Comunicados de Imprensa

[ Imprimir ] [ Listar Comunicados ]
01-08-2003
FAÇA FÉRIAS COM A CIÊNCIA


1400 acções de divulgação científica em todo o país

ALGUNS EXEMPLOS (Agosto e Setembro)
Sexta-feira 1 de Agosto de 2003

Divulgação imediata

Mais uma vez, de 1 de Agosto a 30 de Setembro, universidades, centros de investigação, escolas e associações científicas colaboram com a Ciência Viva, organizando acções de divulgação científica em todo o país.

Programação completa em www.cienciaviva.pt/veraocv/
Informações pelo nº azul 808 200 205

ASTROFESTA

Contacto: Dr. Máximo Ferreira
Datas: 1, 2 e 3 de Agosto

Local: Observatório Astronómico de Constância

Descrição:

Mais uma vez, as principais associações de astrónomos amadores reúnem-se num encontro anual para trocar experiências e participar em palestras e pequenas exposições de divulgação sobre temas de Astronomia. O evento é aberto ao público, com oportunidades de observações diurnas e nocturnas num ambiente informal.

2003 – Marte aqui tão perto

Noites Marcianas

Centro de Astrofísica da Universidade do Porto

Contacto: Dr. Filipe Pires
Datas: De 23 a 30 de Agosto

Todos os dias às 22:00, excepto 27 de Agosto em que a sessão se realiza às 21:00

Local: Jardins do Palácio de Cristal; Porto

Descrição:

No dia 27 de Agosto de 2003 o planeta Marte estará a uma distância da Terra de apenas 55 758 006 Km. Isto significa a maior aproximação dos últimos 60000 anos. Para os observadores terrestres é uma oportunidade única, pois Marte apresentará um diâmetro angular de 25.13 segundos de arco. A última vez que Marte esteve tão próximo foi em 57617 a.C. Só em 28 de Agosto de 2287 é que Marte se aproximará um pouco mais do nosso planeta. Deste modo, o Centro de Astrofísica da Universidade do Porto, a Câmara Municipal do Porto e o Planetário do Porto, organizam um programa especial dedicado ao planeta Marte, a decorrer no final de Agosto.

Marte no Planetário Calouste Gulbenkian

Núcleo Interactivo de Astronomia

Contacto: Dra Rosa Doran
Datas: 27 e 28 de Agosto às 20:30; 3, 10, 17 e 24 de Setembro às 20:30

Local: Planetário Calouste Gulbenkian, Lisboa

Descrição:

Conjunto de palestras por especialistas de universidades, empresas e ESA. Por ordem de datas:

A Missão Mars Express - Tiago Hormigo (Deimos Engenharia);

SMART-1 - Europa rumo à Lua - (Miguel Almeida ou Fernando Simões) –ESA;

Marte - Enigma Histórico e Desafio Científico - Orfeu Bertolami – IST

Marte e a Terra: parentes próximos ou nem por isso? - José Saraiva – IST

Vida em Marte? Da ficção científica à Beagle 2 - José Fernando Monteiro – FCUL

Um projecto MAGICo - Maarten Roos Serote - OAL

Memórias do Planeta Vermelho

Observatório Astronómico de Lisboa

Contacto: Prof. Rui Agostinho
Datas: 27 de Agosto às 21:00

Local: Edifício Central do Observatório Astronómico de Lisboa (Tapada da Ajuda)

Descrição:

A propósito da oposição de Marte que terá lugar na data desta actividade, será realizada uma pequena comunicação de carácter histórico sobre as observações deste planeta efectuadas no Observatório Astronómico de Lisboa, nos finais do séc. XIX, e que muito contribuíram para o prestígio mundial deste observatório. Seguidamente, realizar-se-ão observações astronómicas com telescópios e binóculos, com especial incidência no planeta Marte. Por último, será efectuada uma visita guiada ao Edifício Central do Observatório Astronómico de Lisboa, com destaque para os instrumentos utilizados em observações de Marte.

Sessões de observação astronómica

Como habitualmente, as sessões de observação astronómica por todo o país perfazem a maioria das acções disponíveis para o público. Destacamos este ano a organização, a pedido do Parque Florestal de Monsanto, de actividades de Astronomia nesta importante área de recreio e lazer:

Astronomia no Parque Florestal de Monsanto

Museu de Ciência da Universidade de Lisboa

Dr. Máximo Ferreira
Datas: 2, 3, 9, 10, 16, 17, 23, 24, 30 e 31 de Agosto

Local: Monte das Perdizes, Parque Florestal de Monsanto, Lisboa

Descrição:

Às 16:00, Oficinas Pedagógicas/Observação de manchas solares

Construção e utilização de Astrolábio, Telescópio de Kepler; observação de manchas solares pelo método de projecção e através de telescópios protegidos com filtros.

Às 21:00, Observações Astronómicas

Observação de objectos celestes com binóculos e telescópios de tipos diferentes.

Note-se que o Museu de Ciência da Universidade de Lisboa assegura uma extensa programação em todo o país.

Astronomia nos Centros Ciência Viva:

Centro Ciência Viva do Algarve, Faro

Contacto: Dr. Alexandre Costa
Datas: Agosto e Setembro

O Centro Ciência Viva do Algarve apresenta uma programação de actividades às 16:00 e às 22:00 practicamente diária na sua açoteia, para além de assegurar sessões de observação noutras localidades do Algarve e Alentejo (ver programação detalhada na Internet).

Centro Ciência Viva de Vila do Conde

Contacto: Dra Elisa Ferraz
1 a 10 de Agosto

O Centro Ciência Viva de Vila do Conde apresenta um conjunto de sessões às 10:30 tendo como tema o Sol a norte do Castelo S. João, junto à praia do Forno. O público determina o meio-dia solar e a latitude construindo instrumentos simples, ao mesmo tempo que se debatem quais os melhores períodos de exposição ao Sol.

Pavilhão do Conhecimento - Ciência Viva, Lisboa

Contacto: Dr. Máximo Ferreira
Museu de Ciência da Universidade de Lisboa

Datas: sábados e domingos de Agosto

O Museu de Ciência da Universidade de Lisboa organiza Oficina Pedagógicas e Observação de manchas solares às 16:00 e Observações Astronómicas às 21:00.

A Água – Ano Mundial da Água Doce



Muitas instituições propõem acções sobre a água, desde a formação das reservas aquíferas, a visitas a termas e a nascentes. Destacamos, a título de exemplo:

Grutas e Nascentes de Porto de Mós

Sociedade Portuguesa de Espeleologia - SPE

Contacto: Dr. João Azevedo
Datas: 9, 10, 23 e 24 de Agosto; 6,7, 13 e 14 de Setembro. às 10:00

Descrição:

O objectivo desta acção é dar a conhecer vários aspectos sobre a Circulação de águas subterrâneas, formação das grutas, fauna das grutas, exploração de carvão em minas, flora das regiões calcárias, nível do mar no Quaternário.

Itinerário: Porto de Mós - O maciço da Fórnea - Gruta Cova da Velha - Castelo de Alcaria - Gruta da Mouração - Cabeço de Pedra - Tapada das Freiras - Minhola do Maneta - Olho de Água da Ribeira de Cima - Localidade da Bezerra: visita às minas de carvão.

Geo-Aqueduto: água dura em pedra mole

Departamento de Geologia da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa

Contacto: Prof. Mário Cachão
Datas: 30 de Agosto;13, 20 e 27 de Setembro, às 09:30

Itinerário: Lisboa- Carenque - Caneças - Alcântara - Amoreiras - Rato.

Descrição:

Serão abordados temas como as nascentes que abastecem o Aqueduto e a Hidrogeologia da região de Carenque e Caneças, o Aqueduto, o Lióis e o basalto no Vale de Alcântara, Monsanto, A Mãe-de-água das Amoreiras e a Geologia de Lisboa.

As águas termais e a alteração dos materiais pétreos

Centro de Petrologia e Geoquímica, Instituto Superior Técnico, U.T.L.

Contacto: Eng.ª Maria Amélia Dionísio
Data: 10 de Setembro, às 13:00

Itinerário: Lisboa - Hospital Termal das Caldas da Rainha - Lisboa

Descrição:

As águas termais (características, origens, aproveitamentos, etc.) e a alteração dos materiais pétreos aplicados no património cultural construído, neste caso, o Hospital Termal das Caldas da Rainha: influência que as características físicas e químicas das águas na degradação da pedra. Breve apresentação por elementos da equipa do IST e do Hospital Termal das Caldas da Rainha, seguida de uma visita guiada às instalações, de grande interesse histórico e cultural.

Visitas a minas em laboração

Visita à Mina de sal-gema da Campina de Cima

CLONA - Mineira de Sais Alcalinos S.A.

Contacto: Eng Alexandre Andrade
Datas: 29 de Agosto e 29 de Setembro, às 09:30

Descrição:

Descida por elevador, ao interior da mina, a 230m de profundidade. Percurso no interior da mina (5 Km a pé), com explicações sobre a formação e desenvolvimento do depósito mineral de sal-gema comprovadas com factos geológicos visíveis. Explicações sobre o método de exploração da mina e visita a uma frente de desmonte de minério.

Visita à Mina da Panasqueira

Beralt Tin and Wolfram (Portugal), S.A.

Contacto: Eng. Edmundo Nobre

Datas: 3, 10, 17 e 24 de Setembro, às 08:00

Ponto de encontro: Minas da Panasqueira / Covilhã / Castelo Branco

Descrição:

Visita aos trabalhos subterrâneos e instalação de tratamento de minérios da Mina da Panasqueira.

O nosso passado Mineiro

Do ouro dos romanos à corrida ao Volfrâmio, a exploracão mineira deixou importantes marcas na nossa literatura e na paisagem. Alguns exemplos:

Minas Romanas de Ouro de Valongo

Departamento de Geologia, Faculdade de Ciências, Universidade do Porto

Contacto: Prof.ª Helena Couto
Data: 10 de Setembro às 10:00

Itinerário: Parque Paleozóico de Valongo - Serra de Santa Justa

Descrição:

Visita a trabalhos mineiros romanos mostrando como ocorre a mineralização, como os romanos exploravam o ouro e salientando a importância da preservação do Património Geológico e Mineiro da região de Valongo.

Volfrâmio: história da mina da Borralha

Associação Portuguesa de Geólogos

Contacto: Prof. Fernando Noronha
Data: 6 de Setembro, às 08:30

Itinerário: Porto - Braga - Venda Nova – Borralha (Monte Alegre, Vila Real) - Salto.

Descrição:

Visita à aldeia Mineira da Borralha. Pretende-se mostrar qual foi o grande impacto social do que foi a 2ª maior mina de volfrâmio de Portugal. Explicação e exibição de mapas e fotografias, visita a uma antiga exploração a céu aberto, contacto com a antiga lavaria e visita à central mini-hídrica da Mesa do Galo. Visita à galeria de esgoto das águas da mina.

Os georecursos nos materiais do nosso dia a dia

Várias instituições propõem visitas a pedreiras de rochas ornamentais e outras explorações de georecursos, abordando a sua importância económica, os impactos ambientais e a sua transformação. Alguns exemplos:

Os caminhos do caulino - do barreiro à peça de cerâmica

Departamento de Geociências, Universidade de Aveiro

Contacto: Prof. Eduardo Ferraz
Datas: 1 e 15 de Setembro, às 09:30

Itinerário: Aveiro - S. Vicente Pereira Jusã - Ilhavo

Descrição:

Visita ao local de exploração e à unidade de concentração de caulino da Vialpo (S. Vicente Pereira Jusã) e à Fábrica e Museu da Vista Alegre (Ilhavo).

A Crusta Terrestre: fonte de recursos

Departamento de Minas, Faculdade de Engenharia, Universidade do Porto

Contacto: Prof. Alexandre Leite
Data: 5 de Setembro às 08:15

Itinerário: Porto - Canidelo - S. Pedro da Cova - Serra de Stª Justa - S. Martinho do Campo - Susão

Descrição:

Contacto com a actividade extractiva de matérias primas naturais em redor da cidade do Porto, visitando vários cenários de exploração de rochas e minérios em Vila Nova de Gaia, Gondomar e Valongo, bem como oficinas de transformação. A história da exploração dos recursos naturais estará presente através de uma visita ao Museu Mineiro de S. Pedro da Cova e ao Museu da Lousa, bem como a um fojo Romano de exploração de ouro.

Pedreiras e rochas ornamentais

Laboratório de Geologia Aplicada, Instituto Superior Técnico, U.T.L.

Contacto: Prof. António Mouraz Miranda
Datas: 6, 13, 20 e 27 de Setembro, às 10:00
Itinerário: Pero Pinheiro - Fação - Pera Furada - Negrais.

Descrição:

Visita a pedreiras na área de Pero Pinheiro e a estabelecimentos industriais transformadores de rochas ornamentais. Observação do Campo de Lapiás da Granja dos Serrões

Outros Temas:

Geologia subaquática da Ria de Aveiro

Departamento de Geociências, Universidade de Aveiro

Contacto: Prof. Luís Menezes Pinheiro
Data: 4 de Setembro às 10:00

Itinerário: Percurso pelos canais da Ria de Aveiro.

Descrição:

Investigação do substrato geológico e das condições de sedimentação na Ria de Aveiro, utilizando métodos geofísicos em meio aquático.

O radão - um risco para a saúde pública nas Beiras?

Departamento de Ciências da Terra, Faculdade de Ciências e Tecnologia, Universidade de Coimbra - UC

Prof. Alcides Pereira
Data: 6 de Setembro às 09:00

Itinerário: Tábua - Oliveira do Hospital - Caldas da Felgueira - Urgeiriça

Descrição:

A radioactividade natural, e do radão em particular, na região das Beiras: o público tem a oportunidade de medir a actividade do radão nos solos, água e ar, de discutir as relações entre o radão e as actividades mineiras e de ficar a conhecer os mapas de risco como a medida mais eficaz na prevenção dos impactes do radão.

A Geologia do alto de Monsanto

Departamento de Geologia da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa

Contacto: Prof. Mário Cachão
Datas: 2, 9, 16, 23 e 30 de Agosto às 09:00; 6, 13, 20 e 27 de Setembro, às 9:00

Itinerário: Espaço Monsanto (ex-Parque Ecológico), Parque florestal de Monsanto, Lisboa

Descrição:

Conhecer a Geologia e a Botânica de Monsanto. As rochas de recifes tropicais e de vulcões do tempo dos dinossáurios. Temas: Fósseis, extinções, estudo morfológico, calcários, interpretação paleoambiental.

Geologia urbana

Continuam as acções de Geologia urbana em Aveiro, Braga, Coimbra, Estremoz, Évora, Lisboa e Porto, guiadas por investigadores das respectivas universidades.

Geologia e Paisagem

A relação entre a Geologia e a paisagem é um dos temas de base de toda a Geologia no Verão. O público é convidado a visitar a pé, de camioneta, de bicicleta ou até de barco locais de grande beleza paisagística a que o olhar da Ciência dará um novo significado: no litoral, em parques naturais, nas serras, junto a arribas. Utilize o motor de busca da página para escolher o local e a data.

Geologia nos Centros Ciência Viva

Associação Centro Ciência Viva de Estremoz

Contacto: Prof. Rui Dias (Universidade de Évora)
Datas: 1 a 30 de Agosto

A equipa do futuro Centro Ciência Viva de Estremoz realiza acções de divulgação da Geologia nas praias da Costa Vicentina, incluindo pequenas experiências para crianças e adultos e passeios científicos ao longo da praia. Consultar a página web para saber a programação detalhada.

Centro Ciência Viva do Algarve

Contacto: Prof.ª Delminda Moura
Datas: Agosto

O Centro Ciência Viva do Algarve, em colaboração com a Universidade desenvolve actividades nas praias da Ilha de Faro e dos Olhos de Água. Para além de passeios no litoral guiados por especialistas, o público poderá ver grãos de areia à lupa e abordar os problemas da erosão do litoral com os especialistas. Este ano o Centro organiza também visitas ao Parque Mineiro e Geológico da Cova dos Mouros, em colaboração com o Instituto Geológico e Mineiro.

Pavilhão do Conhecimento-Ciência Viva

Contacto: Prof. Mário Cachão
Datas: todos os sábados de Agosto e Setembro, às 16:00

Actividades de Geologia urbana sobre os fósseis do liós usado como revestimento do edifício (Cuidado não pisem os fósseis!). Em colaboração com o Departamento de Geologia da Faculdade de Ciências de Lisboa

A Água – Ano Mundial da Água Doce

Muitas instituições propõem acções sobre os ecossistemas de água doce e as zonas húmidas. Destacamos, a título de exemplo:

Estudo dos Ecossistemas de água doce

Câmara Municipal do Porto, Gabinete de Gestão do Palácio de Cristal

Contacto: Dr. Luís Xavier
Datas: 1, 4, 6, 8, 11, 13, 18, 20, 22, 25, 27, 29 de Agosto às 10:00

1, 3, 5, 8, 10, 12, 15, 17, 19, 22, 24, 26, 29 de Setembro às 10:00

Itinerário: Jardins do Palácio de Cristal

Descrição:

Caracterização físico-química e biológica de ecossistemas aquáticos de água doce.

Determinação da qualidade da água e enquadramento em ambiente urbano.

Do lago ao deserto: a água como factor vital

Departamento de Botânica - Faculdade de Ciências da Universidade do Porto

Prof. F. Barreto Caldas
Datas: 6, 9, 11,18, 20, 23 e 30 de Agosto, às 17:00;

5, 6, 10, 13, 15, 19, 24 e 29 de Setembro, às 17:00

Itinerário: Jardim Botânico do Porto.

Descrição:

A distribuição dos seres vivos nos diferentes ecossistemas é condicionada pela acção de diferentes factores físico-químicos ou abióticos, nomeadamente a água. Observação de plantas adaptadas a ambientes secos e a ambientes aquáticos, através de um percurso no jardim (espaços exteriores e estufas, húmidas e secas).

Análises físico-químicas e microbiológicas de águas e areias

Departamento de Biologia - Universidade do Minho

Datas: 4, 11 e 20 de Agosto, às 9:00

Contacto: Prof. Pedro Gomes
Itinerário: Estuário do rio Cávado (Esposende / Braga)

Descrição:

Recolha de amostras (estuário do Cávado, ribeiras, mar e areias de praia) para realização de análises físico-químicas e bacteriológicas.

Educação Ambiental nas águas doces

Centro de Educação Ambiental das Ribeiras de Gaia

Contacto: Dr. Andrew Donnelly
Datas: 1, 3, 8, 10, 15, 17, 22, 24 e 30 de Setembro, às 14:30

Itinerário: Ribeira do Espírito Santo (Miramar / Vila Nova De Gaia / Porto)

Descrição:

Conhecimento do trabalho de recuperação de ribeiras do concelho de Gaia. Ecologia de águas doces, avaliação de parâmetros físico-químicos da água da ribeira. Visualização de bactérias e macroinverterbados ao microscópio e lupa.

Biologia Marinha

Aventura no sapal de Corroios

Contacto: Prof.ª Maria José Costa
Datas: 6, às 10:00 e 20 de Setembro, 20 de Setembro, às 08:00

Itinerário: Ecomuseu Municipal do Seixal - Moinho de maré de Corroios (Seixal)

Descrição:

Visita ao sapal de Corroios. No local de encontro será dada uma breve explicação sobre os animais e plantas existentes no sapal. Segue-se o passeio a bordo de uma embarcação tradicional do Tejo, onde poderão ser observadas plantas adaptadas a zonas de grande salinidade e animais. Estas observações serão sempre acompanhadas de explicações acerca das adaptações destes organismos ao meio e da sua importância ecológica

Os organismos dos estuários - Das algas às Aves

Instituto do Mar - Centro Interdisciplinar de Coimbra

Contacto: Dr. Ricardo Jorge Lopes
Datas: 16 e 30 de Agosto às 09:30

Itinerário: Estuário do Mondego - ilha da Murraceira.

Descrição:

Durante uma maré baixa serão visitados os principais habitats de um estuário (zonas intermarés, salinas e sapais). As algas, plantas e macro-invertebrados serão identificados e as diversas técnicas utilizadas para o seu estudo serão exemplificadas, desde a sua recolha até à sua identificação. As aves que utilizam estes habitats serão também observadas para compreensão do seu papel dentro deste ecossistema único.

Censos de pequenos cetáceos e aves marinhas na zona costeira entre Figueira da Foz e Aveiro

Departamento de Biologia - Universidade do Minho

Contacto: Prof. José Vingada
Datas: 9, 16, 23 e 30 de Agosto, às 08:00; 6, 13, 20, 27 de Setembro às 08:00

Itinerário: Percurso de barco ao longo da costa entre os portos da Figueira da Foz e de Aveiro.

Descrição:

Observação e identificação de pequenos cetáceos e aves marinhas que ocorrem nesta área.

Educação ambiental no Litoral

Estação Litoral da Aguda - ELA

Contacto: Dr. Jaime Prata
Datas: 9 a 12, 24 a 26 e 29 a 30 de Setembro, às 09:00

Itinerário: Passeio pela Praia da Aguda, Vila Nova de Gaia

Descrição:

Identificação da fauna e flora. ecologia do litoral, avaliação dos parâmetros físico-químicos da água do mar. Identificação dos problemas ecológicos desta faixa de território: Geomorfologia marinha e erosão costeira, pesca artesanal e os seus problemas, as dunas, incluindo uma visita ao parque de dunas da Aguda.

Outros temas:

Os biomonitores da poluição atmosférica

Jardim Botânico da Universidade de Lisboa

Data: 5 de Setembro, às 9:30

Contacto: Doutora Ireneia Melo
Itinerário: Jardim Botânico da Universidade de Lisboa, Rua da Escola Politécnica

Descrição:

Os líquenes e os musgos são bons indicadores da qualidade do ar e apresentam grande dependência do ambiente envolvente para a obtenção de água e nutrientes. Estão, por isso, bastante expostos aos contaminantes ambientais, apresentando várias respostas à poluição atmosférica, ou acumulando os poluentes. Mostram-se as características que fazem destes organismos bons biomonitores.

Observação de Animais

As saídas de campo para observação de animais no seu habitat natural são uma das componentes mais importantes da Biologia no Verão. Na edição deste ano poderá observar aves, insectos, veados, lobos e até borboletas! Use o motor de busca da página para descobrir onde e quando.

Microbiologia:

Mais uma vez, o público poderá tomar contacto com a microbiologia na praia, uma actividade iniciada logo na primeira edição da Biologia no Verão e que neste momento se estendeu a vários pontos do país. Destacamos:

Bactérias na Praia

Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar

Contacto: Prof. Adriano Bordalo e Sá
http://bacteriasnapraia.web.pt

Itinerário: Foz do Douro, junto ao farol da Foz

Descrição:

Bactérias na Praia 2003 tem por objectivo dar a conhecer ao público alguns aspectos do maravilhoso mundo bacteriano. Através da observação ao microscópio de preparações de bactérias vivas e mortas, o público poderá constatar as diferentes formas de microrganismos existentes na água e nas areias das praias da frente oceânica do Porto. Poderá ainda observar, com o auxílio de uma lupa binocular, grãos de areia da praia, ampliados, e os tipos de organismos habitualmente associados a esses habitats. O público tem também acesso a um pequeno laboratório de análises microbiológicas onde poderá sentir ao vivo, a atmosfera e o tipo de procedimentos habituais num laboratório de microbiologia aquática.

Biologia nos Centros Ciência Viva

Centro Ciência Viva do Algarve, Faro

Contacto: Prof.ª Teresa Dinis
Datas: Praia da Ilha de Faro, 4 a 8 de Agosto e 18 a 22 de Agosto, às 9:30

Praia dos Olhos de Água, 11 a 15 de Agosto e 25 a 29 de Agosto, às 09:30

O Centro Ciência Viva do Algarve realiza actividades nas praias da Ilha de Faro e dos Olhos de Água. Incluem-se passeios à Ria Formosa com observação da fauna e flora locais e com análises físico-químicas e bacteriológicas da água. O público poderá também debater os efeitos da exposição excessiva ao Sol sobre a pele medindo os índices de UVA e de UVB ao longo do dia, em situação de exposição solar e à sombra. Destacamos ainda na programação deste ano:

Na rota das salinas centenárias

Contacto: Dra Maria da Conceição Santos
Datas: 4, 5, 7, 8, 18, 19, 21 e 22 de Agosto, às 16:30

Itinerário: Faro-Belamandil (Olhão) e Belamandil (Olhão)-Faro

Descrição:

A vida e o ecossistema da salina natural, o ciclo anual de uma salina natural ou ainda a constituição e a importância nutricional do sal marinho tradicional e da flôr de sal são alguns dos temas abordados nas visitas a estas salinas centenárias da Ria Formosa. Estas acções resultam de uma parceria com a empresa Necton-Companhia Portuguesa de Culturas Marinhas, S.A.

Centro Ciência Viva de Vila do Conde

Contacto: Dra Elisa Ferraz

Datas: 1 a 10 de Agosto

Descrição:

O Centro Ciência Viva de Vila do Conde organiza um conjunto de actividades de divulgação que vão da identificação de espécies da zona entre-marés às análises físico-químicas e bacteriológicas da água, junto à praia do Forno, a norte do Castelo S. João. A iniciativa “Bactérias na Praia” em Vila do Conde tem o apoio do Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar, que colabora com este Centro Ciência Viva.

Contactos:

Marinha Portuguesa-Direcção de Faróis

Comandante Amaral Pereira (Director)

Comandante Franco Facada (Sub-Director)

Comandante Proença Mendes

Comandante Silva Carvalho

Farol do Cabo Espichel: um dos mais antigos (1790)

Datas: 15 e 16 de Agosto às 19:30

5 e 6 de Setembro, às 19:00

26 e 27 de Setembro, às 18:45

Cabo Espichel / Setúbal / Setúbal
Descrição:

Este farol é um dos mais antigos tendo sido construído em 1790. O farol sofreu remodelações em 1817, 1846 e 1848. Em 1900 o corpo do edifício anexo à torre foi ampliado e em 1926 foi feita a electrificação do farol. O sinal sonoro a partir de 1925 passou a ser emitido por uma sereia de ar comprimido. Em 1948 foi-lhe instalado um radiofarol que foi substituído por um equipamento moderno, de construção nacional, em 1981. Só em 1980 foi ligado à rede de distribuição pública de energia eléctrica. A sua guarnição é constituída por 4 faroleiros.

Farol de Aveiro: o mais alto da Europa

Datas: 29 e 30 de Agosto às 19:15

26 e 27 de Setembro às 18:45

Barra - Ílhavo / Ílhavo / Aveiro

Descrição:

Os repetidos sinistros marítimos ocorridos nas proximidades da foz do rio Vouga, fizeram que se pensasse na imperiosa necessidade de iluminar aquela porção da costa. A construção do farol teve a sua conclusão em 1893. Em l929 sofreu grandes reparações, tendo sido electrificado em 1936 e ligado à rede de distribuição de energia em 1950.

Farol de S. Vicente: uma das maiores ópticas do mundo

Datas: 15 e 16 de Agosto às 19:30

29 e 30 de Agosto às 19:15

Cabo de S. Vicente / Vila do Bispo / Faro

Descrição:

Consta que em 1520 existia já uma luz numa torre especial do convento da primeira capucha de S. Francisco. Em 1587, o corsário Francis Drake atacou o convento e arrasou a torre. O actual farol de D. Fernando foi mandado construir pela Raínha D. Maria II, em 1846. Em 25 de Março de 1908 foi instalado um aparelho lenticular de Fresnel hiper-radiante (1330mm de distância focal) que é actualmente o maior existente nos faróis portugueses. Em 1914 foi instalado o primeiro sinal sonoro de nevoeiro. Foi electrificado, por ligação à rede de distribuição de energia, em 1948, sendo-lhe instalado em 1949 um radiofarol. Em 1982 o equipamento foi dotado de diversos automatismos e a partir de então o farol passou a controlar à distância o funcionamento do farol de Sagres.

Farol do Cabo da Roca: o mais ocidental do continente europeu

Datas: 1, 8 e 9 de Agosto às 19:30

22, 23, 29 e 30 de Agosto, às 19:15; 12 e 13 de Setembro, às 19:15

26 e 27 de Setembro às 18:45

Descrição:

O farol do Cabo da Roca, mandado edificar pelo alvará de 1 de Fevereiro de 1758, entrou em funcionamento em 1772 e sofreu grandes alterações no ano de 1843. Este farol mereceu uma atenção muito especial devido à importância da sua posição marítima. Tratava-se de um farol situado no cabo mais ocidental do continente europeu e muito próximo de Lisboa, que possuía um porto amplo e de grande acessibilidade. No ano de 1949 foi abastecido de água da rede pública e em 1980 foi automatizado. Foi instalada uma sereia eléctrica em 1982.

Será o Farol do Cabo da Roca o mais ocidental da Europa?

Consulte a programação deste ano relativa aos Açores!