Comunicados de Imprensa

[ Imprimir ] [ Listar Comunicados ]
25-02-2011
HÁ QUÍMICA NO PAVILHÃO DO CONHECIMENTO ENTRE O PRÉMIO NOBEL ROBERT HUBER E OS ESTUDANTES PORTUGUESES
Lisboa

Em pleno Ano Internacional da Química, o Pavilhão do Conhecimento-Ciência Viva recebe no próximo dia 2 de Março, quarta-feira, às 16h00, o Prémio Nobel da Química Robert Huber.


Huber foi distinguido pela academia sueca em 1988, juntamente com Hartmut Michel e Johann Deisenhofer, por ter revelado com grande detalhe os aspectos estruturais de uma proteína essencial para a fotossíntese em bactérias púrpuras.


A fotossíntese é uma das reacções químicas mais importantes que ocorre no planeta Terra. Através dela, plantas verdes, algas e muitas bactérias utilizam a energia luminosa para converter dióxido de carbono em compostos orgânicos que estão na base da alimentação de praticamente todos os seres vivos.


Este processo extremamente complexo envolve várias proteínas inseridas em membranas biológicas que captam a luz solar. Em 1982, Michel, Deisenhofer e Huber cristalizaram uma destas proteínas e revelaram a sua estrutura, permitindo “visualizar” e compreender pela primeira vez a função de um elemento extremamente importante no processo de fotossíntese.


Muitas serão as perguntas que os estudantes portugueses irão fazer a Huber na sessão que decorrerá no Pavilhão do Conhecimento. O que é ser cientista? O que mudou na sua vida depois de ser Prémio Nobel? Sentiu-se uma estrela da Ciência como se tivesse ganho um Óscar de Hollywood?


Robert Huber realizou os seus estudos em Química na Universidade Técnica de Munique, onde obteve igualmente os graus de Doutoramento e Agregação. Foi membro do Max-Planck-Gesellschaft e Director do Max-Planck-Institut für Biochemie, desde 1972 até à sua jubilação, em 2005. Além do Nobel da Química recebeu outras distinções e vários Doutoramentos Honoris Causa.

Inscrição obrigatória em www.cienciaviva.pt


Mais informações:


Unidade de Comunicação e Imagem

Catarina Figueira – 96 156 09 26