Mexer na vida: aplicações e implicações da biologia sintética

 

Biologia Sintética

 


A biologia sintética tem potencial para revolucionar as áreas da saúde, energia, ambiente, alimentação ou da agricultura. A médio prazo poderá permitir a correcção de anomalias genéticas em embriões eliminando doenças raras e sem cura, ou criar árvores bioluminescentes capazes de iluminar as nossas cidades, tornando-as mais sustentáveis.

A biologia sintética conjuga a perícia da engenharia com a biologia molecular para programar novas funções a partir da edição do código genético de organismos já existentes. Mas não podemos esquecer que mexer com novas formas de vida traz consigo questões éticas e ambientais associadas.

Poderá a libertação de uma bactéria construída pelo ser humano provocar alterações no equilíbrio dos ecossistemas? Poderão estas técnicas ser utilizadas com objectivos nefastos?

Esta conferência decorre no âmbito do Projecto Europeu Synenergene, financiado pela Comissão Europeia, no âmbito do 7º Programa-Quadro.

 

Vídeo da sessão

 

Os oradores:


Luís Duarte é Investigador Auxiliar na Unidade de Bioenergia, LNEG, na área da Biotecnologia Agro-industrial e Microbiologia, especialidade de Fisiologia Microbiana. Tem trabalhado sobre os problemas inerentes ao aproveitamento de resíduos florestais em biorrefinarias.

 


Zoë Robaey é investigadora no Rathenau Institute, nos Países Baixos. A sua investigação foca-se na ligação entre propriedade e responsabilidade moral e sua relação com os riscos dos organismos geneticamente modificados, especialmente na agricultura. Conduziu pesquisas sobre as implicações da noção de “segurança integrada na concepçãopara a distribuição da responsabilidade moral na biologia sintética.

Veja a apresentação da Zoë Robaey.

 

 O que é a biologia sintética?


 

 

 

 


 

Sessões anteriores:

Dia 28 de Janeiro | PROCRIAÇÃO MEDICAMENTE ASSISTIDA

Dia 25 de Fevereiro | MELHORAMENTO COGNITIVO

Dia 30 de Março | SALVAR ESPÉCIES DA EXTINÇÃO: A RECUPERAÇÃO E PROTECÇÃO DE HABITATS

 

[Regressar]

O Dia C tem como media partner o jornal Público.