A zona procurada não existeset dateformat dmy;select * from evento ev inner join entidade et on ev.id_entidade=et.id_entidade where (ev.aprovado = 1) and et.id_Actividade=357 order by et.nome

Os investigadores e engenheiros responsáveis por esta ação disponibilizam-se para realizar as sessões abaixo indicadas em escolas de acordo com os dados providenciados:

Simulação de uma Missão a Marte

Entidade: --
Responsável: Nuno Loureiro
Local: Lisboa
Data: Dia 6 (manhã), dia 8 (manhã)
Público Alvo:Ensino Básico (2º e 3º ciclos)
Ensino Secundário
Geral
Descrição: Durante a palestra serão dados dois exemplos de simulações que podem ser feitos em Terra para aprender mais sobre as condições de vida em microgravidade e em Marte. Darei alguns exemplos pessoais sobre cada um deles, descrevendo as semelhanças e diferenças em relação ao ambiente real.

Conceitos-chave: Microgravidade, Simulação de missão,
Notas:
Requerimentos:
Duração da palestra: 45 min
Número máximo de alunos por palestra:


Acção Esgotada
Nós no espaço

Entidade: CEiiA
Responsável: Pedro Talaia
Local: Porto
Data: 5 a 9 de outubro
Público Alvo:Ensino Secundário
Descrição: Desde o lançamento de foguetes tripulados até à vida em órbita, passando pelas viagens espaciais e o regresso dos astronautas, o corpo humano está sujeito a uma série de solicitações que desafiam o seu corpo e mente.
Perceber como o nosso corpo reage a cada uma destas fases é importante para avaliar a importância da robustez física dos astronautas.

Conceitos-chave: Vida no espaço
Notas:
Requerimentos: Projector e sistema de som
Duração da palestra: 45 - 90
Número máximo de alunos por palestra:


Acção Esgotada
Estrelas, matéria escura e ondas gravitacionais?

Entidade: CENTRA-Centro Multidisciplinar de Astrofísica do IST
Responsável: André Martins
Local: Grande Lisboa e Península de Setúbal (a Oeste do IP1)
Data: 5 a 9 de outubro
Público Alvo:Ensino Secundário
Geral
Descrição: Quando olhamos para uma estrela pensamos logo numa bola brilhante, enorme e muito quente. Ao longo do último século aprendemos imenso sobre as estrelas, sobre a sua estrutura, sobre a sua evolução e sobre a sua dinâmica.
Actualmente sabemos muito bem como as estrelas funcionam, tão bem que as podemos usar como um laboratório para estudar física fundamental.
Desde um dos grandes mistérios da física de partículas e da cosmologia, a matéria escura, até às perturabações no espaço-tempo, as chamadas ondas gravitacionais, muitas das questões que temos sobre o nosso Universo podem passar pelo estudo das estrelas.
Vou falar sobre estas ideias, o que quero dizer com a dinâmica de uma estrela, como é que podemos usar as estrelas como laboratórios, o que é isso da matéria escura e das ondas gravitacionais.

Conceitos-chave: Estrelas, matéria escura, ondas gravitacionais
Notas:
Requerimentos: Projector
Duração da palestra: 30min+15min perguntas/conversa
Número máximo de alunos por palestra:


Acção Esgotada
As escalas do Universo

Entidade: CENTRA-Centro Multidisciplinar de Astrofísica do IST
Responsável: André Martins
Local: Grande Lisboa e Península de Setúbal (a Oeste do IP1)
Data: Dias 5 a 9 de Outubro
Público Alvo:Ensino Básico (2º e 3º ciclos)
Descrição: Todos sabemos que a Terra gira à volta do Sol e que é muito mais pequena que alguns dos outros planetas do Sistema Solar. Mas o que há para além do nosso sistema? O que vemos quando olhamos mais longe?
Tal como nós somos feitos de triliões de células, o Universo é feito de triliões de estrelas. Essas estrelas agrupam-se em objectos cada vez maiores, galáxias, grupos de galáxias, aglomerados de grupos, super-aglomerados...
E para além disso? Há alguma escala para lá da qual não conseguimos ver?

Conceitos-chave: Universo, escalas, estrelas, galáxias, luz
Notas:
Requerimentos: Projector ou TV com boa qualidade de imagem e ligação ao computador por cabo HDMI ou VGA
Duração da palestra: 30min+15min perguntas/conversa
Número máximo de alunos por palestra:


Acção Esgotada
Os Filhos das Estrelas

Entidade: CENTRA-Centro Multidisciplinar de Astrofísica do IST
Responsável: Ana Maria Mourão
Local: Grande Lisboa. Outras localizações a confirmar.
Data: Dia 7 de manhã, dias 6, 8 e 9 manhã e tarde
Público Alvo:Ensino Básico (2º e 3º ciclos)
Ensino Secundário
Geral
Descrição: Carbono... Oxigénio... Azoto...
Encontramos estes elementos químicos em todos os seres vivos. Mas como se formaram estes átomos?
Nesta palestra faz-se uma breve análise da evolução do Universo desde o Big Bang até aos dias de hoje. Nesse contexto aborda-se a formação dos elementos químicos nas estrelas. Mostra-se como o carbono, o oxigénio, o azoto, o ferro, bem como outros elemntos pesados, são produto de reações nucleares em estrelas. E, por isso, também nós, somos ... filhos de estrelas!

Conceitos-chave: Universo, estrelas, supernovas, elementos químicos, astrofísica, astronomia
Notas:
Requerimentos: Projetor e computador
Duração da palestra: 45 minutos
Número máximo de alunos por palestra:


Acção Esgotada
O Espaço como área de conhecimento transversal

Entidade: Edisoft, SA
Responsável: Ricardo Conde
Local: Zona de Lisboa, Sintra e Mafra
Data: Dia 8 (tarde)
Público Alvo:Ensino Secundário
Descrição: A palestra tem como objectivo apresentar a área técnológica Espacial, como uma área transversal e agregadora de saberes. Serão focados ainda os aspectos de realidade aplicacional dos conceitos físicos e matemáticos ministrados nos currículos escolares, assim como uma apresentação dos principáis programas espaciais europeus e internacionais.

Conceitos-chave: Lançadores, órbitas, estações de terra, operações
Notas:
Requerimentos: Projector
Duração da palestra: 45 a 60 min
Número máximo de alunos por palestra:


Acção Esgotada
O Sol Tranquilo?

Entidade: ESTGV
Responsável: Alexandre Aibeo
Local: Distrito de Viseu
Data: 8 e 9 de outubro (final manhã/início da tarde)
Público Alvo:Ensino Básico (2º e 3º ciclos)
Ensino Secundário
Descrição: “Não olhar directamente para o Sol!” Foi exactamente esse risco que revolucionou a forma como “olhamos” para o Sol. Outros olhos, outras formas de ver. O interior do Sol, a sua rotação, as manchas solares e as auroras boreais. Numa altura em que imagens extraodinariamente detalhadas nos mostram a intensa actividade do Sol, torna-se importante compreender o comportamento do ciclo solar. Uma viagem ao sabor do vento solar em que nem sempre o Sol é o que parece.

Conceitos-chave: Sol, Estrela, Terra, Dinâmica, Estrutura
Notas: Para o ensino Básico aplica-se apenas ao 3º ciclo.
Requerimentos: Projector e bom local de projecção
Duração da palestra: 45
Número máximo de alunos por palestra: 60


Acção Esgotada
Rosetta - no encalço de um Cometa

Entidade: GMV - SKYSOFT
Responsável: João Branco
Local: Lisboa
Data: Qualquer data
Público Alvo:Ensino Básico (2º e 3º ciclos)
Ensino Secundário
Descrição: Rosetta é o nome da sonda espacial da Agência Espacial Europeia que desde 2014 estuda de perto cometa 67P/Churyumov–Gerasimenko (67P), depois de uma viagem de 10 anos. A palestra introduz a missão, focando-se no desafio da sua viagem interplanetária.

Conceitos-chave: Rosetta , exploração espacial, viagem interplanetária
Notas:
Requerimentos: Projector
Duração da palestra: 30 minutos
Número máximo de alunos por palestra:


Acção Esgotada
A Navegação por Satélite em 2020

Entidade: GMV
Responsável: Teresa Ferreira
Local: Raio de 50 km do centro de Lisboa
Data: 5 - 9 de outubro
Público Alvo:Ensino Secundário
Geral
Descrição: Princípios de funcionamento
Perspectivas dos novos sistemas

Conceitos-chave: Navegação por satélite
Notas:
Requerimentos: Projector
Duração da palestra: 45 min
Número máximo de alunos por palestra:


Acção Esgotada
Os materiais da Terra que viajam pelo Espaço

Entidade: HPS- High Performance Structures, Gestão e Engenharia Lda
Responsável: Celeste Pereira
Local: Porto
Data: Dia 7 de manhã
Público Alvo:Ensino Básico (2º e 3º ciclos)
Ensino Secundário
Geral
Descrição: A palestra desenrolar-se-á à volta da apresentação dos materiais feitos pelos Homem e que são usados no fabrico de naves, satélites e outras estruturas espaciais. A HPS usa alguns desses materiais e fabrica várias estruturas que terá todo o gosto em mostrar (e deixar manipular) aos alunos do ensino secundário.
O objectivo principal da palestra é mostrar, de forma simplista, quais são os conhecimentos base necessários para o projeto e fabrico destas estruturas e que Engenheiros Portugueses trabalhar neste sector.



Conceitos-chave: Materiais, estruturas, viajar
Notas: A palestra poderá ser adaptada ao público alvo, mas é mais indicada para o ensino secundário.
Requerimentos: Projector
Duração da palestra: 30-45 minutos
Número máximo de alunos por palestra:


Acção Esgotada
Como pensa um cientista?

Entidade: Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço / Universidade de Lisboa
Responsável: Hugo Messias
Local: Grande Lisboa, margem Sul do tejo
Data: 5 a 9 de outubro
Público Alvo:Geral
Descrição: Será que um cientista pensa de maneira diferente dos restantes habitantes do planeta Terra? Irei dar a resposta a essa pergunta ao guiar os alunos pelo processo de raciocínio científico, desde o questionar à conclusão. Um método rigoroso, mas talvez bem comum.

Conceitos-chave: Raciocínio científico_ Processo de descoberta
Notas:
Requerimentos:
Duração da palestra: 30 a 45 min
Número máximo de alunos por palestra:


Acção Esgotada
Os próximos monstrinhos

Entidade: Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço / Universidade de Lisboa
Responsável: Hugo Messias
Local: Grande Lisboa, Margem Sul do tejo
Data: 5 a 9 de outubro
Público Alvo:Geral
Descrição: Parece que o tamanho dos telescópios ao longo do tempo tem seguido uma lei que diz que a cada 50 anos, duplica a abertura. Mas porquê esta necessidade de crescente em tamanho? Quais são as curiosidades dos modelos de telescópio passados, atuais e futuros? Como serão os próximos monstros e porquê?

Conceitos-chave: Telescópios
Notas:
Requerimentos:
Duração da palestra: 45 min
Número máximo de alunos por palestra:


Acção Esgotada
O Universo à escala humana

Entidade: Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço / Universidade de Lisboa
Responsável: Hugo Messias
Local: Grande Lisboa, Margem Sul do tejo
Data: 5 a 9 de outubro
Público Alvo:Geral
Descrição: Todos já nos interrogámos sobre a complexidade e extensão do Universo em que vivemos. Porém, muitas vezes complicamos.. O intuito da apresentação é mostrar como descomplicar certos conceitos científicos e tamanhos astronómicos através de exemplos do nosso quotidiano. No final, o Universo caberá na sala de aula.

Conceitos-chave: Universo_ escalas_ medição_ Quotidiano
Notas:
Requerimentos:
Duração da palestra: 45 min
Número máximo de alunos por palestra:


Acção Esgotada
Como se pesa o Universo?

Entidade: Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço / Universidade de Lisboa
Responsável: Nelson Nunes
Local: Municipios de Évora, Reguengos de Monsaraz ou Mourão
Data: Dia 5 (Todo o dia)
Público Alvo:Ensino Secundário
Descrição: Nesta apresentação vamos descobrir
quais são os truques e processos pelos quais os investigadores medem as massas dos corpos celestes (como sabemos que apenas 5% da matéria do
Universo é composta de matéria normal,isto é, neutrões e protões), e compreender que o Universo tem uma expansão acelerada.

Conceitos-chave: Sistema Solar, Galáxias, Cosmologia
Notas:
Requerimentos: Projector
Duração da palestra: 45
Número máximo de alunos por palestra:


Acção Esgotada
Estudar Galáxias com Buracos Negros serve para quê?

Entidade: Instituto de Astrofisica e Ciências do Espaço / Universidade de Lisboa
Responsável: Sonia Anton
Local: Lisboa
Data: 5 a 9 de outubro das 9:30 às 12:30
Público Alvo:Ensino Básico (1º ciclo)
Ensino Básico (2º e 3º ciclos)
Ensino Secundário
Geral
Descrição: Explicar o que são Buracos Negros, e quais os diferentes tipos de Buracos Negros
Abordar a relação com as galáxias
Explicar como o desenvolvimento de instrumentação para o estudo destes objectos tem impacto no dia-a-dia das populações
Abordar a participação de Portugal em projectos internacionais.

Conceitos-chave: Buracos Negros, Galáxias, Instrumentação
Notas:
Requerimentos: Projector
Duração da palestra: 45 min (incluindo debate)
Número máximo de alunos por palestra:


Acção Esgotada
À descoberta de planetas extra-solares

Entidade: Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço / Universidade do Porto
Responsável: Sérgio Sousa
Local: Porto, Vila Nova de Gaia, e arredores
Data: Dias 5,6,7,8 (manhã), e Dia 9 (todo o dia)
Público Alvo:Ensino Secundário
Geral
Descrição: Nesta palestra serão abordados os técnicas existentes para a deteção de planetas fora do nosso Sistema Solar. Que ferramentas são usadas e as dificuldades associadas às técnicas com mais sucesso na procura de novos planetas. Será dada uma breve descrição dos vários tipos de planetas descobertos e finalmente será abordado brevemente o tema da possibilidade de vida noutros sistemas estelares.


Conceitos-chave: Sistemas estelares, Exoplanetas
Notas:
Requerimentos: Projector
Duração da palestra: 30 minutos
Número máximo de alunos por palestra:


Acção Esgotada
Luz e Telescópios

Entidade: Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço / Universidade do Porto
Responsável: Tiago Magalhães
Local: Cidade da Maia (ex: Escola EB 2/3 de Gueifães, Escola Secundária da Maia, Escola EB 2/3 da Maia, bibliotecas municipais, etc) e Cidade do Porto.
Data: Dias 5,6,7 e 9 de outubro (manhã ou tarde)
Público Alvo:Ensino Básico (1º ciclo)
Ensino Básico (2º e 3º ciclos)
Ensino Secundário
Geral
Descrição: Grande parte do conhecimento que temos do Universo deve-se à luz que dele chega até nós. Através da aplicação do estudo da luz e das suas propriedades, os cientistas conseguem obter vários tipos de informação, como por exemplo, o tamanho das estrelas, a sua distância à Terra ou a sua temperatura. No que diz respeito às observações e imagens que recolhemos do espaço, coloca-se a seguinte questão: “Como podemos observar de forma ampliada imagens de estrelas, planetas ou outros objetos astronómicos?”. A resposta a esta questão consiste em “manipular” a luz que chega até nós através de instrumentos ópticos, nomeadamente, telescópios. Nesta palestra serão abordados os seguintes tópicos: a natureza da luz, o seu estudo através da óptica e, finalmente, telescópios. Aspectos históricos, assim como avanços recentes, serão mencionados.

Conceitos-chave: Óptica, Luz, Telescópios.
Notas:
Requerimentos: Projector.
Duração da palestra: 45
Número máximo de alunos por palestra:


Acção Esgotada
A Física do Big Bang

Entidade: Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço / Universidade do Porto
Responsável: Carlos Martins
Local: Todo o país
Data: 5 a 9 de outubro
Público Alvo:Ensino Secundário
Descrição: Nos últimos 20 anos aprendemos mais sobre o Universo do que em todo o resto da história da humanidade. Esta palestra descreve o estado actual da Cosmologia (o chamado modelo do Big Bang) e os seus grandes desafios futuros. O principal é o facto de observações recentes sugerirem que 96% do conteúdo do Universo se encontrar em formas (conhecidas como matéria escura e energia escura) que não emitem luz nem foram ainda detectadas experimentalmente em laboratório, sendo apenas conhecidas pelos seus efeitos gravitacionais. Uma nova geração de telescópios e satélites
tentará, na próxima década, caracterizar este lado escuro do Universo.

Conceitos-chave: Cosmologia teórica, cosmologia observacional, energia escura
Notas:
Requerimentos: Projector (essencial), quadro (útil).
Duração da palestra: 1h
Número máximo de alunos por palestra:


Acção Esgotada
A Física da Gravidade e dos Satélites

Entidade: Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço / Universidade do Porto
Responsável: Carlos Martins
Local: Todo o país
Data: 5 a 9 de outubro
Público Alvo:Ensino Secundário
Descrição: Um dos paradoxos da nossa civilização é que quanto mais dependemos da ciência e da tecnologia no nosso dia-a-dia menos o cidadão comum sabe sobre elas. Nesta palestra, após uma introdução breve aos campos gravitacionais e ao
seu papel nas órbitas dos satélites, discutiremos alguns exemplos do papel (muitas vezes ignorado) dos satélites nas nossas vidas.

Conceitos-chave: Gravidade, satélites artificiais, GPS
Notas:
Requerimentos: Projector (essencial), quadro (útil).
Duração da palestra: 1h
Número máximo de alunos por palestra:


Acção Esgotada
400 anos de Telescópios, de Galileu ao E-ELT

Entidade: Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço / Universidade do Porto
Responsável: Carlos Martins
Local: Todo o país
Data: 5 a 9 de outubro
Público Alvo:Ensino Secundário
Descrição: Após uma discussão muito sucinta da origem e história dos telescópios astronómicos, esta palestra descreverá os planos de construção
do E-ELT, o maior telescópio óptico/infravermelho do mundo, os principais
desafios tecnológicos a ela associados, e os grandes objectivos científicos do telescópio. Discutiremos ainda os impactos positivos dos investimentos tecnológicos associados a esta construção em áreas como a medicina e as
telecomunicações.

Conceitos-chave: Telescópios, E-ELT, astronomia observacional
Notas:
Requerimentos: Projector (essencial), quadro (útil).
Duração da palestra: 1h
Número máximo de alunos por palestra:


Acção Esgotada
A física das Estrelas

Entidade: Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço / Universidade do Porto
Responsável: Carlos Martins
Local: Todo o país
Data: Dias 5 a 9 de outubro,
Público Alvo:Ensino Secundário
Descrição: As 4 forças da natureza são relevantes para o ciclo de vida de uma estrela, mas é a gravidade que determina o seu destino. Esta palestra descreve os processos físicos relevantes para o nascimento, vida e morte das estrelas. Em particular discutiremos o seu papel na formação dos elementos químicos, e os possíveis estados finais deste ciclo: anãs brancas, estrelas de neutrões e buracos negros.

Conceitos-chave: Estrelas, buracos negros, forças fundamentais
Notas:
Requerimentos: Projector (essencial), quadro (útil).
Duração da palestra: 1h
Número máximo de alunos por palestra:


Acção Esgotada
À procura de outras Terras

Entidade: Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço / Universidade do Porto
Responsável: Nuno Santos
Local: Porto
Data: Dias 7 e 9 de outubro, qualquer hora
Público Alvo:Ensino Secundário
Geral
Descrição: A descoberta nos últimos 20 anos de centenas de planetas a orbitar outras estrelas mostrou-nos que os sistemas planetários
são comuns no Universo. A procura de outras Terras tornou-se num
dos temas mais quentes da astrofísica moderna, motivando o
desenvolvimento de novos instrumentos e missões espaciais.
Mais ainda, a deteção de novos planetas cada vez mais parecidos com a nossa Terra abre enormes perspetivas de um dia podermos responder de forma positiva à pergunta ... Haverá vida noutros locais do Universo?. Nesta palestra vamos abordar o tema da procura de planetas em torno de outras estrelas, os chamados planetas extra-solares. Os princípios físicos mais usados pelos astrofísicos para detetar estes objetos serão descritos de forma simples. Alguns exemplos dos resultados das pesquisas mais recentes serão igualmente mostrados. Finalmente, abordaremos o futuro deste excitante tema científico bem como a participação de Portugal nesta conquista.


Conceitos-chave: Planetas Extrasolares, Vida no Universo
Notas:
Requerimentos: Projetor
Duração da palestra: 45 min
Número máximo de alunos por palestra:


Acção Esgotada
A Química das Estrelas

Entidade: Instituto de Astrofisica e Ciências do Espaço / Universidade do Porto
Responsável: Mário João P. F. G. Monteiro
Local: Porto e arredores
Data: Dias 5,7,8,9 (com algumas limitações)
Público Alvo:Ensino Secundário
Descrição: A palestra aborda a forma como a evolução estelar determina a composição química do Universo e a sua variação com o tempo.

Conceitos-chave: Estrelas, Evolução química, Universo, Evolução Estelar
Notas:
Requerimentos: Projector
Duração da palestra: 40 min
Número máximo de alunos por palestra:


Acção Esgotada
A Via Láctea e as outras galáxias

Entidade: Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço/Universidade do Porto
Responsável: Catarina Lobo
Local: Cidade do Porto
Data: Dia 5 (manhã), dia 9 (todo o dia)
Público Alvo:Geral
Descrição: A galáxia em que vivemos é aborrecidamente igual a todas as outras no Universo. Certo? Não, nada mais errado. Nesta palestra vamos começar por conhecer bem a Via Láctea e depois arrancaremos para outras galáxias, percebendo como são, como se formaram, como evoluem. Veremos ainda alguns dos extraordinarios fenomenos que albergam.

Conceitos-chave: Galáxias
Notas:
Requerimentos: Projector
Duração da palestra: 50 min
Número máximo de alunos por palestra:


Acção Esgotada
Vamos falar do Espaço

Entidade: Instituto de Plasmas e Fusão Nuclear
Responsável: Mário Lino da Silva
Local: Lisboa e arredores, península de Setúbal
Data: 5-9 de outubro
Público Alvo:Ensino Básico (1º ciclo)
Ensino Básico (2º e 3º ciclos)
Descrição: Num contexto informal irei falar do espaço na perspectiva de um cientista que trabalha em projectos de exploração espacial robótica. Com algum material de apoio didáctico irei explicar como funciona uma missão espacial desde o lançamento até à aterragem, como se explora o Espaço (observação - Astronomia e exploração - Astronautica), e como o Espaço está inserido no nosso quotidiano (observação da Terra, metereologia, agricultura, GPS, etc...).
A palestra será completada com uma sessão livre de perguntas e respostas em relação com o Espaço em geral

Conceitos-chave: observação_ exploraçao_ naves espaciais_ impacto no quotidiano
Notas:
Requerimentos: Projector e Computador.
Duração da palestra: 45 min - 1 hora
Número máximo de alunos por palestra:


Acção Esgotada
Desenho de Naves Espaciais para exploração de Planetas

Entidade: Instituto de Plasmas e Fusão Nuclear
Responsável: Mário Lino da Silva
Local: Grande Lisboa, Península de Setubal
Data: 5-9 de outubro
Público Alvo:Ensino Secundário
Descrição: Nesta palestra irei apresentar a minha investigação, relacionada com o desenho de naves espaciais de exploração robótica. Estes veículos devem ser capazes de resistir à fase da entrada na atmosfera de um planeta a velocidades extremamente elevadas (10km/s), e estas condições são reproduzidas numa instalação experimental que eu coordeno. Os alunos poderão igualmente nesta palestra contactar com a realidade de trabalhar na área espacial e colocar outras perguntas de âmbito geral.

Conceitos-chave: Planetas, naves espaciais, reentrada atmosférica, plasmas hipersónicos
Notas:
Requerimentos: Projector e Computador
Duração da palestra: 45min-1h
Número máximo de alunos por palestra:


Acção Esgotada
Satélites Meteorológicos - Como funcionam, para que servem?

Entidade: IPMA
Responsável: Carla Barroso
Local: Lisboa (Olivais, Telheiras, Lumiar)
Data: 09/10/2015, parte da tarde
Público Alvo:Ensino Secundário
Descrição: As imagens captadas pelos primeiros satélites meteorológicos no início dos anos 60, embora de qualidade muito reduzida quando comparadas com as atuais, permitiam localizar sistemas de nuvens, auxiliando no diagnóstico do estado do tempo. A evolução tecnológica sofrida entretanto veio impulsionar a utilização dos produtos destes satélites não só para a monitorização do estado da atmosfera, como da superfície terrestre. Mas como funcionam estes sistemas? Quais as leis da física que permitem que um sensor, localizado a mais de 30 000 km de altitude possa medir por exemplo a temperatura da superfície terrestre, ou que permita concluir se uma determinada nuvem é constituída por gotas de água líquida ou de gelo? Nesta apresentação mostram-se vários exemplos de imagens de satélite, evidenciando a evolução desde as primeiras até à atualidade e explicam-se os princípios físicos da deteção remota por satélite.

Conceitos-chave: satélites, física, radiação, imagens
Notas: A palestra também poderá ser dada em Inglês.
Requerimentos: Projetor
Duração da palestra: 45 minutos
Número máximo de alunos por palestra: 30


Acção Esgotada
Observação da Terra

Entidade: IPMA
Responsável: Isabel Monteiro
Local: Lisboa (Olivais, Telheiras, Lumiar)
Data: 09/10/2015 (manhã)
Público Alvo:Ensino Básico (2º e 3º ciclos)
Descrição: A atividade foca a observação da Terra por satélite. Descreve-se a evolução dos satélites de observação da Terra, os tipos de órbitas e a forma como a observação é efetuada. Com o objectivo de familiarizar o estudante com imagens de satélite apresentam-se alguns exemplos de aplicação, como a utilização na monitorização da atmosfera, da superfície continental e dos oceanos e ainda a utilização da cor nas imagens de satélite.

Conceitos-chave: satélites, imagens
Notas:
Requerimentos: Projetor
Duração da palestra: 45 minutos
Número máximo de alunos por palestra: 30


Acção Esgotada
Evolução do Universo

Entidade: Instituto Superior Técnico
Responsável: João Luís Rosa
Local: Toda a zona de Lisboa
Data: 5 a 9 de outubro
Público Alvo:Ensino Secundário
Descrição: A apresentação consiste num resumo da evolução do universo desde o Big Bang até à denominada morte térmica prevista por William Thomson (Lord Kelvin) no século XIX. Os principais fenómenos de cada época evolutiva são referidos e explicados, e são ainda apresentadas teorias alternativas da morte do universo.

Conceitos-chave: Big Bang, nucleossíntese, expansão, redshift, recombinação, formação estelar, modelo padrão, interacções fundamentais, matéria escura, energia escura, entropia, Hubble, Einstein, Hawking, Kelvin
Notas:
Requerimentos: Projector
Duração da palestra: 50 min aprox.
Número máximo de alunos por palestra:


Acção Esgotada
Como construir um Satélite?

Entidade: IT - Universidade de Aveiro
Responsável: Nuno Carvalho
Local: Zonas centro e norte do país
Data: Todos os dias, excepto dia 6 e 8 até às 14h
Público Alvo:Ensino Secundário
Descrição: Nesta palestra apresentar-se-á o que é um satélite de telecomunicações e como o construir.

Conceitos-chave: Satélites, Telecomunicações, Electrónica
Notas:
Requerimentos: Projector com sistema de som
Duração da palestra: 45 minutos
Número máximo de alunos por palestra:


Acção Esgotada
Espaço: para o Infinito e mais além!

Entidade: LIP / IST
Responsável: Pedro Abreu
Local: Distritos de Lisboa, Setúbal, Leiria, Santarém, Portalegre, Évora e Beja.
Data: Dias 7 e 9 de manhã, 8 (durante todo o dia)
Público Alvo:Ensino Secundário
Geral
Descrição: Nesta palestra procurarei levar o participante a viajar comigo ao encontro de infinitos: do infinitamente pequeno para o infinitamente grande.

Conceitos-chave: universo, partículas elementares, matéria e energia escuras
Notas:
Requerimentos: Projector
Duração da palestra: 45 minutos
Número máximo de alunos por palestra:


Acção Esgotada
A Terra, o Sol e a Lua

Entidade: LIP/IST
Responsável: Patrícia Gonçalves
Local: Lisboa e Grande Lisboa e Margem Sul
Data: Dia 6, 7 e 8 (manhã ou tarde)
Público Alvo:Ensino Básico (1º ciclo)
Ensino Básico (2º e 3º ciclos)
Ensino Secundário
Descrição: Bloco 0 – Contextualização

Objectivo: Onde estamos? Transmitir as dimensões relativas da Terra, dos Planetas e do Sol e as suas dimensões no Universo.

Bloco 1- O Sol e a Terra

Objectivo: Transmitir a noção de que o Sol é a fonte de energia da Terra, mas que temos de nos proteger dele. Explicar como é que estamos protegidos. Explicar que os astronautas não estão protegidos e que temos de tomar medidas para os proteger da radiação. (Inclui demonstração do efeito de um campo magnético)

Bloco 2- A Lua e a Terra

Objectivo: Explicar como se viaja até à Lua. Descrever a programa Apollo: como eram lançadas as naves, como chegavam à Lua, como alunavam, como voltavam a entrar em órbita e como regressavam os astronautas a casa. (Inclui actividade de demonstração das fases da lua e eclipses)


Conceitos-chave: Sol/Lua/Sistema Solar/Planetas/Viagens espaciais
Notas: Esta palestra pode ser adaptada conforme o público alvo.
Requerimentos: Projector para ligação a computador portátil.
Possibilidade de escurecimento da sala para a demonstração das fases da Lua.
Duração da palestra: 45 minutos
Número máximo de alunos por palestra:


Acção Esgotada
Os últimos calhaus a contar do Sol

Entidade: Observatório Geofísico e Astronómico da Universidade de Coimbra
Responsável: Nuno Peixinho
Local: Todo o País
Data: Dias 5, 6, 7 e 8
Público Alvo:Ensino Básico (1º ciclo)
Ensino Básico (2º e 3º ciclos)
Ensino Secundário
Geral
Descrição: O Sistema Solar está repleto de pequenos corpos muito difíceis de observar devido, precisamente, às suas pequenas dimensões, com nomes mais ou menos exóticos e de difícil pronunciação. São, porém, esses mesmo pequenos corpos que poderão atingir a Terra e trazer consequências catastróficas. Para além da órbita de Neptuno existe uma vasta população de pequenos corpos gelados chamada de Cintura de Kuiper. Especulou-se sobre a sua existência na primeira metade do século XX mas o assunto acabou por cair no esquecimento. A sua surpreendente descoberta em 1992 abriu uma nova janela para as Ciências Planetárias. Em apenas 23 anos identificaram-se mais de 1700 destes objectos e _perdeu-se_ um planeta que acabou mais famoso que nunca.

Conceitos-chave: Sistema Solar, pequenos corpos, Cintura de Kuiper, Objetos Trans-Neptunianos, Plutão
Notas: A palestra será ajustada em função da audiência.
Requerimentos: Projetor com porta VGA.
Duração da palestra: 45 min
Número máximo de alunos por palestra:


Acção Esgotada
Falar com Astronautas

Entidade: REP ARISS
Responsável: José Luís Califórnia
Local: Lisboa
Data: Dias 5, 6 e 7 (tarde)
Público Alvo:Ensino Básico (3º ciclos)
Ensino Secundário
Descrição: Demostra-se o tipo de comunicações utilizadas atualmente na estação espacial internacional, e qual a a forma como são feitas_ serão mostradas na prática e na teórica com estação física

Conceitos-chave: Estação Espacial Internacional
Notas: Palestra adequada para o 9º ano e Ensino Secundário.
Requerimentos: Projetor, sistema de áudio, internet
Duração da palestra: 45
Número máximo de alunos por palestra:


Acção Esgotada

Resultado da sua pesquisa: 34 eventos