água


ACEITE O DESAFIO

Estimule o envolvimento dos alunos na valorização dos recursos aquáticos e na consciencialização para a conservação da sua biodiversidade

IDENTIFICAR

Os professores e os alunos analisam e identificam os habitats aquáticos e a biodiversidade que deles depende.



Identificação de habitats aquáticos (naturais e artificiais), identificação de espécies de flora e fauna no espaço escolar (dentro e fora da escola)...

INVESTIGAR

A natureza da dependência das diferentes espécies de recursos aquáticos é investigada pelos alunos.



Observação do comportamento dos animais, pesquisa de informação (livros, internet...), reunião de trabalho com um especialista, visita ao local de trabalho de investigadores, palestra na escola...

CRIAR

São criadas estratégias de sensibilização e divulgação para consciencializar a comunidade local para a conservação dos ambientes aquáticos.



Cartões de registo identificativo de cada espécie, recursos audiovisuais, peças de teatro, música, folhetos desdobráveis, painéis informativos...

COMUNICAR

Os resultados obtidos são partilhados com a escola e comunidade local, e divulgados na página da Ciência Viva.



Visitas guiadas, ações de sensibilização, folhetos, pósteres, painéis informativos, artigos de divulgação, exibição de vídeos, documentários (no local), fotografias dos diferentes habitats aquáticos, cartões identificativos das espécies marinhas e dulçaquícolas (na página da Academia Ciência Viva para Professores - Planeta Água)...





Descarregar o resumo do desafio (pdf)



PORQUÊ ESTE DESAFIO?


Por todo o mundo, os recursos hídricos e a sua biodiversidade estão ameaçados devido à ação humana.

Em Portugal, o oceano, os lagos, os rios e as ribeiras estão sob pressão em consequência da poluição, das alterações climáticas e/ou da sobre-exploração. Esta última é mais marcante, sobretudo nos rios e reservatórios de água doce, pelos serviços ambientais que estes prestam e pela importante biodiversidade que albergam, muitas vezes representada por espécies únicas na Península Ibérica.

É imperativo valorizar os recursos aquáticos (marinhos e dulçaquícolas), envolvendo as novas gerações e consciencializando-as para a preservação e conservação dos ambientes que servem de habitat à maior parte dos seres vivos do Planeta.



MOTIVE OS SEUS ALUNOS ATRAVÉS DOS RECURSOS DA ACADEMIA

DESCOBERTA DA VIDA NAS POÇAS DE MARÉ

 

 

A educação ambiental assume um papel principal na formação dos estudantes, consciencializando-os para os impactes da ação antropogénica nos ecossistemas costeiros. Uma saída de campo a uma zona intertidal, região que estabelece os limites entre a terra e o mar, é sempre sinónimo de um encontro com uma vasta biodiversidade. Portanto, uma incursão pelo litoral, surge como uma vantagem para o ensino experimental das ciências e para despertar o interesse nos alunos de diferentes níveis de escolaridade.

VER

PROJETO RIO ACIMA

 

 

O equilíbrio da “balança” da sustentabilidade dulçaquícola é um dos mais frágeis da nossa biosfera. É imperativo consciencializar-se os alunos para a preservação e conservação das águas doces interiores, detentoras de uma grande diversidade de habitats. A exploração de um rio próximo, de uma ribeira ou de um pequeno curso de água doce revela-se uma motivadora experiência de educação ambiental para compreender a importância da biodiversidade aquática, tanto no seu leito como na vegetação ripícola envolvente.

VER

COMISSÃO CIENTÍFICA


Carla Sousa Santos, Bacias Hidrográficas, MARE-ISPA



HÁ VIDA NA ÁGUA: ONDE?


Fique a conhecer as escolas que, um pouco por todo o país, já aceitaram o desafio de consciencializar a comunidade para a conservação dos recursos aquáticos e da sua biodiversidade.



BREVEMENTE