Uma oportunidade sem precedentes


A integração de estudantes do ensino superior pode ser uma oportunidade sem precedentes de exposição a valores de liberdade e emancipação só potenciáveis pelo acesso ao conhecimento e à cultura científica como pilares da afirmação da autonomia e da plena cidadania. A prática da Ciencia Viva tem demonstrado que, desde as fases mais precoces da vida escolar, a colaboração das instituições científicas e de ensino superior é fundamental na abertura dos alunos ao conhecimento e à cultura científica.

A Ciência Viva optou por estender esta prática também aos alunos que estão a ingressar pela primeira vez em instituições de ensino superior, proporcionando oportunidades de integração na vida académica que continuem a estimular as competências de autonomia, de crítica e de comunicação que lhes permitam enfrentar a complexidade das organizações de ciência e de ensino superior. Para tal, em Novembro de 2016 a Ciência Viva criou um programa de apoio a universidades e politécnicos, e em particular às suas associações de estudantes, para a integração de novos estudantes pela via da ciência e da cultura. Foi, assim, lançado um concurso para financiamento de propostas apresentadas por instituições do ensino superior, associações de estudantes e centros de investigação, para, em articulação com instituições científicas e centros Ciência Viva, promover projectos de cultura científica e integração dos estudantes que ingressam no ensino superior.



Tavira | Comunicar para a Sustentabilidade e Integração (CSI)

Associação Oficina Ciência Viva de Tavira (Centro Ciência Viva de Tavira)




O projecto CSI-UAlg pretende estimular a curiosidade científica com debates multidisciplinares que resultem em acções e soluções de desenvolvimento sustentável. É objectivo do CSI-UAlg a sensibilização do público em geral em eventos relevantes para a comunidade académica e para a região. Estudantes dos 2º e 3º anos da Universidade do Algarve serão desafiados a formar equipas com alunos recém-chegados, para prepararem apresentações destinadas ao público sobre um dos desafios do desenvolvimento sustentável definidos pelas Nações Unidades. 

Os trabalhos, que deverão oferecer soluções de sustentabilidade eficiente, serão apresentados publicamente e selecionados num concurso. As equipas escolhidas serão desafiadas a produzir um vídeo de sensibilização para os desafios definidos, com soluções para os respectivos problemas. Cada vídeo deverá ainda propor uma acção de voluntariado na área em causa. Os vídeos serão apresentados em eventos académicos, divulgados na imprensa, sites e redes sociais oficiais dos parceiros, e serão projetados durante o Verão nos centros Ciência Viva do Algarve, e durante a semana da Ciência e Tecnologia de 2018. O melhor vídeo, selecionado por júri, será premiado com uma viagem científica-cultural a um dos Centros da Rede Ciência Viva.


Associação Oficina Ciência Viva de Tavira (Centro Ciência Viva de Tavira)

O Centro Ciência Viva de Tavira é uma Associação sem fins lucrativos que tem como sócios a Câmara Municipal de Tavira, a Universidade do Algarve e a Agência Nacional para a Cultura Científica e Tecnológica (ANCT). Integrado na Rede Nacional de Centros Ciência Viva, promovida pela ANCT, tem como missão inspirar os cidadãos através da ciência, desenvolvendo programas científicos para a sociedade e construindo conhecimento através da partilha de experiências. O CCVTavira valoriza a ciência, a proximidade com a comunidade científica, o progresso e a curiosidade.

Instalado desde 2005 na antiga Capela do Convento do Carmo, junto a uma das mais emblemáticas Igrejas de Tavira, este Centro Ciência Viva oferece aos visitantes um espaço interativo único de promoção da cultura científica e tecnológica, num conjunto arquitetónico de grande beleza e valor patrimonial. Para além de possuir uma exposição interativa centrada na temática “Água e Energia”, o Centro Ciência Viva de Tavira é também um espaço laboratorial versátil para a dinamização de atividades experimentais de ciência. Promove palestras, exposições temporárias e diversas atividades lúdico-pedagógicas que despertam a curiosidade científica, aproximando a comunidade escolar e o público em geral da comunidade científica. Tirando partido da grande riqueza natural e patrimonial envolvente, oferece ainda percursos de interpretação que integram valores culturais, históricos, ambientais e científicos.

O Centro Ciência Viva de Tavira assume também um papel de dinamizador do debate junto da comunidade local, em torno de questões de impacto público relacionadas com ciência e tecnologia, promovendo a cultura científica na região, estimulando o papel ativo dos cidadãos no processo científico e no diálogo com os investigadores e com decisores. É ainda um espaço que colabora com outras instituições, favorecendo a dinamização de atividades cruzando várias vertentes culturais. Sendo um espaço que promove a comunicação de ciência e o envolvimento da comunidade académica na comunicação para o público em geral, é ainda parceiro em projetos de investigação, estando responsável pela comunicação para o público em geral e em dois projetos que promovem a integração de cidadãos através da ciência.


  • Associação Centro Ciência Viva do Alviela. Site

  • Instituto Politécnico de Leiria – ESAD.CR

  • Couro Azul, S.A.

  • Decorpele

  • Centro de Interpretação Subterrâneo Algar do Pena - CISGAP

  • ArtSpace João Carvalho

  • Museu de Aguarela Roque Gameiro



Coimbra | Lost in the city – perdidos na cidade

Associação Exploratório Infante D. Henrique, Centro Ciência Viva de Coimbra, com Direção Geral da Associação Académica de Coimbra - AAC




O projecto Lost in the City promoverá a integração dos novos estudantes que ingressam na Universidade de Coimbra convidando a uma participação na vida cultural e científica da cidade. O projecto desenvolverá o mapa Lost in the City, que identifica um conjunto de actividades científicas e culturais com diversas entidades ligadas à ciência e à cultura, a que os novos estudantes terão acesso durante a principal fase de integração na universidade (Setembro a Dezembro de 2017).

Estas propostas incluirão visitas a instituições, através de acções concretas e diretas a desenvolver, por exemplo com professores universitários, investigadores e outros profissionais das entidades aderentes. O mapa será impresso e incluído no kit habitualmente distribuído aos novos estudantes. Deverá chegar aos estudantes que entram na universidade no ano lectivo de 2017-2018, garantindo que o público-alvo principal do projectoLost in the City, correspondente a um universo de cerca de 3000 novos estudantes, tome conhecimento do projecto e possa usufruir do programa.


Associação Exploratório Infante D. Henrique, Centro Ciência Viva de Coimbra,
com Direção Geral da Associação Académica de Coimbra - AAC

O Exploratório - Centro Ciência Viva de Coimbra, situa-se num complexo de 2500 m2, assumindo-se como uma entidade de promoção de cultura científica para a Região Centro. Com duas décadas de existência foi, em 1995, o primeiro centro de ciência a ser criado em Portugal, integrando a Rede de Centros Ciência Viva desde a sua criação em 1998. Estando integrado na Rede de Centros Ciência Viva e gozando de uma relação privilegiada com a Universidade de Coimbra, com os diversos centros de investigação associados e com as demais instituições de ensino superior da cidade, o Exploratório assenta a sua atuação num conjunto de parcerias locais e regionais transformando-o numa entidade de divulgação científica ao serviço da Região Centro, promovendo a literacia científica em todas as faixas etárias, para as diversas camadas sociais e em diferentes espaços territoriais.

É neste sentido que surgem os paradigmas sob os quais assenta a atuação do Exploratório: Há Ciência para todos: apostando numa programação diferenciada para várias tipologias de público através de ações e atividades para públicos específicos, aproximando a Ciência do maior número de pessoas possível. Levar a Ciência a todos: no seu âmbito de atuação pretende igualmente levar a ciência aos locais onde estão as pessoas, o que se traduz atualmente num conjunto de parcerias estratégicas já firmadas com outras entidades locais e regionais que permitem, de forma sustentável, a realização de ações e atividades de proximidade, onde se privilegia o contacto entre cientistas e populações, levando as instituições de ensino superior e a ciência às pessoas.

São exemplo disso os diversos programas desenvolvidos pelo Exploratório no último ano, nomeadamente de conversas informais e atividades regulares com investigadores (como, os programas “Pontos nos III”, “Há música no coração”, “Exploratório-Consultório”, “Cafés de Ciência no SerQ”, “Seleção Sub30”), bem como de outros projetos envolvendo diversas entidades locais e regionais, nomeadamente ao nível dos municípios da Figueira da Foz, da Sertã, de Penela ou de Oliveira do Bairro, para além do município de Coimbra, o que revela a grande capacidade do Exploratório na execução de projetos com sucesso, dirigidos a públicos muito diferenciados, desenvolvidos quer no Exploratório, na cidade ou noutros locais da região. O Exploratório tem, assim, vindo a consolidar uma projeção, reconhecimento e mediatismo crescentes, na cidade, região e também a nível nacional.

O presente projeto enquadra-se na filosofia atual de atuação do Exploratório, neste caso apostando numa forte contribuição para a promoção da cultura e da ciência junto de um público muito específico e com uma forte tradição e relevância na cidade, a comunidade de estudantes da Universidade de Coimbra, proporcionando a integração dos novos estudantes numa perspetiva dinâmica e inovadora.


  • Associação Exploratório Infante D. Henrique, Centro Ciência Viva de Coimbra.Site

  • Associação Académica de Coimbra (AAC)



Leiria | CiênciARTE

Associação Centro Ciência Viva do Alviela, com Instituto Politécnico de Leiria




O CiênciARTE é um projecto para integração dos novos alunos da Escola Superior de Artes e Design, das Caldas da Rainha, dos cursos de Design Industrial, Design de Produto Cerâmica e Vidro, Artes Plásticas, Design Gráfico, e Multimédia e Design de Ambientes. O CiênciARTE dará a conhecer a estes alunos a região do Maciço Calcário Estremenho, do ponto de vista do património natural, e o concelho de Alcanena, na sua vertente cultural e económica, aproximando estes jovens da comunidade e história desta região.

O CiênciaARTE começa com uma série de saídas de campo acompanhadas por especialistas e visitas a fábricas de curtumes, ateliês de tecelagem e espaços culturais. Feito este reconhecimento, as equipas desenvolverão projectos combinando as capacidades artísticas, tecnológicas e de design existentes na ESAD.CR com as questões pertinentes para o território. Os projectos serão desenvolvidos nas respetivas disciplinas e acompanhados pelos professores integrados na equipa.

Os alunos terão que apresentar as suas propostas aos parceiros do CiênciARTE. Desenvolverão também um produto inovador com potencial económico para a região, igualmente apoiados pelos professores da ESAD.CR. Por fim, os materiais produzidos com o projecto CiênciARTE serão apresentados aos munícipes através de uma exposição.


Associação Centro Ciência Viva do Alviela, com Instituto Politécnico de Leiria

A Associação Centro Ciência Viva do Alviela é uma associação privada sem fins lucrativos, constituída a 22 de Outubro de 2010, tendo como associados fundadores a Ciência Viva – Agência Nacional para a Cultura Científica e Tecnológica, a Câmara Municipal de Alcanena, o Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas e o Instituto Politécnico de Leiria. O Centro Ciência Viva do Alviela - Carsoscópio é um espaço interativo de divulgação científica e tecnológica, integrado na Rede de Centros da Ciência Viva – Agência Nacional para a Cultura Científica e Tecnológica, recentemente constituído como associação científica e técnica sem fins lucrativos.

A geologia, hidrogeologia, climatologia e biologia são algumas das áreas exploradas na exposição permanente deste centro, produzida com tecnologia 100% nacional. O Centro Ciência Viva do Alviela convida os seus visitantes a fazer uma viagem virtual ao longo de 175 milhões de anos de história do carso, a explorar uma gruta com morcegos, e a perceber como é que a água moldou a paisagem cársica que inspirou este Centro Ciência Viva. Além da visita à exposição, o Centro Ciência Viva do Alviela promove também atividades que abrangem diversos públicos. A oferta pedagógica escolar é dirigida a alunos desde o pré-escolar até ao secundário e nela se incluem atividades experimentais, saídas de campo no âmbito da geologia e biologia e desenvolvimento de projetos ambientais com o Agrupamento de Escolas de Alcanena.

Da sua oferta anual constam também ações de divulgação científica no âmbito do programa Ciência Viva no Verão, das quais se destaca a Noite dos Morcegos, a participação na Semana da Ciência e Tecnologia, realização de Cafés de Ciência e atividades científicas para séniores. Inserido no Parque Natural das Serras de Aire e Candeeiros e rodeado de um vasto património natural, da sua programação anual fazem parte passeios científicos que dão a conhecer a geologia, a fauna e a flora do Maciço Calcário Estremenho. O Centro Ciência Viva do Alviela recebe anualmente, cerca de 17.000 visitantes. Desde a sua abertura, em 2007, já recebeu mais de 120.000 visitantes.

O Centro Ciência Viva do Alviela-Carsoscópio encontra-se localizado no Maciço Calcário Estremenho, em Alcanena, junto à nascente do rio Alviela, a mais importante nascente cársica de Portugal, integrando o sítio Ramsar 1616 – Polje de Mira- Minde e nascentes associadas do SCI PTCON0015 Serras de Aire e Candeeiros da Rede Natura 2000. Esta é uma região cársica, caracterizando-se por uma aridez superficial, que resulta da omnipresença da rocha e da escassez de vegetação à superfície, com uma drenagem superficial fraca ou inexistente, já que a água da chuva infiltra-se rapidamente através de fraturas alargadas pela dissolução da rocha e enche as galerias subterrâneas formando assim importantes reservatórios de água doce. As flutuações do nível freático entre as épocas em que ocorre maior precipitação e a estação seca, conferem aos habitats e espécie



  • Associação Centro Ciência Viva do Alviela. Site

  • Instituto Politécnico de Leiria – ESAD.CR

  • Couro Azul, S.A.

  • Decorpele

  • Centro de Interpretação Subterrâneo Algar do Pena - CISGAP

  • ArtSpace João Carvalho

  • Museu de Aguarela Roque Gameiro



Aveiro | +Estudante +Cidadão +Aveiro

Associação BioLiving




O projecto +Aveiro integrará os novos estudantes desenvolvendo a sua cultura científica como um todo, tendo em conta a cidadania, o ambiente, as tradições, a arte, o associativismo, as necessidades e oportunidades académicas e de mercado, a realidade do tecido empresarial e cultural da região. O +Aveiro contempla dois conjuntos de actividades.

Por um lado, uma série de conferências mensais para fomentar o diálogo directo com professores e investigadores de várias áreas científicas. Em cada mês será convidado um professor, investigador ou figura relevante dos vários departamentos e escolas da Universidade de Aveiro para uma conversa sobre dúvidas, receios, contexto laboral nacional e internacional, bem como oportunidades existentes e perspetivas futuras.

Por outro lado, haverá um programa de saídas mensais a museus e centros de ciência, centros de investigação, ecossistemas da região. Estas saídas promoverão a cultura científica e criarão elos identitários com o território, com peritos de múltiplas áreas e com os colegas. As saídas deverão incluir mais do que simples observação (por exemplo, as equipas serão desafiadas a participar em actividades de reflorestação) e serão acompanhadas por especialistas do tema em causa.


Associação BioLiving

A Associação BioLiving é uma associação sem fins lucrativos que nasceu do projeto BIO Somos Todos coordenado pela bióloga Milene Matos. Integra uma equipa multidisciplinar nas áreas da conservação da natureza, ordenamento do território, gestão florestal, inclusão e ação social, cultura, desporto e marketing. O trabalho desta equipa foi distinguido com o prémio TERRE DE FEMMES 2015 Nacional, Internacional e ainda Escolha do Público, promovido pela Fundação Yves Rocher – Institut de France, pelas provas dadas do seu sucesso na promoção da sustentabilidade, consciência ambiental e respeito pelos valores naturais.

Alicerçados no lema “Natureza e Educação para Todos” temos como objetivos principais promover a sustentabilidade_ incentivar a cidadania ambiental e a participação pública na defesa dos valores naturais dinamizar a economia social_ promover a inclusão, a paz e a solidariedade, utilizando como mote a educação, os recursos naturais e a proteção da natureza, disponibilizar acompanhamento nas áreas da floresta, biodiversidade e educação ambiental, mas essencialmente demonstrar que a natureza é de todos e para todos.

Organizamos vários workshops e atividades no âmbito das ciências ambientais onde conseguimos mobilizar um grande número de estudantes universitários. Nos últimos 12 meses coordenámos mais de 25 ações coletivas de conservação e o nosso trabalho no terreno permitiu plantar mais de duas mil árvores e restaurar mais de 4ha de habitats em estado de degradação. Nas diversas atividades que organizámos envolvemos mais de 1500 voluntários e participantes e estabelecemos parcerias em cinco municípios – Mealhada, Albergaria-a-Velha, Lousada, Aveiro e Ovar. Atribuímos ainda três bolsas de estudo a projetos na área da sustentabilidade, inovadores e de utilidade pública.


  • Associação BioLiving. Site

  • Universidade de Aveiro



Coimbra | MathScratch

CASPAE – Centro de Apoio Social de Pais e Amigos da Escola, IPSS




O projecto MathScratch promove a criação de jogos e animações sobre tópicos da matemática com o ambiente de programação Scratch, que permite aos utilizadores aprenderem conceitos de programação desenvolvendo simultaneamente recursos para explicar conteúdos desta disciplina. Visa compatibilizar os conhecimentos matemáticos adquiridos durante no secundário com os requisitos essenciais para a frequência do primeiro ano da licenciatura em Engenharia.

Os recursos serão posteriormente disponibilizados numa plataforma para utilização dos alunos do 1º ano com dificuldades em matemática. O projecto destina-se aos alunos do 1º ano da licenciatura em Engenharia Biomédica do Instituto Superior de Engenharia de Coimbra. Prevê-se a realização de um workshop de 2h semanais ao longo de um mês e a elaboração de um projecto final.

Os membros da equipa do CeAMatE  presentes nos workshops serão os orientadores do trabalho, proporcionando uma aprendizagem autónoma e baseada na tentativa e erro. Os recursos desenvolvidos serão disponibilizados na plataforma on-line CeAMatE-on e posteriormente apresentados e testados pelo grupo de alunos de Engenharia Informática que continuará a frequentar o CeAMatE.


CASPAE – Centro de Apoio Social de Pais e Amigos da Escola, IPSS

O CASPAE é uma IPSS que tem, ao longo da sua existência, desenvolvido projetos educativos, de promoção da cultura científica, cultural, artística e tecnológica. Foi em 2002 entidade parceira de “Coimbra Capital da Cultura” através da implementação do projeto “Caracol Curioso” que teve a comparticipação da FCT através da atribuição de um bolseiro que dinamizou durante 1 ano a exposição “A Visão”- Cité des Enfants-La Villette. Em parceria com 4 Agrupamentos de Escolas do concelho de Coimbra implementa desde 2006 o Programa de Atividades de Enriquecimento Curricular promovido pelo Ministério da Educação, promovendo atividades no ensino do inglês, desportivas, de animação, expressão musical e plástica, entre outras, abrangendo cerca de 1200 crianças do 1º ciclo.

É membro do consórcio (CASPAE, Universidade de Aveiro, Escola Superior de Educação de Coimbra) que promove o Projeto Limites Invisíveis- educação em outdoor(www.limitesinvisiveis.pt) desenvolvido na Mata do Choupal, em parceria com 2 Jardins de Infância de Coimbra numa fase piloto e que tenciona alargar a oferta a outros jardins de Infância da rede pública e privada. É entidade parceira do Instituto Superior de Engenharia de Coimbra (ISEC) na implementação do projeto CeAMatE - Centro de Apoio à Matemática em Engenharia que visa o desenvolvimento de conhecimentos considerados básicos e elementares em matemática que permita a integração dos alunos do 1º ano nas Unidades Curriculares de Cálculo Diferencial e Integral.

Na área da divulgação científica é entidade gestora do Programa de férias “Ingenium” desenvolvido pelo ISEC que tem por objetivos a dinamização de workshops na área da engenharia e da divulgação da cultura científica e tecnológica, que promovam o gosto desta área do conhecimentos que na atualidade está numa fase de declínio no que concerne à opção de escolhas no acesso ao ensino superior.

É membro do consórcio (CASPAE, Universidade de Coimbra, ISEC e Instituto Politécnico de Setúbal - Escola Superior de Educação) que promove o projeto “All in Scratch” que visa a formação de públicos de diferentes idades em programação Scratch. Este programa tem várias componentes, entre as quais ações dirigidas ao pré-escolar (Jardim de Infância dos Serviços de Ação Social da Universidade de Coimbra), ao 1º ciclo ( implementação do programa “Iniciação à Programação no 1º ciclo do Ensino Básico” promovido pelo Ministério da Educação e desenvolvido nas turmas do 4º ano do Agrupamento de Escola Eugénio de Castro, Coimbra) e ao 2º e 3º ciclo na área das necessidades educativas especiais desenvolvido em parceria com o CR-TIC Dr.ª Maria Alice Gouveia. O CASPAE é entidade gestora do projeto Trampolim (financiado pelo Programa Escolhas) que surgiu em 2004, aquando a 2.ª Geração Escolhas, estando, atualmente, na 6.ª Geração. Funciona em Consórcio e a sua intervenção, centra-se no Planalto do Ingote (Bairros da Rosa e Ingote) e Centro de Estágio Habitacional.

 


  • CASPAE - Centro de Apoio Social de Pais e AMigos da Escola - IPSS. Site

  • Instituto Superior de Engenharia de Coimbra (ISEC)

  • Associação de Estudantes do Instituto Superior de Engenharia de Coimbra

  • Early-Brainy



Lagos | Sound Makers

Centro Ciência Viva de Lagos




O projecto Sound Makers dirige-se aos novos alunos de todas as instituições e cursos de ensino superior do Algarve. Combinando o espírito e dinâmica académicas das tunas com os valores da cultura Maker, pretende-se com este projecto promover o trabalho de equipa para a produção de um equipamento sonoro original.

O projecto centra-se num concurso regional de construção ou adaptação de um instrumento musical para actuações de tunas. Concorrerão equipas constituídas por dois elementos de uma tuna já formada e três novos alunos. Cada equipa gozará de dois fins-de-semana de trabalho no novo espaço DÒING do Centro Ciência Viva de Lagos, para realizar o projecto de um equipamento sonoro. Estas sessões, mais reduzidas (máximo de cinco equipas por sessão), permitirão dar apoio técnico à concretização dos projectos.

Haverá uma mostra pública dos projectos, que reunirá os vários elementos da comunidade académica das diversas instituições. Neste contexto será apresentado o equipamento sonoro produzido por intermédio de uma performance musical. O desempenho das equipas ao longo do Sound Makers e a performance do equipamento serão avaliadas e, na conclusão da mostra final, será revelado um vencedor.


Centro Ciência Viva de Lagos

A missão do CCVL é orientada pelos seguintes valores: envolvimento dos vários públicos no conhecimento científico e tecnológico; e promoção e melhoria da qualidade de vida dos cidadãos estimulando o conhecimento, o saber e o pensamento crítico. As prioridades do CCVL são: incrementar as colaborações com instituições de investigação científica e tecnológica e promover a dinamização de atividades em instituições públicas e privadas – por exemplo, câmaras municipais, juntas de freguesia, bibliotecas, associações, e outras.

A exposição do CCVL “Do Astrolábio ao GPS” assenta em conteúdos científicos relacionados com a História e a Ciência dos Descobrimentos. Esta relação da História com a Ciência atual é a forma dinâmica utilizada nas mais diversas atividades, permitindo que todas as áreas do saber sejam motivo de envolvimento dos participantes nas suas ações. A aposta na especialização dos recursos humanos permite um maior envolvimento com públicos mais diversificados mediante a dinamização de atividades Mãos na Massa.

Para além do espaço expositivo, o CCVL desenvolve várias Oficinas de Ciência, Saídas de Campo e Histórias de Ciência que contribuem para o enriquecimento da sua Oferta Educativa e um mais completo cumprimento da sua Missão. O CCVL desenvolve, de há dois anos a esta parte, um programa de comunicação e divulgação de Ciência e Tecnologia específico para os seniores - “Ciência Não Tem Idade”. Este programa está em execução em dois concelhos algarvios, Lagos e Silves.

 



  • Centro Ciência Viva de Lagos. Site

  • Universidade do Algarve - Gabinete de Comunicação e Protocolo

  • Escola Superior de Saúde Jean Piaget - Silves

  • Centro Ciência Viva do Algarve

  • Centro Ciência Viva de Tavira

  • Associação Académica da Universidade do Algarve



Aveiro | IntegrAll

FISUA - Associação de Física da Universidade de Aveiro




O projecto IntegrAll pretende melhorar a integração dos novos estudantes dos cursos do Departamento de Física da Universidade de Aveiro, recorrendo às próprias pessoas que os irão acompanhar durante o seu percurso académico – colegas, docentes, director do departamento e directores de curso, funcionários dos vários serviços e entidades associativas.

O projecto contempla um conjunto de actividades científicas e culturais, nomeadamente visitas a laboratórios e unidades de investigação da UA; sessões informais de esclarecimento com docentes, investigadores, dircetor do departamento e directores de curso; visitas à Fábrica – Centro Ciência Viva de Aveiro; conversas com cientistas e outros estudantes/investigadores; exploração do conceito “Dóing” para desenvolvimento de projectos de comunicação de ciência; organização de eventos de comunicação de ciência dedicados à comunidade aveirense; dinamização de um programa de formação em manuseamento de ferramentas e equipamento; formação em linguagens de programação, software específico e de ambientes 3D para desenvolvimento de protótipos e/ou produtos a implementar em projectos futuros; desenvolvimento de um projecto com o apoio de técnicos e monitores do Departamento de Física da UA, da Fábrica – Centro Ciência Viva de Aveiro e de colegas de curso.

O IntegrAll deverá terminar com uma mostra de projectos e partilha de ideias e experiências a realizar-se na Fábrica – Centro Ciência Viva de Aveiro.


Departamento de Física da UA, Campus Universitário de Santiago

A FISUA foi fundada em 1993 por um pequeno grupo de estudantes do Departamento de Física da Universidade de Aveiro, interessados inicialmente em difundir a Física e a Astronomia, não só na região de Aveiro e na comunidade académica, mas também a nível nacional. Encontra-se, desde o seu início, sediada no Departamento de Física da Universidade de Aveiro.

É uma associação que conta com cerca de 900 associados e de referência, tanto no meio académico como na sociedade, no plano da divulgação de ciência para o público geral. Organiza cursos de iniciação à Astronomia, dirigido ao público geral, há mais de 20 anos e tem uma oferta ao serviço educativo com atividades em diferentes áreas da Física e Astronomia, entre as quais_ sessões de Planetário Portátil, observação ao telescópio, palestras, workshops de micro-foguetes, feiras de ciência, shows de física, apoio a professores no aconselhamento e conceção de materiais didáticos e preparação de atividades para sala de aula, entre outras.

A FISUA participa em programas de incentivo à divulgação e promoção da ciência desde a sua origem, como é o caso do programa “Astronomia nas Praias”(1996), hoje denominado por “Ciência Viva no Verão em rede”. É por isso uma das primeiras equipas deste programa e a participar de forma ininterrupta. Atualmente muitos dos seus associados são estudantes dos cursos de Física da Universidade de Aveiro, no entanto conta com muitos ex-estudantes, professores e pessoas que nos seguem e apoiam nas nossas atividades.

Entre a organização de inúmeras iniciativas, destaca-se a organização de dois Encontros Nacionais de Estudantes de Física (ENEF) em 2004 e 2014, tendo a maior participação de estudantes na história do encontro até à presente data, e o ciclo de conferências “Horizontes da Física” desde 2005, onde são convidados a apresentar o seu trabalho alguns dos mais relevantes investigadores das áreas da Física e Astronomia no panorama nacional e internacional.

Nos últimos anos, com o aparecimento de núcleos de estudantes dos vários cursos do Departamento de Física da UA, a FISUA tem realizado algumas parcerias com estes organismos de forma a apoiar na realização das suas atividades e potenciar a participação dos jovens estudantes nas atividades de comunicação de ciência e de difusão do conhecimento científico, atividades performativas e de entretenimento cultural e de reconhecimento das instituições presentes no seu meio académico.

 


  • FISUA - Associação de Física da Universidade de Aveiro. Site

  • Departamento de Física da Universidade de Aveiro

  • Centro Ciência Viva de Aveiro



Lisboa | iMed Conference

Associação de Estudantes da Faculdade de Ciências Médicas




A iMed Conference® é uma conferência dedicada aos estudantes do ensino superior e jovens profissionais na área das ciências da vida, organizado anualmente pela Associação de Estudantes da Faculdade de Ciências Médicas (AEFCM), com o apoio institucional da direção da NOVA Medical School | Faculdade de Ciências Médicas e da Universidade NOVA de Lisboa.

No que toca à integração de novos estudantes, a iMed Conference® visa inspirar as novas gerações de jovens médicos, promover a formação prática na área da Saúde pela realização de workshops, promover a capacidade crítica dos estudantes pré-graduados e motivar a participação de estudantes pré-graduados em projectos científicos.

A organização da iMed Conference® envolve os alunos em todas as etapas de organização de uma conferência científica internacional, desde a definição do programa científico aos convites formais dos oradores bem como sua recepção, gestão das sessões durante a conferência, organização do júri para a competição de inovação médica, organização, divulgação da conferência e da competição, organização dos workshops e actividades sociais da conferência, toda a gestão logística, entre outras actividades.


Associação de Estudantes da Faculdade de Ciências Médicas

A Associação de Estudantes da NOVA Medical School | Faculdade de Ciências Médicas, adiante designada por AEFCM, é uma pessoa colectiva de direito privado sob a forma de associação, sem fins lucrativos nos termos da Lei e tem a sua sede nas instalações da NOVA Medical School | Faculdade de Ciências Médicas de Lisboa, adiante designada por NMS | FCM.

São objectivos gerais da AEFCM: representar e defender os interesses gerais dos estudantes da NMS | FCM; promover e complementar a formação cívica, social, médica, científica, cultural e desportiva dos estudantes; promover e realizar actividades de acção social, científicas, recreativas, culturais, desportivas e outras de interesse para os seus membros e também para a comunidade; garantir a equidade de todos os estudantes; participar activa e construtivamente na definição da política educativa e educação médica a nível local, nacional e internacional; promover a integração e inter-relação dos estudantes no quotidiano universitário; garantir a sua sustentabilidade; cooperar com organizações estudantis, nacionais e estrangeiras, cujos objectivos se mostrem consonantes com os interesses dos estudantes da Faculdade; estabelecer relações de cooperação com outras organizações estudantis benéficas para realização dos objectivos supracitados; outros objectivos que os seus associados deliberem em Assembleia Geral e que não contrariem os Estatutos.

No contexto actual, a AEFCM considera essencial desenvolver actividades e projectos que se baseiem nos pontos supracitados e que sejam divulgados desde o primeiro momento de ingresso no ensino superior na recepção aos novos alunos em que se pretende: apresentação da AEFCM com distribuição de guia com informações úteis sobre a mesma_ - Divulgação dos principais projectos da AEFCM, convidando os alunos a participar activamente nos mesmos; distribuição de Welcome Pack com informações e instrumentos importantes para a entrada na vida académica; divulgação do Desporto da NOVA e da AEFCM; divulgação de informações sobre bolsas de estudo do Ensino Superior e outros mecanismos de apoio no âmbito da Acção Social Escolar; esclarecimento de dúvidas.

 


  • Associação de Estudantes da Faculdade de Ciências Médicas. Site

  • NOVA Medical School | Faculdade de Ciências Médicas

  • Centro de Ciência Viva de Estremoz



Lisboa | Curso Botânica – Arte na Natureza

Sociedade Portuguesa de Botânica, com Centro de Investigação em Arquitectura, Urbanismo e Design da Faculdade de Arquitectura da Universidade de Lisboa




O projecto Botânica – Arte na Natureza, dinamizado pela Sociedade Portuguesa de Botânica em parceria com o Centro de Investigação em Arquitectura, Urbanismo e Design da Faculdade de Arquitectura da Universidade de Lisboa, tem como objetivo dotar os alunos de ferramentas para o desenvolvimento do seu trabalho, através do conhecimento da morfologia e função das estruturas, das famílias e espécies botânicas e de utilizações das plantas no domínio artístico, permitindo-lhes continuar a busca de novas formas de inspiração.

O curso ajudará a integrar alunos das várias áreas artísticas – arquitectura, design, moda, artes plásticas, desenho e escultura –, em grupos mistos de diversos anos de formação universitária, havendo uma quota de 50% para os alunos do primeiro ano. Pretende-se assim valorizar as competências individuais, a autoconfiança e a autoestima dos alunos.

Será um curso teórico-prático, com aulas de observação à lupa e em áreas naturais, seminaturais e jardins da cidade, onde serão abordados a diversidade de formas e estruturas dos elementos vegetativos e reprodutivos das plantas, as principais famílias e espécies botânicas e os usos documentados de plantas na arte.

A reprodução digital das obras produzidas será colocada regularmente num blogue de modo a visualizar a progressão dos trabalhos dos alunos. O link para o projecto e para o blogue será mantido no site da Sociedade Portuguesa de Botânica e o curso culminará com uma exposição.


Curso Botânica – Arte na Natureza

A Sociedade Portuguesa de Botânica é uma associação sem fins lucrativos que reúne cidadãos amadores da Natureza, naturalistas e cientistas. As actividades da SPBotânica abrangem várias temáticas, tendo como objectivos conhecer, divulgar e proteger a flora e a vegetação do país. A produção, partilha e divulgação do conhecimento sobre a flora e a vegetação, em particular no território nacional, é realizada através do portal Flora-On.

Esta plataforma reúne cerca de trezentos mil registos sobre cerca de duas mil espécies e centraliza a informação geográfica, morfológica, fotográfica e ecológica da flora portuguesa e mediterrânica produzida pelos autores; a informação é disponibilizada ao público sob licença Creative Commons, no âmbito da cidadania participativa. A conservação das populações da flora e dos seus habitats está no cerne das preocupações da SPBotânica e manifesta-se pela produção de publicações, estudos científicos, e no desenvolvimento do projecto da Lista Vermelha da Flora de Portugal. Este projecto agrega os botânicos do país com vista à actualização dos conhecimentos sobre a flora, e à elaboração da caracterização do estado de conservação das populações das espécies autóctones.

A formação, através de cursos de botânica de iniciação ou de aprofundamento, de saídas de campo e de palestras, pretende difundir o gosto pela botânica com bases sólidas e dentro de um enquadramento científico; a formação do espírito crítico e científico enriquece o conhecimento pessoal e contribui para a formação de cidadãos responsáveis e participativos.

A realização de cursos de formação em botânica tem sido uma das actividades regulares da associação, destacam-se os cursos “Plantas à Lupa: o fascínio das estruturas reprodutoras”, “Curso de Botânica na Mata da Machada” e o curso intensivo de formação “Curso de Botânica - Morfologia e Identificação” com 50h e cinco edições. A Associação tem um Regime de IVA Misto com afetação real de todos os bens.

 


  • Sociedade Portuguesa de Botânica. Site

  • Centro de Investigação em Arquitectura, Urbanismo e Design - Faculdade de Arquitectura da Universidade de Lisboa



Madeira | Projecto: Fora da sala também aprendemos

Associação Académica da Universidade da Madeira





O projecto Fora da sala também aprendemos pretende dinamizar a procura activa de conhecimento e de competências capaz de assegurar sucesso no mercado de trabalho logo no primeiro ano no ensino superior. Neste sentido, convidam-se os alunos a visitar um local ou uma entidade que trabalhe nas áreas estudadas nos cursos dos alunos.

Espera-se oferecer aos novos alunos uma perspetiva mais próxima da realidade laboral na sua área de formação. As visitas fomentarão a interacção entre os alunos e funcionários dos locais a visitar, promovendo uma partilha de conhecimentos que irá preparar melhor os futuros diplomados; deverão ajudar a estabelecer parcerias que garantam a continuidade da execução destas iniciativas no futuro; e reforçarão junto dos novos alunos a importância dos métodos não-formais que complementam o paradigma educacional da sala de aula.

As visitas programadas incluem laboratórios, museus, empresas de turismo cultural, centros de inovação tecnológica e de gestão, uma associação de doentes, etc. O programa de visitas e todas as iniciativas associadas serão divulgadas em media e redes sociais da região da Madeira.


Associação Académica da Universidade da Madeira

A Associação Académica da Universidade da Madeira (AAUMa) é a estrutura que representa os estudantes da Universidade da Madeira. É uma instituição privada sem fins lucrativos, que se rege pelos seus próprios estatutos, além da legislação aplicável. Reconhecida pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, encontra-se registada no Registo Nacional de Associações de Jovens, do Instituto Português do Desporto e Juventude. Em 2011, o Governo Regional da Madeira declarou a AAUMa como Instituição de Utilidade Pública, um reconhecimento pelo seu trabalho na área da cultura da ciência e do desporto.

A AAUMa rege-se, entre outros, pelos princípios da democracia, da independência e da promoção dos direitos humanos, que legitimizam as suas decisões, tomadas em concordância com os seus estatutos. Tem como objetivos representar os estudantes da Universidade da Madeira, defender os seus interesses, promover iniciativas de carácter cívico, desportivo, cultural e científico, bem como, reivindicar as melhores condições de estudo possíveis para os estudantes que representa.

A Académica tem uma vasta experiência na defesa dos interesses dos estudantes da Universidade da Madeira, apelando ao espírito de solidariedade dentro da comunidade académica através da criação de programas sociais que têm como objetivo ajudar os estudantes com dificuldades económicas, além do desenvolvendo de atividades que visam questões importantes da atualidade, contribuindo para uma cidadania responsável por parte dos seus participantes.

O trabalho contínuo que tem vindo a ser desenvolvido, ao longo dos anos, na linha de ação da promoção da investigação e da promoção da Ciência e da Cultura apresenta vários resultados, como a edição de livros sobre a História da Madeira. A dinamização de vários monumentos e atracões turísticas é outra área de aposta, dando ao estudante a possibilidade de integrar programas de voluntariado que conjugam a formação em História, em Línguas e o Turismo. A equipa da AAUMa que estará envolvida neste projeto terá perto de 20 elementos, de várias áreas de estudo, garantindo uma multidisciplinaridade que irá beneficiar o projeto.

 


  • Associação Académica da Universidade da Madeira. Site

  • Grafimadeira – Empresa de Artes Gráficas da Madeira, S. A.

  • Microlab Madeira

  • Laboratório de Qualidade Agrícola da Camacha

  • Museu de Arte Sacra

  • Sociedade de Desenvolvimento da Madeira

  • ANACOM – Delegação da Madeira

  • ACIN

  • Associação Portuguesa para as Perturbações do Desenvolvimento e Autismo da Madeira (APPDA-Madeira)