Comunicados de Imprensa

[ Imprimir ] [ Listar Comunicados ]
05-01-2012
ESTUDANTES PORTUGUESES DEBATEM PROCRIAÇÃO MEDICAMENTE ASSISTIDA COM INVESTIGADORES

DIVULGAÇÃO IMEDIATA

Será eticamente correcta a utilização de células estaminais embrionárias em terapias celulares em humanos? Caso a mulher não tenha um útero funcional, deverá ter a possibilidade de recorrer à maternidade de substituição para ter filhos? Até onde se pode ir para evitar a infertilidade?

Estas e outras questões emergentes relativas à Procriação Medicamente Assistida (PMA) serão debatidas por um grupo de 28 alunos e 14 professores do Ensino Secundário, investigadores nacionais e estrangeiros e jornalistas de ciência no congresso científico PMA: Presente e Futuro, questões emergentes nos contextos científico, ético, social e legal, que terá lugar na próxima segunda-feira, 9 de Janeiro, na Fundação Calouste Gulbenkian, em Lisboa.

Esta iniciativa da Ciência Viva e da Comissão Nacional de Procriação Medicamente Assistida, com coordenação científica do investigador Alexandre Quintanilha, integra um fórum de discussão que desde Novembro tem permitido aos mais de 300 alunos das 17 escolas participantes questionar e esclarecer dúvidas relativas à PMA junto de um painel de investigadores.

Às escolas envolvidas foi lançado o desafio de desenvolver actividades que serão publicadas online no dia 5 de Março. No final do mês serão conhecidos os três vencedores do projecto.

Mais informações em www.cienciaviva.pt