Esperar o pior: a gestão do risco

 

 Banner


O Dia C de Maio é dedicado a riscos de origem natural que podem ser agravados ou diminuídos conforme a qualidade do ordenamento territorial e urbanístico, da preparação da população e das medidas de limitação de danos.

A faixa costeira de Portugal Continental está sujeita vários riscos – erosão costeira, inundações e galgamentos, maremotos, acidentes de poluição, degradação ambiental com impacto na qualidade das águas, etc. Podemos esperar que todos estes riscos se intensifiquem com a crescente concentração de populações no litoral e com o agravamento das alterações climáticas.

Devido à sua localização, o nosso território tem sofrido os efeitos de sismos de magnitude moderada a forte, com danos significativos em cidades e vilas do país. Para os sismólogos, é quase certo que o território volte a sofrer um sismo de magnitude como o de 1755 – mas não é possível dizer quando.

O que está então a ser feito para gerir o risco sísmico ou o risco costeiro? Em que medida está a comunidade envolvida na antecipação, mitigação e resposta a estes riscos?

 

Vídeo da sessão

 

 

 

Os oradores:

 

lopes

Mário Lopes é professor auxiliar no departamento de Engenharia Civil do Instituto Superior Técnico, onde integra o grupo de investigação de Engenharia Sísmica e Sismologia. É vice-presidente do Instituto de Engenharia de Estruturas, Território e Construção, também do IST-UL.

 

 

 

 zezere

  

José Luís Zêzere é professor catedrático do Instituto de Geografia e Ordenamento do Território da Universidade de Lisboa, onde coordena o núcleo de investigação Avaliação e Gestão de Perigosidades e Risco Ambiental (RISKam).

 


Saiba mais

 

Mapa dinâmico da actividade sísmica | IPMA 

Risco sísmico em Lisboa: "É como estar em cima de um barril de pólvora" | Público

Riscos ambientais: Linha de costa em situação de erosão | Portal do Estado do Ambiente

 

 


 

Sessões anteriores:

Dia 26 de Janeiro | CUIDAR DA SAÚDE: A PARTICIPAÇÃO ACTIVA DOS DOENTES

Dia 23 de Fevereiro | IR ÀS COMPRAS: ESCOLHAS PARA UMA ALIMENTAÇÃO SUSTENTÁVEL

Dia 30 de Março | SALVAR ESPÉCIES DA EXTINÇÃO: A RECUPERAÇÃO E PROTECÇÃO DE HABITATS

Dia 27 de Abril | MEXER NA VIDA: APLICAÇÕES E IMPLICAÇÕES DA BIOLOGIA SINTÉTICA

 

 

[Regressar]

O Dia C tem como media partner o jornal Público.