Comunicados de Imprensa

[ Imprimir ] [ Listar Comunicados ]
09-09-2016
À conversa sobre Constelações
Lisboa


Teatro e debate com investigadores no Teatro Aberto

DIVULGAÇÃO IMEDIATA

A propósito da peça Constelações, a Ciência Viva e o Teatro Aberto organizam, em colaboração com a Sociedade Portuguesa de Física, o ciclo "À Conversa sobre Constelações", duas sessões comentadas por investigadores nos dias 17 de Setembro e 15 de Outubro (sábado). Depois da representação, que termina às 23.00, o público poderá debater no Foyer com investigadores os temas científicos que inspiraram a peça.

Um dos pontos de partida para a escrita deste texto foi a descoberta ocasional pelo autor Nick Payne de um documentário sobre o universo, em que eram expostas teorias da Física moderna como a relatividade geral, a mecânica quântica, a teoria das cordas e a teoria dos multiversos.

No dia 17 de Setembro são investigadores convidados Vítor Cardoso (CENTRA, Instituto Superior Técnico) e Carla Sofia Carvalho (Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço | Faculdade de Ciências). A moderação é de Sofia Andringa (Sociedade Portuguesa de Física).

No dia 15 de Outubro o painel é composto por Vincenzo Vitagliano (CENTRA, Instituto Superior Técnico) e Sonia Antón (Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço | Faculdade de Ciências). A moderação ficará a cargo de Conceição Abreu (Sociedade Portuguesa de Física ).

SINOPSE DA PEÇA
Um homem e uma mulher conhecem-se, apaixonam-se, vivem juntos, separam-se, reencontram-se, reconciliam-se, ou talvez não. Talvez tudo seja, possa ter sido ou venha a ser diferente, conforme as circunstâncias com que se deparam e as escolhas que fazem ou deixam de fazer. Nos múltiplos universos paralelos em que estão, há múltiplas variantes da sua história de amor: talvez nunca mais se voltem a ver ou talvez fiquem juntos até que a morte os separe.

Seguindo uma tese da física teórica, segundo a qual há mais do que três dimensões do espaço e uma dimensão do tempo, Constelações mostra-nos um multiverso onde a vida assume uma miríade de formas em simultâneo e todos os futuros são possíveis. Mas será que aquilo que acontece depende das nossas decisões? Será que depende do acaso? Ou de algo mais que não se vê e não se conhece?

Versão João Lourenço | Vera San Payo de Lemos
Encenação João Lourenço
Com Joana Brandão e Pedro Laginha
No Teatro Aberto, de 4ª a Sábado, às 21.30, e Domingo, às 16.00

Bilheteira: Inteiro - 15 euros | Jovem (até 25 anos) - 7,50 euros | Sénior (mais de 65 anos) - 12 euros

Mais informações:
Unidade de Comunicação e Imagem
Catarina Figueira: 96 156 09 26