PAVILHÃO DO CONHECIMENTO
CIÊNCIA VIVA
REDE CENTROS CIÊNCIA VIVA


História da Ciência Viva (1996 - 2016)

VOLTAR

Alunos do Externato Roseiral de Santa Teresinha em actividades experimentais, 1999 (Fonte: Fotografia de Luísa Ferreira, Arquivo Ciência Viva).

Concurso Ciência Viva (PI-PVI)

A criação do Concurso Ciência Viva teve lugar em Julho de 1996, tendo por objectivo “mobilizar a comunidade científica e educativa, para que, de uma forma articulada e apoiada, contribuam para a melhoria das aprendizagens científicas dos estudantes dos ensinos básico e secundário”1.

O convite público à apresentação de propostas de acção para o ensino experimental das ciências decorreu durante o Verão de 1996, tendo contribuído para a realização de um primeiro levantamento que incidiu sobre os professores e escolas interessados no projecto e sobre as possibilidades de partilha de recursos entre as comunidades educativa e científica.

No seu conjunto, as seis edições do Concurso Ciência Viva financiaram um total de 3961 projectos nas mais variadas áreas científicas, desde a Física e Química, passando pela Astronomia, Ambiente e Matemática.

 

Projectos aprovados nas várias edições do Concurso Ciência Viva

 

Analisando os resultados do concurso a nível geográfico torna-se evidente que os distritos de Portalegre e as Regiões Autónomas da Madeira e Açores se apresentam como as zonas que registaram um menor número de projectos financiados, enquanto Lisboa, Porto, Coimbra, Setúbal e Aveiro, distritos litorais, com maior densidade populacional e que contam com a presença de universidades e politécnicos, são aqueles que um maior número de projectos viram ser desenvolvidos, destacando-se ainda a progressão do distrito de Braga a partir do terceiro concurso.

Analisando o número de projectos desenvolvidos pelo tipo de entidade proponente verifica-se que as escolas secundárias se destacam com 1466 projectos da sua responsabilidade, tendo sido as entidades que mais participaram nos concursos e que obtiveram um maior número de projectos financiados. Seguem-se as escolas básicas, com um total de 814 projectos desenvolvidos e os agrupamentos escolares, com 393. O ensino privado ou cooperativo surge na quarta posição com um total de 345 projectos financiados, seguido pelos estabelecimentos de ensino superior, públicos e privados, com 325. As escolas profissionais também se envolveram neste programa tendo visto ser financiados 118 projectos.

Quanto às associações, científicas ou culturais, estas tiveram, igualmente, um papel relevante como promotoras de projectos Ciência Viva. No conjunto dos seis concursos, 203 projectos de associações de carácter científico foram financiados, bem como 103 de associações culturais ou de apoio social. Sessenta e sete projectos propostos por juntas de freguesia e câmaras municipais receberam, também, financiamento. É, também, importante destacar o substancial número de projectos propostos por empresas. Destaca-se a Quimiteste – Engenharia e Tecnologia Lda., empresa de Palmela que viu dez dos seus projectos serem financiados nos três primeiros Concursos Ciência Viva. Também nos três primeiros concursos, a M. T. Brandão, do Porto, viu serem financiados dezassete projectos. Nas restantes edições não são visíveis projectos de empresas, visto estas entidades terem deixado de ser elegíveis como entidades proponentes.


Referências:
1 Arquivo Ciência Viva, processo 131-97, "Ofício do Ministério da Ciência e Tecnologia, Unidade de apoio para a Educação Científica e Tecnológica, relativo ao Concurso Ciência Viva", 1997, p. 1.


Multimedia

Alunos da EB1 n.º 154 de Lisboa a realizar actividades experimentais, 1999 (Fonte: Fotografia de Luísa Ferreira, Arquivo Ciência Viva).
Actividades experimentais realizadas por alunos da EB1 n.º 154 de Lisboa, 1999 (Fonte: Fotografia de Luísa Ferreira, Arquivo Ciência Viva).
Alunos do Externato Roseiral de Santa Teresinha em actividades experimentais, 1999 (Fonte: Fotografia de Luísa Ferreira, Arquivo Ciência Viva).
Visita de alunos à exposição "Da Pedra ao Boneco de Estremoz" elaborada pelo Centro Ciência Viva de Estremoz, [2007-2008] (Fonte: Projecto PVI 1057, Arquivo Ciência Viva).
Actividades no âmbito do projecto "A Biodiversidade num ecosistema de Coral" no Colégio São Martinho, 2008 (Fonte: Projecto PVI 1106, Arquivo Ciência Viva).
Construção de um carrinho de rolamentos por alunos da Escola Secundária Frei Heitor Pinto, inserido no projecto "Espaço de Ciência – Actividades no espaço", 2008 (Fonte: Projecto PVI 1134, Arquivo Ciência Viva).
Experiência em sala de aula na Escola Secundária Frei Heitor Pinto, 2008 (Fonte: Projecto PVI 1134, Arquivo Ciência Viva).
Experiência em sala de aula na Escola Secundária Frei Heitor Pinto, 2008 (Fonte: Projecto PVI 1134, Arquivo Ciência Viva).
VER TODOS
1998-2016 Ciência Viva