Fechar vídeo
Semana Internacional do Cérebro

Laboratórios Abertos

Pesquisar actividades por:

Os visitantes têm oportunidade de ver o "Cérebro por dentro" e de conhecer a actividade diária dos Neurocientistas.
As actividades podem ser solicitadas por escolas de todo o país através de inscrição no formulário disponibilizado junto a cada acção.
Após inscrição, a coordenação entrará em contacto com as escolas para estruturar o programa de visitas.

Centro de Investigação em Biomedicina da Universidade do Algarve, FARO

Viagem ao cérebro: à descoberta da cognição!
Data: 16 de Março, das 14h às 16h
    Equipa: Alexandra Reis, Ana Teresa Martins, Catarina Paulino, Luís Faísca, Filomena Inácio, Susana Araújo, Dina Silva, Karl Magnus Petersson

    Curioso acerca do funcionamento do cérebro? O que sabes acerca do órgão responsável por tudo aquilo que fazes, dizes ou pensas? No grupo de Neurociências Cognitivas do CBMR tentamos compreender algumas das fascinantes funções cerebrais. Para tal, desenvolvemos algumas experiências que gostaríamos de partilhar contigo!

    Número máximo de alunos por atividade: 12

    Público Alvo: alunos do Ensino Básico (3º ciclo) e do Ensino Secundário


Inscrição >>


À descoberta da memória: do cérebro do rato ao cérebro do Sr. Fonseca
Data: 16 de Março, das 10h às 12h
    Equipa: Equipa: Inês Araújo, Alexandra Reis, Ana Teresa Martins, Catarina Paulino, Luís Faísca, Filomena Inácio, Susana Araújo, Dina Silva, Karl Magnus Petersson, Catarina Fernandes

    Curioso acerca do funcionamento da memória? O que sabes acerca dos diferentes tipos de memória? Como, porquê e onde ficam guardadas as nossas memórias? No grupo de Neurogénese e no grupo de Neurociências Cognitivas do CBMR tentamos compreender o funcionamento da memória utilizando modelos animais e humanos. Para tal, desenvolvemos algumas experiências que gostaríamos de partilhar contigo!

    Número máximo de alunos por atividade: 12

    Público Alvo: alunos do Ensino Básico (3º ciclo) e do Ensino Secundário


Acção Esgotada

 

Centro de Neurociências e Biologia Celular (CNC) Universidade de Coimbra, COIMBRA

Visitas aos Laboratórios do CNC
Data: 14 a 18 março
    Equipa: investigadores do CNC

    Atividades “mãos-na-massa”, jogos e palestras.
    Limite de inscrições: 20 escolas

    Público Alvo: Escolas do ensino básico e secundário, universidades séniores, público em geral


Inscrição >>

 

Colégio Mente-Cérebro, Universidade de Lisboa, LISBOA

Vem conhecer o teu cérebro!
Data: 14 a 18 março 2016, data e horário a acertar com a Escola
    Equipa: Atividade proposta por investigadores do Instituto de Medicina Molecular, Unidade de Fisiologia Clínica Translacional, Grupo do Professor Tiago Maia.

    A visita é composta por duas partes:
    i) Uma palestra teórica bastante geral que se foca sobre diferentes regiões funcionais do cérebro humano e os acontecimentos históricos mais marcantes que levaram a este conhecimento. Faz-se ainda uma breve descrição das doenças neuropsiquiátricas estudadas no grupo de investigação (Síndrome de Tourette, Perturbação Obsessivo-Compulsiva e Perturbação de Hiperatividade e Défice de Atenção) e de alguns dos mecanismos cerebrais que se pensam poderem estar comprometidos nestas, sendo que o conteúdo é adaptado ao ano de escolaridade e à curiosidade dos alunos visitantes.(30 min–1 h)
    ii) Uma parte prática em que os alunos jogarão pequenos jogos computacionais, especialmente desenvolvidos no nosso grupo.Assim, de uma forma divertida, perceberão facilmente como estudamos diferentes mecanismos cerebrais (30-45 min,por actividade).

    A duração estimada da visita será entre 1h30 e 2h30,consoante o interesse da escola e dos alunos.

    Limitado a 30 alunos por inscrição

    Público Alvo: Alunos do 7º ao 12º ano de escolaridade


Inscrição >>

 

Departamento de Biologia Experimental da Faculdade de Medicina da Universidade do Porto, PORTO

Laboratórios abertos- Como investigar o cérebro e a dor
Data: 18 março 2016 (horário a acertar com as escolas)
    Equipa: Departamento de Biologia Experimental

    Demonstração de técnicas para investigar o cérebro e a dor.
    Técnicas de histologia e imunohistoquímica para o estudo do cérebro.


    Público Alvo: Alunos do 9º ao 12º ano


Inscrição >>

 

Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra, COIMBRA

Peddy Brain na FMUC
Data: 16 março 2016 das 09h30 às 13h00
    Equipa: Ana Paula Silva, Filipa Baptista, Maria Ribeiro, Raquel Santiago, Rosa Fernandes, Ricardo Leitão, Vanessa Santos

    A atividade inicia-se com uma breve apresentação sobre a Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra (FMUC) e os seus laboratórios de investigação.
    De seguida serão efetuadas visitas aos laboratórios, acompanhadas por um investigador que descreverá os tópicos principais de alguns trabalhos de investigação a decorrer na FMUC.
    Os participantes terão também oportunidade de assistir e/ou participar num conjunto de experiências simples/demonstrações.
    As principais temáticas a serem discutidas são:
    1. O cérebro de um modelo animal: Neurónios e glia
    2. O cérebro humano: O estudo do comportamento humano
    3. Efeito das drogas de abuso no cérebro: Estudos de comportamento animal
    4. O cérebro está protegido? A barreira hematoencefálica
    5. O olho como janela para o cérebro – Doenças da Visão
    5.1 Retinopatia Diabética
    5.2 Glaucoma

    Público Alvo: Alunos do Ensino Secundário (10º a 12º anos) - Máximo de 30 participantes por sessão


Acção Esgotada

 

Instituto de Investigação do Medicamento - iMed.ULisboa, Faculdade de Farmácia da Universidade de Lisboa, LISBOA

Como morrem os neurónios?
Data: 15 de março 2016 das 14h às 16h
    Equipa: Grupo Cellular Function and Therapeutic Targeting do iMed.ULisboa

    Palestra e actividades hands-on
    Primeira parte da visita | apresentações multimédia sobre: organização estrutural e funcional do cérebro humano. Células do cérebro e a sua forma de comunicação. Causas de morte dos neurónios em doenças neurodegenerativas (Parkinson e Alzheirmer) e neurológicas (AVC,trauma, envelhecimento) e estratégias terapêuticas. Biologia de células estaminais e o seu potencial terapêutico,como as drogas afectam a comunicação entre as células nervosas, e como geram dependência.
    Segunda parte da visita: observar e mexer em modelos anatómicos de cérebro humano e de neurónios. Disseções de modelos de cérebros animais, fazendo o paralelismo com a anatomia do cérebro humano. Observar ao microscópio cortes transversais de cérebro de murganho (identificar as áreas afectadas na doença de Parkinson e Alzheimer, avaliar o número de células antes e após injecção de uma droga). Observar ao microscópio de fluorescência culturas de células nervosas, etc.

    Público Alvo: Alunos do ensino secundário (10º - 12º ano) - Máximo de 50 participantes


Acção Esgotada

 

Instituto de Investigação do Medicamento - iMed.ULisboa, Faculdade de Farmácia, Universidade de Lisboa, LISBOA

À volta com os neurónios e não só
Data: 15 ou 17 de Março, 10-18h
    Equipa: Grupo Neuron-Glia Biology in Health and Disease do iMed.Ulisboa Adelaide Fernandes, Ana Rita Vaz

    Palestra / laboratório aberto.
    Visita de alunos do secundário para conhecer a investigação e o ensino na área das neurociências desenvolvidos pelo grupo Neuron-Glia Biology in Health and Disease no iMed.ULisboa/FFULisboa.
    Inicio com uma palestra sobre o cérebro, estrutura e função das suas diferentes regiões, as células que o constituem e suas principais funções_ as doenças neurodegenerativas_ e o efeito das drogas de abuso ao nível cerebral. Seguindo-se de actividades didácticas que permitam conhecer e contactar mais de perto com o cérebro (modelos de cérebro, dissecação de cérebro de animais de experimentação) e as diferentes metodologias utilizadas na investigação de patologias neurodegenerativas como a Esclerose Amiotrófica Lateral, Doença de Alzheimer e Esclerose Múltipla em uso no laboratório (culturas de células e modelos animais de doença, microscopia, ensaios in vitro de funcionalidade celular).


    Público Alvo: Alunos do ensino secundário


Inscrição >>


Exercitar o cérebro para um envelhecimento mais saudável
Data: 15 ou 17 de Março, 10-18h
    Equipa: Neuron-Glia Biology in Health and Disease do iMed.Ulisboa Adelaide Fernandes, Ana Sofia Falcão

    Palestra / laboratório aberto
    Visita de alunos da Universidade Sénior e público em geral para conhecer a investigação e o ensino na área das neurociências desenvolvidos pelo grupo Neuron-Glia Biology in Health and Disease no iMed.ULisboa/FFULisboa.
    Inicio com uma palestra sobre o cérebro, as suas diferentes regiões, células que o constituem e suas principais funções_ e as causas e características das doenças neurodegenerativas associadas ao envelhecimento. Seguindo-se de actividades didácticas com efeito positivo na cognição, na sintomatologia depressiva e na autonomia dos idosos. E por fim uma visita guiada ao laboratório com demonstração dos trabalhos desenvolvidos para o avanço do conhecimento das patologias neurodegenerativas e a aplicabilidade de novas estratégias terapêuticas.


    Público Alvo: Universidades Sénior, Público em Geral


Inscrição >>

 

Instituto de Investigação em Ciência da Vida e Saúde (ICVS), Escola de Ciência da Saúde, Universidade do Minho, BRAGA

Laboratórios abertos no ICVS
Data: 16 de março de 2016
    Equipa: Ana João Rodrigues, Neide Vieira

    Compreender como o nosso cérebro funciona na saúde e na doença é o objectivo principal dos neurocientistas do ICVS. Se queres ver como é o dia-a-dia dos investigadores da área das Neurociências e realizar algumas atividades experimentais que te vão ajudar a compreender melhor de que forma o nosso cérebro funciona, participa de 14 a 20 de março de 2016, na Semana Internacional do Cérebro.
    Neste dia abrimos as portas dos nossos laboratórios à comunidade. Preparamos algumas atividades experimentais interessantes e dinâmicas que ajudam a compreender melhor o funcionamento do cérebro na saúde e na doença.

    Público Alvo: público de todas as faixas etárias, universidades séniores e outras instituições.


Inscrição >>

Os Neurocientistas vão à Escola

Pesquisar actividades por:

Para receber um neurocientista na sua escola, deve inscrever-se através desta página. Após inscrição, os Centros de investigação contactam a escola para acertar os detalhes da visita e o programa de actividades.

Nota: as inscrições terminam quando a disponibilidade de assegurar sessões for esgotada.

Centro de Neurociências e Biologia Celular (CNC) Universidade de Coimbra

Cérebros nas escolas
Coimbra
Data: 12 a 20 de março
Público Alvo: vários

Os neurocientistas do CNC viajam até escolas primárias, básicas, secundárias, universidades seniores e associações de pessoas com deficiência e vão dinamizar atividades de comunicação de ciência como atividades “mãos-na-massa”, jogos e palestras. Os laboratórios do CNC também vão receber visitas.

Limite de inscrições: 20 escolas

Inscrição >>

 

Colégio Mente-Cérebro, Universidade de Lisboa

O cérebro vai à escola
Lisboa
Data: 14 a 18 março 2016, data e horário a acertar com a Escola (disponibilidade para ser fora desta semana)
Público Alvo: Ensino Secundário e 3º Ciclo (9º Ano)

Investigador responsável: Rita Aroeira

Palestras de 40 a 60 min sobre:
- a estrutura e funcionamento do cérebro,
- a forma como o cérebro se desenvolve ao longo da idade,
- drogas e o cérebro,
- doenças neurodegenerativas,
- como estudar o cérebro.

Palestras por investigadores do Colégio Mente-Cérebro da Universidade de Lisboa: Instituto de Farmacologia e Neurociências, Faculdade de Medicina e Unidade de Neurociências, Instituto de Medicina Molecular (IMM)

Limite de Inscrições: 8 escolas

Inscrição >>


Imagem por ressonância magnética para estudo do desenvolvimento cerebral em fetos e recém-nascidos
Lisboa
Data: 14 a 18 março 2016, data e horário a acertar com a Escola
Público Alvo: Ensino Secundário

Investigador responsável: Rita Aroeira e Rita Nunes

Compreender como se desenvolve o cérebro humano durante a gestação e nos primeiros meses de vida é essencial para melhorar o prognóstico no caso de nascimentos prematuros.
O desenvolvimento de técnicas de imagem que permitam avaliar a estrutura e a actividade cerebral nestas populações é por isso crucial. Nesta palestra falarei de alguns desafios inerentes a este tipo de estudo e das estratégias que têm sido utilizadas para os abordar.

Palestras por investigadores do Colégio Mente-Cérebro da Universidade de Lisboa, Instituto de Biofísica e Engenharia Biomédica, Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa.

Inscrição >>


Como aplicar a Eletricidade e o Magnetismo para tratar doenças neurológicas
Lisboa
Data: 14 a 18 março 2016, data e horário a acertar com a Escola
Público Alvo: Ensino Secundário

Investigador responsável: Rita Aroeira, Ricardo Salvador, Sofia Fernandes

Cada vez se mais torna frequente a aplicação de campos elétricos e magnéticos nas áreas da Neurologia e da Psiquiatria. O uso da estimulação neuronal não-invasiva com correntes elétricas ou campos magnéticos tem-se revelado como uma alternativa segura para tratar problemas psiquiátricos (e.g. depressão e ansiedade) e neurológicos (e.g. doença de Parkinson, disfunções dos nervos periféricos). A aplicação de campos elétricos no cérebro é também uma excelente alternativa para tratar determinados tipos de tumor, com poucos efeitos secundários. Nesta apresentação, propomos explicar quais as técnicas de estimulação neuronal não-invasiva utilizadas e em que situações se aplicam, como as podemos estudar e compreender melhor à luz das leis do eletromagnetismo, e demonstrar os seus efeitos com um equipamento adequado.

Palestras por investigadores do Colégio Mente-Cérebro da Universidade de Lisboa, Instituto de Biofísica e Engenharia Biomédica, Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa.

Acção Esgotada

Imagem do cérebro por Medicina Nuclear
Lisboa
Data: 14 a 18 março 2016, data e horário a acertar com a Escola
Público Alvo: Ensino Secundário

Investigador responsável: Rita Aroeira e Nuno Matela

A medicina nuclear agrupa um conjunto de modalidades de imagem médica (PET, SPECT e Cintigrafia) que se caracterizam por permitirem visualizar o funcionamento dos vários órgãos em detrimento de um maior detalhe anatómico. A imagem resulta da emissão de radiação por átomos radioactivos ligados a moléculas biológicas que por sua vez se concentram nas regiões do organismo onde ocorrem as funções que se pretende estudar. As maiores aplicações destas técnicas de diagnóstico são a oncologia e a neurologia. Nesta apresentação serão abordados os fundamentos destas modalidades de imagem, as principais aplicações no estudo do cérebro e as linhas de desenvolvimento que se antecipam para o futuro.

Palestras por investigadores do Colégio Mente-Cérebro da Universidade de Lisboa, Instituto de Biofísica e Engenharia Biomédica, Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa.

Inscrição >>


Desvendando os mistérios do cérebro
Lisboa
Data: 14 a 18 março 2016, data e horário a acertar com a Escola
Público Alvo: Ensino Secundário

Investigador responsável: Rita Aroeira e Alexandre Andrade

O cérebro humano é o objecto mais complexo do universo. No último século, descobriu-se mais sobre o funcionamento do cérebro do que em todo o resto da história da humanidade, mas ainda há muito para descobrir. Graças a técnicas revolucionárias como a ressonância magnética funcional, todos os anos são feitas novas descobertas sobre a inteligência, a memória e a consciência. Nesta conversa, irei falar sobre alguns dos desafios que o cérebro coloca aos investigadores e sobre as ferramentas e estratégias que existem para o estudar.

Palestras por investigadores do Colégio Mente-Cérebro da Universidade de Lisboa, Instituto de Biofísica e Engenharia Biomédica, Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa.

Inscrição >>


Conectividade cerebral e o diagnóstico da doença neuropsiquiátrica
Lisboa
Data: 14 a 18 março 2016, data e horário a acertar com a Escola
Público Alvo: Ensino Secundário

Investigador responsável: Rita Aroeira e Hugo Ferreira

As doenças psiquiátricas são doenças da mente/cérebro nas quais as emoções, o comportamento, a cognição e a percepção se encontram alterados. O seu diagnóstico é baseado sobretudo na história clínica e em baterias de testes neuropsicológicos, uma vez que, na sua maioria, os exames serológicos, eletrofisiológicos ou imagiológicos são negativos. Uma abordagem recente designada por conectividade cerebral, na qual o cérebro é estudado de uma maneira sofisticada procurando relações estruturais e funcionais dos seus vários componentes e regiões, tem trazido uma nova luz sobre o funcionamento do cérebro. Em particular, recorrendo à análise da conectividade cerebral neuroimagiológica, tem sido possível demonstrar que as doenças psiquiátricas se apresentam como _doenças de desconexão_, ou seja como resultantes da disfunção dos _circuitos elétricos_ cerebrais. Hoje em dia, esta abordagem está rapidamente a transformar a nossa visão sobre o cérebro/mente e a melhorar o diagnóstico de doenças psiquiátricas e também neuro

Inscrição >>


À procura da felicidade: correlatos neurológicos e neurotecnologias de suporte à felicidade
Lisboa
Data: 14 a 18 março 2016, data e horário a acertar com a Escola
Público Alvo: Ensino Secundário

Investigador responsável: Rita Aroeira e Hugo Ferreira

Nesta palestra iremos abordar o que se pensa ser a felicidade do ponto de vista neurológico, em particular falaremos sobre quais as moléculas neurotransmissoras, regiões e redes cerebrais envolvidas no sentimento de felicidade. Falaremos ainda de várias tecnologias que nos permitem _medir_ a felicidade e também sobre aquelas, como as interfaces cérebro-computador nos permitem promover esse mesmo sentimento. Ainda, com base nos últimos avanços da ciência e tecnologia vamos propor cenários futuristicos de promoção da felicidade recorrendo às neurociências. Por fim, faremos com o público demonstração de interfaces cérebro-computador.

Acção Esgotada

 

Departamento de Biologia Experimental da Faculdade de Medicina da Universidade do Porto

O cérebro e a dor
Região Norte do país
Data: 14 a 18 março 2016 - horário a acertar com a Escola
Público Alvo: Alunos do 9º ao 12º ano

Investigador responsável: Isabel Martins

Tendo em conta o nível de ensino, os nossos investigadores irão realizar palestras que ajudem os alunos a compreender melhor a estrutura e funcionamento do cérebro, como é possível estudar o cérebro, alertar para o fato de um envelhecimento activo ser também benéfico para o cérebro, bem como a explorar os mais recentes avanços na investigação em neurociências e em particular na área da dor.

Inscrição >>

 

Instituto de Investigação do Medicamento - iMed.ULisboa, Faculdade de Farmácia da Universidade de Lisboa

Porque morrem os neurónios?
Lisboa
Data: 14 a 18 de Março, a combinar com as escolas
Público Alvo: Alunos do ensino secundário (10º- 12º ano)

Investigador responsável: Margarida Castro Caldas

Abordaremos a organização estrutural e funcional macro-anatómica do cérebro humano, as células do cérebro e a sua forma de comunicação. Falaremos das possíveis causas de morte dos neurónios, no contexto de doenças neurodegenerativas (doenças de Parkinson e Alzheirmer) e neurológicas (acidente vascular cerebral, trauma, envelhecimento), focando os mecanismos celulares e moleculares envolvidos no programa de morte, bem como de possíveis estratégias terapêuticas utilizadas ou em fase de estudo. Abordaremos também aspetos relacionados com o modo como drogas (licítas ou ilícitas) afetam a comunicação entre as células nervosas.

Acção Esgotada

 

Instituto de Investigação do Medicamento - iMed.ULisboa, Faculdade de Farmácia, Universidade de Lisboa

Disfrutar das neurociências nas escolas - Ensino Secundário
Lisboa
Data: 14 a 18 março 2016, horário a acertar com a Escola
Público Alvo: Alunos do ensino secundário

Investigador responsável: Adelaide Fernandes e Rui Silva

As palestras que irão ser dadas pelos nossos investigadores visam alargar o conhecimento e a compreensão da população estudantil na área do cérebro e das neurociências. Assim vários aspetos irão ser focados, nomeadamente a estrutura e função das suas diferentes regiões do cérebro, as células que o constituem e suas principais funções na saúde e na doença, o desenvolvimento de doenças neurodegenerativas, o efeito das drogas de abuso ao nível cerebral, alertar para o fato de um envelhecimento ativo ser também benéfico para o cérebro, e quais os mais recentes avanços no estudo do cérebro.

Inscrição >>


Disfrutar das neurociências nas escolas- 1º Ciclo
Lisboa
Data: 14 a 18 Março 2016_ horário a acertar com a Escola
Público Alvo: Alunos do 1º Ciclo do Ensino básico

Investigador responsável: Adelaide Fernandes e Andreia Barateiro

As palestras que irão ser dadas pelos nossos investigadores visam incitar o conhecimento e a compreensão da população estudantil na área do cérebro e das neurociências. Assim vários aspetos irão ser focados, nomeadamente a estrutura e função das diferentes regiões do cérebro, as células que o constituem e suas principais funções na saúde e na elaboração dos sentidos, bem como quais os cuidados de proteção civil para proteger o bom funcionamento do cérebro.

Inscrição >>

 

Instituto de Investigação em Ciência da Vida e Saúde (ICVS), Escola de Ciência da Saúde, Universidade do Minho

Neurocientistas vão à Escola
Braga
Data: 14, 15, 17 e 18 de março de 2016
Público Alvo: as escolas do ensino básico e secundário, universidades séniores

Investigador responsável: Ana João Rodrigues, Neide Vieira

Os nossos neurocientistas vão às escolas e às universidades séniores falar sobre a estrutura e funcionamento do cérebro.
Como é que as diferentes áreas do cérebro comunicam?
O cérebro com Alzheimer.
Exercita o teu cérebro: como promover uma boa saúde mental?
As drogas e os neurónios.


Acção Esgotada