O Século Primeiro depois de Beatriz."> O Século Primeiro depois de Beatriz." /> O Século Primeiro depois de Beatriz.">
Qual é o livro de divulgação de ciência que sugere? Partilhe  
O Século Primeiro depois de Beatriz

Amin Maalouf

2008 | Difel

livro

Público: Adulto

Tema: Biologia

Idioma: Português

Existem nos mercados do Oriente "favas" misteriosas a que antigas superstições dão o poder de favorecer o nascimento de crianças do sexo masculino. Quando o narrador deste romance, um sábio francês especialista em escaravelhos, consegue encontrar algumas durante uma viagem ao Egito, não tem dúvidas de que o mundo acaba de entrar numa época crítica da sua história. Com efeito, um pouco por toda a parte, os nascimentos femininos vão-se tornando raros, sem razão aparente. Seriam as "favas" a origem dessa desgraça? Através de uma série de tentativas de investigação que os conduz até ao equador, o sábio e a sua expedição procuram uma explicação. Feroz e terno, alegre e sério, este romance de Amin Maalouf presta-se a mais de uma leitura. Romance do amor "maternal" de um pai para com a sua filha, romance de um homem dedicado à "feminilidade do mundo", romance de um mal incompreensível que destrói as mulheres e atormenta os homens, romance da divisão do nosso planeta entre um Sul em decadência e um Norte que se exaspera, romance do assustador encontro entre as perversões do arcaísmo e as da modernidade... Mas talvez seja antes de mais o romance do desconcertante fim de século passado. Também com um olhar inquieto para o vinte e um, já presente e que o autor designa, enigmaticamente, O Século Primeiro depois de Beatriz.

Recomendado por:

- Rosalia Vargas

    Escritor e jornalista libanês, Amin Maalouf nasceu em 1949, em Beirute. Grande conhecedor da natureza humana e de territórios culturais e políticos, no livro O Século Primeiro Depois de Beatriz aborda uma trama que se desenrola no Oriente e se estende pela Europa. Talvez umas favas misteriosas favoreçam nascimentos masculinos e assiste-se a um grande desequilíbrio na natalidade e também nas geografias norte-sul. É muito interessante o diálogo entre dois cientistas, antecipando o encontro com a jornalista, muito simbólico da velha questão da divulgação científica: “Estás a ver, caro colega, (…) nunca sabes que inépcias ele porá na tua boca no dia seguinte. Onde tu disseste “acrídios em fase gregária” ele faz-te dizer “uma nuvem de gafanhotos”. “Não o diria a estudantes de entomologia. Mas ao grande público, por que não?” “…Pois bem, força, di-lo! Há uma jornalista que vem procurar-me às onze horas, vou mandá-la ter contigo.” “Foi assim que Clarence entrou na minha vida, às onze horas e três minutos”.


ISBN: 9789722909198

PARTILHE

            

Deixe a sua Opinião

Avaliação

1 2 3 4 5